20 de abril de 2012

Pyramid Of The Moon By Déborah Shaw Black

| |
Pyramid Of The Moon















N\A: Olha gente, a fic tem varios detalhes que vocês precisão saber. então vamos lá:

* O Seth já é transformado aqui dés de Lua Nova;

* O Jake não tem nada contra o termo 'imprinting';

* O Embry, Jared, Quil e Paul tem uma banda;

* As falas em forma de lobo são em italico;

* As conversas em portugues quando a PP chegar em La Push serão em negrito;

* Os lobos conseguem ler a mente deles mesmo a qualquer distancia;

* O Seth fala Português;

* Há mais lobos no bando;

* A fic acontece no final de Lua Nova;

Eu fiz as apresentações de cada personagem, Clique Aqui para conhecer cada um.


Capitulo 1 - Conhecendo a minha vida.


P.O.V.s

Eu nunca fui normal, mas agora estou passando dos limites. Febre a todo o momento, me estresso com tudo, xingo todo mundo a cada minuto...

A Pamy diz que é por falta de um namorado, mas PELO AMOR DE DEUS, já sofri muitas decepções amorosas por uma vida só. Micaely diz que é por falta de sexo, como se eu já tivesse feito isso com alguém. ¬¬’ Já o Nate diz que é por que o MEU TIME de vôlei não joga porcaria nenhuma. Mais ai ele se engana, EU jogo muito bem, mas uma certa vadia e seu grupinho não ajudam. Amanda e as Rodadas.

Mas voltando ao assunto principal, eu não estou suportando ninguém, estou até dormindo na casa da Pâmela há uma semana, semana essa que nem cheguei perto dos meus pais. Não quero preocupá-los com meus probleminhas. Eles já são muito ocupados com as empresas que fizeram aqui no Brasil. Sim, meus pais não são do Brasil. Meu pai é de La Push, uma reserva lá dos “staites”, em Washington para ser mais exata,e minha mãe é de uma tribo lá do Egito. EU SEI! Uma tribo lá do Egito é meio difícil, mas é a verdade.

Eles se conheceram e BUM! Nove meses depois eu nasci, e assim que isso aconteceu, eles adotaram um menino de 4 anos, não me perguntem o porquê. Tinha o nome de Matheus, ele era o meu maninho, o meu ídolo. Mas infelizmente ele... ele desapareceu e... não gosto de falar muito sobre esse assunto então, continuando...5 anos depois que eu tinha nascido eles vieram para Brasil, mais especificamente para a Amazônia e me fizeram frequentar um curso de inglês desde os cinco anos.

Comparando com agora que tenho dezessete...

E foi nesse cursinho que conheci a Pâmela e a Micaelly – minhas BFF’s – e o Nate – meu BFF. E SIM, eu tenho um melhor amigo homem. *-* A Elly não se dá muito com o Nate, porque ele é um típico galinha e sempre dá encima da Pamy. Hehehe...

Eu ligo pros meus pais todo dia, aliás, eles que me ligam, perguntando se estou bem, se estou sentindo alguma coisa e talz. Acho estranha essa preocupação, afinal eu não tinha falado nada pra eles sobre essas febres e mau-humor matinal.

Vou à escola todo dia apesar de estar “doente”. Sou uma típica nerd. Mas não daquelas que usam óculos gigantes, aparelhos maiores que os dentes, ou cabelos lambidos não.

Tenho cabelos pretos meio lisos e encaracolados que vão até abaixo dos meus ombros. Olhos verdes, e pele meio bronzeada. Por mais que aqui na Amazônia não tenha praia, gosto de tomar banho nos lagos daqui ou ir a um clube da cidade. Sei que disse isso tudo sobre mim, mas não me acho “linda”. Eu me acho normal.

Mas me comparando com a Amanda e seu grupinho... RÁ! Sou uma deusa.

Eu estava me arrumando pra aula. Hoje era sexta, e eu amo as sextas porque no dia seguinte não tem aula. Ok, ok, eu disse que sou nerd, mas não vamos exagerar, eu gosto de estudar, mas não é pra tanto, só tiro notas boas e fim.

Ainda estou com aquela maldita febre e o mau-humor, tomara que elas me ajudem no jogo de hoje. Meu time contra o do Nate.

Eu digo meu time porque eu sou a capitã, e tenho orgulho disso. Eu estava vestindo meu uniforme quando a dona da casa entrou no quarto:

–Vamos logo ! Temos um jogo hoje. – Disse Pâmela entrando no quarto, já com seu uniforme, que é quase igual ao meu: blusa amarela sem mangas (a minha é azul) com o símbolo do colégio e um short que vai até um pouco a cima da metade da coxa. Ela estava com um rabo de cavalo feito em seus cabelos pretos e lisos.

Uniforme

Peguei uma chuchinha na cômoda e arrumei meu cabelo em um rabo de cavalo também, só que com a franja atrás da orelha, ocupando um pouco de minha testa. Calcei os tênis e vi Pamy pegar os dela para calçar também.

– Falou a garota que ainda vai calçar os tênis. – Respondi e a vi me mostrar a língua. Eu ri e fui ao banheiro pegar a toalha que tinha usado mais cedo, e aproveitei pra olhar se minha escova de dentes já estava seca.

Sai do banheiro com a toalha na mão e a estendi na porta do quarto de Pamy. Ela fez careta, mas não disse nada.

Passei perfume e desodorante, e sai do quarto para tomar café, com Pâmela em meu entrelaço.

– Bom dia Sra.Morais! – Falei sentando em uma das cadeiras da mesa.

– Bom dia mãe. – Disse Pamy fazendo o mesmo que eu.

– Bom dia queridas! – Exclamou Michelle, mãe de Pâmela, colocando panquecas no meu prato, no dela e no de Pamy. – Prontas pra ganhar? –Perguntou sentando-se para comer conosco.

– Depende mãe, se a Amandita cooperar... – Esclareceu Pâmela distante.

– E vamos combinar que isso é uma coisa beem difícil de acontecer. – Continuou Micaelly entrando pela porta da cozinha, com o uniforme do jogo, a bolsa dos materiais nas costas e uma garrafa de água nas mãos.

– Pode crer, eu não estou afim de ficar ouvindo o Sr. Nathaniel debochando não. – Pronunciei, tomando um gole de suco de laranja, e devorando TOTALMENTE as panquecas que estavam no meu prato.

– Vê se deixa umas pra nós, ! – Riu-se Pamy.

– Já foi Pamy.–Respondi tomando meu suco em um gole só. Okay, eu estava com fome, E ISSO NÃO É CRIME!

–Depois diz que não quer engordar. – Disse Micaelly sarcástica.

– Vai se ferrar Elly. – Falei pegando meu material, e saindo da casa da Pamy. Encontrando Nate em seu carro MARAVILHOSO, um Dodge Charger R/T que eu tanto amo. Sem querer me gabar mais fui EU que o ajudei a o concertar. Amo carros, e motos, vivo pedindo uma pro meu pai, mais ele diz que é perigoso e talz.

Carro do Nate

Sorri, indo até ele, e entrando no carro, sentando no banco ao lado do motorista sem noção.

– E aê Green Eyes? – Cumprimentou-me Nate.

– Tô viva é você seu paspalhão? – Respondi/Perguntei/Caçoei ele.

– Também, pronta pra perder? Você sabe que eu sempre vou ganhar de você . –Gabou-se meu amigo.

– Você vai é chupar uma manga podre quando esse jogo acabar Nate. – Respondi sorrindo confiante para ele, que me deu um tapa na cabeça.

– Viado. – Xinguei mau-humorada, ele riu antes de perguntar:

– Vai deixar a gata com P e a hiena com M ai? – Perguntou rindo de sua própria piada. VIU! Ele deixa qualquer de mau-humor.

– Vou, elas tem pés, podem ir muito bem andando. – Falei fechando a cara.

– Você também tem pés, porque não vai andando hein? – Perguntou com uma cara cínica.

– Por que eu tenho um melhor amigo que tem um carro disponível pra mim. – Falei seca.

– Nossa que mau-humor. – Reclamou Nate dando partida no carro.

– Jura? – Ironizei e ouvi Nate bufar.

– Não sei como ainda te suporto Shaw. – Falou sem olhar para mim. Ergui uma sobrancelha.

– Talvez seja por que você ame a Shaw aqui, Gomez. – Ironizei novamente, e conseguir ouvir Nate resmungar umas coisas que entendi perfeitamente. O resto do caminho foi em silencio,até que ouvimos o famoso barulho que toda escola tem.

Sai do carro, peguei na mão de Nate, e entramos no colégio recebendo olhares. Corei e fui direto para o meu armário, Nate me seguiu.

BAST SHAW! COMO VOCÊ SE ATREVE?!

– Lá vem… – Ouvi Nate murmurar ao ouvir o grito duplo de Pâmela e Micaelly que, pelo que vi, estavam furiosas. Rolei os olhos.

– Nossa , quanta consideração você tem pela gente. – Disse Micaelly apontando para si mesma e para Pâmela que concordou.

– Ninguém mandou você me chamar de gorda. – Falei colocando minha franja novamente atrás da orelha.

Fim P.O.V.s


– Você pelo menos poderia ter nos dado uma carona com seu “amigo de dezoito anos”. – Disse Micaelly olhando para como se aquilo fosse óbvio.

– Mas o “amigo de dezoito anos” aqui, não daria carona para vocês. – Intrometeu-se Nathaniel, levantando a mão e olhando para Micaelly desafiadoramente, mas logo passou a ser sedutor, para Pamy. – Mas você poderia vir no meu colo Morais. – Sugeriu Nate galanteador. e Elly fizeram caras de nojo e Pâmela rolou os olhos impaciente.

– Prefiro andar de camelo. –Respondeu Pamy fazendo as outras duas amigas gargalharem.

–Isso aê Nate, sem cantadas retardadas hoje. – Soltou dando um beijo na bochecha de Nate. E em seguida as três saíram da vista do moreno. Elas falavam como o Nate deveria se amarrar com alguém, até que Amanda e sua gangue se apossaram na frente delas.

– Oi princesas, prontas pra ganhar? – Perguntou Amanda com um olhar e uma voz de falsa simpatia.

– Com você no time, nem se o Nate assumisse que é gay em pleno jogo. – Murmurou Elly para que só e Pâmela escutassem, fazendo-as prender o riso.

– Depende. Será que você e suas amigas vão cooperar? – Disse Pâmela encarando-as divertidamente.

– Claro, eu e minhas amigas somos as melhores... – Falou Amanda sorrindo falsamente para ,Pamy e Elly. Mas logo virando-se para suas amigas e sussurrando para elas: – ...em fazer vocês perderem suas vacas. – As seguidoras deram risadinhas fúteis.

Enquanto Elly e Pamy não haviam escutado nada, estava sem acreditar no que seus ouvidos tinham captado. E já que estava de mau humor, quase dá um tapa na cara de Amanda, mas sem sucesso, pois a mesma saíra de perto do trio.

– Vocês ouviram oque ela disse? – Perguntou entredentes.

– A parte da que ela finge ser uma pessoa normal, ou a parte que ela se acha a melhor do mundo? – Respondeu Pamy sarcástica. a fuzilou.

– Nenhuma das duas. Sim a parte que ela disse que era melhor em nós “fazer perder”, ô coisa lenta. – Falou estressada.

– Tá doida é ? Ela não disse isso, por mais que eu tenha certeza que ela tenha PENSADO isso. – Afirmou Micaely e Pamy concordou com a cabeça.

– Se o Nathaniel estivesse aqui, falaria para ligarmos para o exorcista. – Disse Pâmela que começou a gargalhar, seguidamente de Micaelly. bufou e saiu de perto das amigas com o pensamento: “Não ouvi nada, é só coisa da minha cabeça. Como se eu tivesse uma super audição. Rá!”

riu de seu próprio pensamento entrando na sala de aula e sentando-se em umas das cadeiras.

Esqueceu-se rapidamente sobre oque tinha ouvido Amanda falar e de como isso acontecia ultimamente. E sua linha de pensamentos indo para o jogo que aconteceria depois no almoço, na quadra do colégio Feras Elite.


***

Em La Push...

Jacob caminhava lentamente pela praia da reserva, sentindo a água fria bater em seus pés. Apesar de não sentir frio algum, sentia-se vazio,rejeitado, deixado para trás. Fazia dois dias que Bella havia ido buscar o sanguessuga, e mesmo ele implorando quase joelhos, ela foi atrás do vampiro. Deixando o lobo sozinho, aos cacos.

E mesmo assim Jake preocupava-se com ela. De como ela estaria. Se ela havia se arrependido de ter ido atrás do outro e de tê-lo deixado, se ela, por mínimo que fosse a chance, tivesse descoberto que não amava o vampiro, mas sim a ele.

E outras perguntas assombravam sua mente.

Será que Bella largaria o sanguessuga para ficar com ele?

Será que notaria que ele é melhor que o frio?

Será que ela notaria que ele podia a fazer mais feliz?

Para nenhuma de suas perguntas havia respostas. E por não ter respostas a raiva o ocupava. Raiva de Edward. Raiva de Bella. Raiva de si mesmo por ser tão fraco. Raiva de si mesmo por sofrer.

Jacob estava tão absorto em seus pensamentos que não notou a presença de Seth.

Jacob P.O.V.s



– Hey Jake. – Assustei-me um pouco com a aparição surpresa de Seth. Apesar de ter ótimos sentidos, acho que estava tão perdido em meus pensamentos que não o notei. Eu sou muito burro.

– Oi Seth. – Falei passando o braço em volta de seu pescoço e bagunçando seu cabelo. O silencio caiu sobre nós, quando olhamos para o mar.

– A garota certa pode estar a quilômetros daqui. Ou a menos de uma cidade. Mas um dia ela vai chegar Jake. Não fique assim por causa da Bella, você sabe que quando a garota chegar vai preencher esse peito de urubu ai. – Ele virou-se pra mim sorrindo e batendo em meu peito. – Ela vai fazer você voltar a ser o Jake de sempre. Basta ter paciência. – Okay, Okay, desde quando esse moleque ficou tão sábio? – E você não vai querer que ela se machuque vendo você correr atrás da Bella feito um cachorro adestrado... foi mal pela sinceridade. – Desculpou-se no final quando viu que eu fiz uma careta. – Esqueça a Bella Jake, você tem alguém o melhor te esperando... E de preferência alguém que não cheire a vampiro. – Ele riu e continuou: – E esse alguém vai te amar pelo que você é. Sem esforços... – Deixou a frase no ar. Repassei tudo que Seth disse, e cheguei à conclusão que...

– Cara, ‘cê tá lendo muita revista de mulher! – Brinquei e vi Seth rir, mas logo parar e me encarar sério novamente.

– Mas Jake é sério tudo que eu falei! Bella não merece tanto. – O observei e parei para pensar.

Será que Seth está certo?

Não! Você luta por Bella e sempre vai lutar.

Mas ela me fez sofrer tanto.

Mas no final tudo vai se resolver, Bella será só sua.

Não! Deixarei Bella ser feliz, eu vou ter meu imprinting...

Eu estava confuso, me despedi de Seth rapidamente e corri em direção à floresta. As palavras dele me perfuraram como uma faca e provocavam uma grande confusão em mim.

Não me transformei em lobo por não querer um bando de fofoqueiros cabeludos vindo pegar no meu pé. Já basta o Seth falar aquelas coisas, mas será mesmo que meu imprinting estaria me esperando?

Não, você ama a Bella!

Mas meu imprinting virá logo, vai levar a dor para longe, seremos apenas eu e ela.

É Bella que você ama!


Eu estava a ponto de explodir com essa guerra interna acontecendo. Aumentei a velocidade até chegar em casa. Entrei fazendo um grande barulho. Billy assustou-se, já que estava assistindo TV.

Fui em passos largos até meu quarto. Peguei uma bolsa que estava dentro de meu guarda-roupa, e soquei algumas roupas dentro da mesma. A coloquei nas costas e sai do quarto feito um furacão.

Eu precisava pensar, fugir um pouco dessa loucura. Se antes eu já estava confuso com o assunto ‘imprinting’, agora estava pior.

Assim que pisei na sala, meu pai me olhou seriamente.

– Aonde você vai Jacob? – Perguntou e eu o encarei intensamente antes de responder.

– Pensar. Não se preocupe, voltarei logo. – E sai sem dizer mais nenhuma palavra. Não que o velho não merecesse uma resposta mais decente, mas eu quero sair logo daqui de La Push, ir pra longe de Forks.

Não demoraria muito tempo, mas eu precisava ficar sozinho. Talvez isso me ajudasse a entender tudo.

É amor ou obsessão?

Acho que pelo menos, terei essa resposta logo.

Fim Jacob P.O.V.s

***

N\A: Olá-seres-humanos-que-estão-lendo-essa-fic! Sejam Bem-Vindos!
Fic nova pra vocês =D Faz uns 5 meses que eu tive essa ideia, Espero que vocês gostem.
Qualquer erro me avisem.E pra quem quiser falar comigo meu imail é: debora_lylian@hotmail.com (Sim, Lylian com y) kkk.
Agradecimentos a minha eterna amiga e Beta da fic, Pâmela. ( Sim, ela é doida, bem parecida com a Pamy da fic).
Beijos! Comentem, quero saber o que acharam da fic! Falo com todos, prometo fazer o possivel para responder os comentarios! Proxima att... quando comentários aparecerem aqui abaixo! xD


***





Capitulo 2 - Ser eu é foda!

Seth P.O.V.s

Poucos minutos depois de Jake sair pela floresta. Sam chamou-me falando que estava na hora da minha ronda, que eu faria junto de Embry, Paul e Quil. Os Cullen podem não estar mais por aqui, mas como Sam diz “Precisamos manter guarda”.

Entrei na floresta, guardei minhas roupas em uma bolsa e as amarrei em minhas pernas, e me transformei. Encontrando logo depois os outros que já estavam em sua forma de lobo.

“E aê muleque?” Perguntou Paul para me irritar, ele sabe que eu odeio ser chamado de muleque. Ele riu ao ouvir meu pensamento.

“Falou com o Jake?” Embry perguntou depois de mandar Paul calar a fuça. Assenti.

“E o que foi que ele fez ?” Indagou Quil, ficando ao lado de Embry.

“Ele... fugiu.” Respondi como se não acreditasse no que tinha fala. Certo. EU TAMBÉM NÃO ACREDITAVA que o Jake havia fugido. E eu sempre o considerando um exemplo – não exemplo amoroso, obvio. – Nossa! Que heróico. << Ironia aqui.

“Parece que alguém ta precisando do super lobo” Caçoou o pulguento do Paul.

“Pulguento é...”

“PAROU!” Rugiu Sam interrompendo Paul. “ Hora do trabalho pessoal” Continuou quando calamos a boca. Eu, Paul, Embry e Quil começamos a correr rapidamente rodeando a reserva. Enquanto eu pensava sobre onde Jake estaria. Passamos três horas fazendo ronda, e eu nem estava perto de estar cansado.

“Nossa Seth! Como você é machão” Sacaneou Quil e Embry e Paul riram da minha cara.

“ Por que vocês não vão colher suas pulg...”

“ QUÊ PORRA É ESSA AQUI!?”

Fui interrompido por uma voz desconhecida, em uma língua diferente que eu conhecia muito bem. Posso ser o mais novo do bando, mais qual é? Eu estudo caramba, sou o mais nerd em língua portuguesa. Mas nunca falei isso pra ninguém, por que, obviamente, os outros caras iam zooar com a minha cara por muito tempo. Como estou fazendo agora, pensando em português, os caras estão muito assustados com a ‘voz’ para notar isso. Haha. Todos nós demos um pequeno pulo para trás, e uma única coisa vinha a mente de todos, era de quem é essa voz?

Fim Seth P.O.V.s

***

P.O.V.s

Acabávamos de sair do almoço. E isso significa que era hora do jogo – dãã – Todos os jogadores já estavam em quadra se alongando. SE É QUE PODESSE CONSIDERAR “AS RODADOS DO CABARÉ” JOGADORAS! Então, SE podesse considerar , elas estavam na quadra mais NÃO se alongando. Mas sim dando encima de uns gatos lá da arquibancada. JURO que se eu não fosse suspensa do jogo por isso, eu ia lá dar um murro na cara de cada uma, e depois cortar pedaço por pedaço e frita-los na churrasqueira para dar pro Cold. NÃO! Nem o Cold pode comer aquilo, deve dar gazes e diarréia.
Micaelly e Pâmela se apossaram ao meu lado e olharam pra mim e para o olhar fulminante e mortal que eu mandava pras Vads do pedaço.
- Calma , não inventa de dar um ataque na cara da Amanda não, o treidor e o diretor podem notar que foi de propósito. E Eles iam acreditar nela, afinal ela transa com eles na sala dos professores. – Elly cochichou e eu fiz a cara de nojo mais impagável do mundo.
E...
COMO ASSIM ELA TRANSA COM O DIRETOR GREGORÉ? O.O
Com o treinador eu acredito, afinal ela já “deu” pra quase todos os professores da escola – Eu disse quase por que tem mulheres professoras, por que de marmanjo... rá rá rá -. Posso afirmar isso com certeza por que eu vi ela saindo semi nua da sala do professor Leonardo. Mas o diretor? Já é baixo demais até pra ela.
Meu espanto foi muito visível quando a Elly disse isso.
- Você ainda não sabia dela e do diretor? – Perguntou-me Pamy me olhando como se fosse um ET – coisa que já estou começando a acreditar que sou -, neguei com a cabeça.
- Amiga, acho que você deve se atualizar viu. Ontem na hora do almoço lembra? A Amanda não estava lá, porque ela estava na sala do diretor e bem... digamos que o Sr. Gregoré deixou o interfone ligado. E todo mundo ouviu os: “ ME COME, FODE! PODE FUDER!” da Amanda e os “ ME CHUPA ATÉ O FIM VADIA! ISSO, VAI, MAIS RAPIDO! AHH!” do diretor Gregoré. – Esclareceu Pâmela, imitando as vozes da Amanda e do Gregoré.
Acho que meu queixou estava no chão. Como é que eu não tinha ouvido essa troçada toda ai?
- Tu deve ta com alguma perda de memória ou audição , porque você tava na cantina na hora em que tudo aconteceu. – Continuou Pamy. Bem... acho que eu tava dormindo nesse momento tosco ai. Não tinha conseguido dormir na noite desse dia. Tive um monte de sonhos estranhos.
- Ok, Ok, chega de falar da vida da Amanda, nós sabemos que a vida dela se resume á: dar o cú. Então beleza! Nós temos é que nos concentrar no jogo. Quero só ver a cara do Nate quando a gente ganhar. – Falei sacando a bola fortemente. Elly e Pamy concordaram comigo sorrindo.
Logo as Vads entraram no campo de jogo, quando o tempo de aquecimento já tinha acabado, obvio. Era o momento de os capitãs se cumprimentaram. Então fizemos a fila.

Shaw – 1
Nadja Deabreu – 2
Manda Filg – 3 (rodada)
Rafaella Dest – 4 (rodada)
Elly Dantas- 5
Pamy Morais – 6
O time principal é esse. O resto são seguidoras da escola de como ser vadia da Amanda, INFELIZMENTE.
O treinador colocou todas as garotas que a Amanda quis no time, só não entendo como fui escolhida para ser a capitã. Bem que eu poderia colocar o Cold para investigar. Haha, como se ele tivesse tanta habilidade.
Cold é o nome do meu lobinho, ele é bem pequenininho. Meio acinzentado , e bem inteligente. Ele é meu dês de quando eu nasci, meus tios e tias do Egito mandaram ele pra mim. Lembro-me que teve um dia que eu mandei ele xixi nas roupas de um garoto lá de La Push.Se não me engano o nome dele é Jacob. Brigávamos muito quando crianças por que eu era a “sobrinha preferida do Tio Bil. E ele era o filho do Tio Bil. Então queríamos chamar atenção. Haha.
O Cold é meio estranho, ele não cresce nem fica velho. Mas nunca dei muita importância a isso. Eu o amo e pronto. Agora voltando ao jogo:
- Vamos lá , desista. O jogo ta na minha mão. – Disse Nate enquanto eu apertava sua. Ergui uma sobrancelha.
- Isso é o que vamos ver. – Terminado o momento de “Boa Sorte” o jogo começa.

FINALMENTE! \o/
Minutos depois, estava de 10\8 pro time do Nate. A Amanda até que tava cooperando. Recepcionava a bola e tudo, mas isso não tava me cheirando bem... literalmente, a Amanda tem uma Suvaqueira do caralho.
***

Fim do primeiro Set.
Até que fomos bem, mas o Nate ganhou esse set, por causa da Rafaella, que na primeira vez que a bola foi pra ela, disse: “ AÍÍÍNN vai quebrar a minha unha”
RI-DI-CU-LO!
Eu queria era poder arranhar a cabeça dela todinha com as minha unhas.E Pra piorar a minha situação, o treinador ORDENOU que a Amanda jogasse no segundo set. Então a teve que sair =(
Por que as outras jogadoras Vads rodadas tinham que jogar.
PRONTO! Vamos perder!
Entrei em quadra já com mil e um pensamentos negativos e xingamentos para o treinador. Ok ok, concentração.
Trinta minutos depois...
OMG! Não creio! Estamos empate!! 24\24, agora o jogo termina em 26 pontos. Se o meu time ganhar vai ter terceiro set. Agora é só rezar e jogar pra ganhar.
A bola veio pra mim, eu recepcionei, Pamy levanta, e...
DROGA! MERDA!
A Beatriz não passou a bola pro outro lado da quadra. BURRA! DÁ ZERO PRA ELA! CAVALA! Se errarmos mais uma vez perdemos o jogo. Nate vai sacar, a bola vai pra Amanda e ela.. PQP!
Ela nem sequer olhou para bola. Tava muito ocupada olhando as unhas. RAPARIGA! Eu já estava começando a tremer, creio eu que eram tremores de raiva, tipo, MUITA RAIVA!
Meus olhos faiscavam em fúria.
- COMO É QUE VOCÊ FAZ UMA COISA DESSAS SUA VADIA? – Estourei berrando ficando a frente de Amanda que ainda olhava a sua porra de unhas entediadamente.
- Primeiro, eu fiz isso por que eu quis, segundo, você não é ninguém para me chamar de vadia. – Respondeu-me com a voz um pouco alterada, acho que foi por eu tela chamado de vadia, mais quer saber...
- VA-DI-A ISSO QUE VOCÊ É! “DÁ” O CÚ ATÉ PRO DIRETOR MALDITA! COBRA QUANTO? QUEM SABE UM CARA AI QUERENDO TE CHUPAR SUA PUTA DE SEGUNDA!! – Berrava eu totalmente possesa, todos olhavam para nós duas. Amanda levantou o rosto seu olhar era quase tão raivoso quanto o meu.
- Sempre quis esfregar isso na sua cara, vejo que é a hora certa para isso sua vaca atolada. Bem... digamos que eu fiz ele gritar por mim na minha cama, e me implorar por mais querida . – Não.. ela não se atreveria... ele não. Lagrimas começaram a querer sair de meus olhos, e a minha raiva começava a ficar sufocada enquanto as tremedeiras aumentavam dez vezes mais. – Sim, zinha, ELE mesmo. Ricardo. – Paralisei ao ouvir essa palavra. – Ele dizia que você não era nada... nada comparada a mim. – Em sua voz havia rancor, e um tom diabólico. Lagrimas já caiam de meus olhos e uma forte sensação de calor subiu pela minha coluna. – Que você era um pedaço de papel, um lixo podre que não dá pra ser reciclado. – Eu queria bater na Amanda até que sua morte fosse como dada. Depois de tanto tempo ela vai moer o passado de volta. Não gosto de me lembrar do passado ou de suas lembranças, elas me trazem... dor.
- Isso , ele me queria, eu era única com quem ele ficava durante as noites, e não você. – Não sei por que não consegui falar nada, mais como eu queria. Mas tinha a sensação de eu se eu abrisse a boca, uma coisa muito ruim iria acontecer. Agora Amanda tinha um sorriso tão maléfico quanto o do demônio. Suas capangas riam de mim. E eu conseguia ver Nate ser segurado pelos amigos e Pâmela e Micaelly prestes a bater em Amanda. E eu... bem... eu sai correndo para fora da quadra. A dor na minha coluna aumentou e eu senti tudo queimar enquanto eu adentrava na floresta amazônica. E em menos de 3 segundos, meu corpo pareceu explodir em mil pedaços. E eu estava sobre quatro patas. PARA TUDO! QUATRO PATAS?

“QUÊ PORRA É ESSA AQUI? Ok, Ok, ... acalme-se você SÓ VIROU UMA COISA COM QUATRO PATAS! AHH MEU DEUS DIZ QUE É ABOBRINHA!” Soltei algo que pareceu um grunhido, igual aos que o Cold faz, só que um pouco mais grosso.

“Vão chamar o Sam, LOGO!” Escutei alguém falar em inglês na minha cabeça. Era só o que faltava, além de ter quatro patas, to ouvindo vozes também.
Pera aê... Sam? Já ouvi esse nome em algum lugar. Bem... Já constatando que sou louca, então não faz mal falar com as vozes né?

“Quem são vocês?” Perguntei em inglês e... Que pergunta mais idiota! Senti que os caras ou almas ficaram assustados.

“Quem é você?” Perguntou-me uma voz que eu senti que deveria obedecer.

Bast Shaw, prazer voz do além.” Falei e ouvi risadas logo em seguida. “Alguém pode me explicar o que esta acontecendo aqui?” Perguntei um pouco impaciente.

“Você que nós deve explicações” Ouvi outra voz exigir.

“ Uma merda, eu estou sobre quatro patas e EU é que te devo explicações. Faça-me o favor.” Respondi.

“Você disse quatro patas?” Perguntou outra voz. Nossa! A minha mente é cheia da galera.
“ Pelo que constatei sim. E uma cabeça enorme e pesada também. Já falei da fome absurda?” Terminei e logo em seguida ouvi a estranha voz que eu sentir a sensação de obedecer.

“Você disse Shaw?” Perguntou do nada.

“Sim”

“Você é uma loba garota.”

“O QUÊ? PERA AÊ! PERA AÊ! Você disse oquê? EU sou uma LOBA? E vocês por acaso são o que os carinhas de Pokémon?” Dei piti.

“ Não exagera na imaginação não, somos lobos, igual a você.” Respondeu alguém, e eu olhei em volta da floresta que estava bem quente.

“ Onde você esta?” Perguntou uma voz que eu já ouvi. “Ok, isso ta ficando estressante.” Pensei em português.

“ Será que você pode pensar direito?”

“Será que dá pra vocês se apresentarem, isso ta ficando confuso.” Rebati e senti eles ficarem envergonhados.

“Seth” Disse uma voz meio amolecada.

“Ei! Eu não tenho voz de moleque!” Eles riram.

“Até esse povo extrangeiro te acha um moleque” Zombou uma voz do tal de Seth.

“O Nome da voz é Paul” Apresentou-se.

“Aqui é o Embry”

“Sou Quil”

“E eu sou Sam” Por ultimo disse o cara que eu senti que lhe devia respeito.

“E porque ele é o Alpha” Falou quem me pareceu ser... Quil.

“Sou eu mesmo”

“E o quê ser o termo alpha?” Perguntei.

“Te contaremos tudo quando chegar aqui.” Respondeu-me Sam, acho.

“ E ONDE é AI?” Perguntei, Okay, eu sou curiosa sim.

“La Push”

“COMO É QUE É ESTRANHO!? AI é La Push, praia? Perto do Alaska” Percebi que os caras tinham respostas na ponta da língua. Mas Sam os cortou de falar qualquer coisa.

“Sim, é. Conheço seu pai, o velho Julio Shaw. Afinal sou seu meio irmão mais velho.” Respondeu-me Sam. E acho que a careta que fiz em forma de ‘lobo’ foi daquelas.

“IRMÃO?” Eu e o pessoal soltamos ao mesmo tempo. Sam riu.

“Sim, quando você era pequena, eu vivia te fazendo mimos, tipo um irmão mais velho. Gastava minha mesada comprando pipoca e sorvete pra você ly”
LEMBREI! OMG!

“Então você era o Sam, o garotinho de oito anos que vivia me mimando haha.”

“Bem, agora ele não é mais um garoto.” Disse Embry e rimos. Eu achei estranho por que nós nunca se vimos e estamos todos falando por pensamento, isso é irreal poh!
Eles me contaram outras poucas coisas como, que Sam conhecia meu pai e que ligaria para ele para eu ir para La Push o mais rápido possível, e também que lá havia vários outros lobos.

“Mas..como eu faço pra voltar ao normal... SE É QUE TEM como voltar ao normal, tipo, eu, humana, duas pernas.” Desenvolvi e o primeiro a me responder foi Sam.

“Relaxe, não pense em nada. Mente limpa. E quando você voltar ao normal , não poderá mais nós ouvir. Só pode ouvir os pensamentos dos outros lobos quando esta em sua forma de loba.”
“Até mais...Como é seu nome mesmo?” Perguntou Seth.

, mas me chamem apenas de , CERTOS apelidos são muito toscos né SAM? Só um exemplo: ly.” Eles riram. Nós despedimos e eu corri para um lugar mais afastado e me concentrei ao Maximo em pensar em nada. Assim que consegui voltar a ser humana, constatei uma coisa. EU ESTAVA PELADA! NO MEIO DA FLORESTA AMAZONICA! Nossa! A minha sorte comove o mundo Deus!
Digamos que agora vem a cena clássica. Eu peguei dois arbustos gigantes e os coloquei na frente e atrás do meu corpo. Enquanto isso, eu pensava em como era bom ter uma casa perto da mata e da escola E EM uma forma de torturar – isso ai, tor-tu-rar – os garotos de La Push lentamente por eles não terem me avisado sobre esse pequeno detalhe de ficar sem roupa.
E infelizmente, os acontecimentos da quadra vieram a minha mente, e junto com eles as lembranças e as lagrimas que lutavam para cair contra a minha vontade. Ok, o Ricardo foi a parte mais difícil da minha vida, vocês podem achar que deve ser só frescura, mais deixem-me contar primeiro.
Ricardo Alves foi aquele cara, que você sente o carinho e a química sabe. Ele quase foi perfeito, até eu descobri que ele tinha engravidado a Amanda. Isso foi demais pra mim no momento, eu não parei pra pensar em nada, eu só tinha em mente: O Ricardo me traiu, O Ricardo me traiu.
Ele depois jogou tudo isso na minha cara, disse que eu não dava o que ele queria – coisa que vocês já devem imaginar oquê é – Mas que ainda sim me amava. E eu o recusei, disse pré ele nunca mais aparecer na minha vida, que eu o odiava, eu estava totalmente sem noção do que falava. Ele saiu da minha casa falando que eu iria pagar, e que eu ainda seria só dele, e de mais ninguém.
E quando fui ter noticias dele de novo, ele estava morto. Quando saiu da minha casa, ele corria com o carro em alta velocidade, e bateu em uma rocha gigante, causando uma explosão. Eu fiquei em eterna depressão por quatro meses. Poxa, ele disse que me amava, porra! Eu poderia muito bem te-lo o perdoado. Mais não! Fui egoísta o bastante para deixar ele morrer. E a vadia da Amanda abortou o bêbê. POR ACASO já falei que ela é uma vadia?
Limpei as lagrimas ao ver minha casa dentre as arvores.
Cheguei aos berros:
- SR. E SRA. SHAW!!! PODEM IR COMPRANDO O CAIXÃO! – Berrei histérica subindo pelas escadas em uma velocidade anomal. Minha mãe e meu pai vieram correndo atrás de mim. Fechei a porta de meu quarto com força, e achei que poderia ter a quebrado. YEAH! Eu sou uma versão feminina do Hulk, só falta eu ficar verde. xD
Me vesti e peguei uma sapatinha qualquer. Não estava sentindo calor. Apesar de saber que minha temperatura é de mais de quarenta e oito graus.
- O quê ouve filha? – Perguntou meu pai entrando no meu quarto, com minha mãe atrás de si.
- Digamos pai... QUE EU VIREI UMA LOBA! NO MEIO DO MATO! E AINDA POR CIMA FIQUEI PELADA! – Berrei novamente, meu pai não fez nada além de colocar um sorriso idiota na cara. Roxanne – mi mamy – paralisou e arregalou os olhos.
- Estou tão feliz ! – O Sr. Julio me deu um abraço, e eu notei que meus sentidos estavam mais aguçados. Maneiro. – Vai aprontar suas malas! Ira para a reserva amanhã! – Meu pai estava histericamente feliz. Minha mãe agora pasma. E eu... Bem, EU IA PARA LA PUSH AMANHÃ! COMO? NÃO POSSO! Tinha que ser NO MINIMO daqui a um mês!
Tenho que falar com o povo, e tudo mais. Mas se eu fosse mesmo amanhã teria PELO MENOS uma coisa de bom....
EU IA ME LIVRAR DA AMANDA! =D Aham sem Amanda, ahram sem Amanda, ahram. << Dansinha feliz. Mas o resto... é de fazer chorar.

-Mas pai... – Eu ia argumentar quando o telefone tocou, eu já fazia idéia de quem era. Sam. Meu pai estava eufórico até pelos rins. Depois de uns 15 minutos desligou o telefone e disse:

-Você não ira amanhã . – Pulei feito uma besta. – Ira hoje á noite! – Cai estatelada no chão. QUÊ? HOJE A NOITE?
- Como é que é paié? Tá louco? Eu não vou pra La Push hoje. Nem! – Eu estava apavorada com a idéia de ir embora hoje. Julio sorriu presunçoso, colocando o celular no bolso.
- Aumento seu salário. – Fez a proposta e eu neguei. Ele ficou serio. – Você vai , e não vamos mais discutir. Se não tomo o Cold de você. – Obrigou e eu parei de respirar por um segundo. Peguei Cold que estava agarrando-se as minhas pernas querendo carinho no colo e o acariciei olhando para meu pai com os olhos marejados.
- Você não seria capaz pai. – Murmurei mais para mim mesmo do que para ele, que ouviu perfeitamente. Ouvi a respiração e o batimento cardíaco da minha mãe aumentar e vire-me para ela.
-Tá tudo bem manhê? – Perguntei chegando mais perto dela, atraindo a atenção do meu pai.
-S-sim – Ela gaguejou e eu a olhei desconfiada. E logo depois ouvi Julio pigarrear.
- É para o seu bem . – Falou e o olhei tristemente .
- Vou arrumar minhas malas. – Avisei e virei-me para meu guarda-roupa tirando as malas de dentro do mesmo.
É... acho que chegou a hora de dizer adeus para o Brasil.

Fim P.O.V.s

***

Em La Push...
“Ei...” Sam começou a falar, mais a não sentir mais presente, suspirou.

“Acho que esquecemos de avisa - lá sobre...”

“Ficar sem roupa” Continuou Paul malicioso.

“Porra Paul, você só pensa sacanagem” O Retraiu Embry divertido. Quil e Seth riram.

“Vou ligar para o pai dela. Estão liberados." Pronunciou-se Sam, parando com a brincadeira entre os outros, que assentiram.

“Ô SAM! Jake sumiu, seria bom você falar com Billy.” Avisou Seth. O alpha concordou e se afastou.

“Mas que velhinha fofoqueira Seth.” Zombou Paul. Seth rosnou e afastou-se, voltando para sua forma humana logo em seguida, xingando Paul internamente.
***


Sam P.O.V.s

Corri para casa, encontrando Emily cozinhando o almoço, sorri. Fui até ela e beije-lhe.
- Terá mais um lobinho pra te atazanar, amor, ou melhor uma loba. – Falei alegremente. Emily olhou-me surpresa e desconfiada.
- Uma nova loba? – Indagou.
- Sim, filha de um amigo. Eles já moraram aqui, faz uns 10 ou 8 anos que foram embora para o Brasil. – Expliquei pegando o telefone.
- E por que essa felicidade toda?
- Nada, nada demais. – Respondi discando o numero de Julio. Emily me olhou de esgueira antes de voltar ao que estava fazendo.
O celular chamou, chamou...
- Olá Sam – Ouvi Julio falar. E perguntei-me internamente de como ele sabia que era eu. E como se lesse meus pensamentos falou:
- transformou-se! Sabia que só poderia ser você. Como vão as coisas ai? – Perguntou-me e lembrei da última fez que ele tinha ligado, a mais ou menos uns dois meses. Contando que estava com sintomas de pré-transformação.
-Estão indo... Mas conte-me quando virá para cá.
- Adivinhe filho. – Desafiou.
- Próxima semana? – Opinei e ele negou.
- Então quando? – Perguntei um pouco impaciente.
- O mais rápido possível. – Eu não era tolo nem nada, então ele só podia estar falando que...
- Ela virá hoje? – Perguntei receoso.
- SIM! – Gritou ele do outro lado da linha. – Ela chegará amanhã ai de mais ou menos umas dez horas da manhã. – Fiquei um pouco surpreso. Afinal ele a mandaria HOJE. E ainda tinha muitas coisas para resolver.
Onde ficaria? Com quem ela ficaria?
- Bom, ficaria na minha casa que tenho ai. Mas não quero deixa-lá sozinha. E também creio que a casa não esteja em momento de ser habitada. – Falou, e sim, a casa de Julio não estava habita agora. Faz cinco anos que ele a construiu na beira da praia de La Push. E faz cinco anos que a casa esta abandonada, e sem duvida alguma, despedaçada também. Julio e Roxanne nem chegaram a entrar na própria casa. – Pode deixar que eu vou falar com o Sr. Pescaria Black. Perguntar se tem como ele cuidar da minha menina por uns meses, enquanto a minha casa não fica pronta. – Disse ele. Então se Julio ligaria para Billy, os problemas estavam resolvidos. Sem duvida Billy acolheria em sua casa. Ele a adorava quando ela era criança, e para ele Julio era seu parceiro eterno de pescaria.
- Ótima idéia Julio! Se quiser, eu mesmo falo com Billy. – Ofereci.
- Obrigado Sam, mas não será necessário. Eu estava mesmo querendo bater um papo com Billy. Faz tempos que não conversamos.
- Então está combinado – Desdenhei
- Sam filho, gostaria de lhe pedir por gentileza contratar uma equipe de restauração para reerguerem minha casa. Mando o dinheiro para voc... – Ele iria continuar maus eu o interrompi.
- Não será necessário Julio, pode deixar que eu e os garotos fazemos isso para você.
- Não quero incomodar Sam. Vocês já tem muito trabalho. Pode deixar que eu contrato alguém. – Tentou convencer-me.
- Não será incomodo algum. E nem tente me fazer mudar de idéia. – Falei e o ouvi suspirar antes de responder:
- Você venceu Sam, mas se precisar de ajuda...
- Certo amigo, pode deixar comigo.
- Obrigado novamente. Tchau rapaz. – Despediu-se
- Tchau Julio. – Desliguei o celular e encarei uma Emily sorridente.
- Deixe-me adivinhar, a garota virá amanhã. – Afirmou e eu concordei. – Terei de comprar mais comida então. – Respondeu-me rindo, sendo acompanhada por mim.

***

Tomei banho e almocei. Como sempre a comida de Emily maravilhosa. Já havia se passado uma hora e meia dês de que Julio tinha ligado. Lembrei que Seth tinha falado para ir até Billy falar sobre Jake. Disse á Emily que iria até a casa dos Black’s e voltaria mais tarde. E assim fiz.
Fim Sam P.O.V.s

Sam chegando perto da casa de Billy, pode ouvir o mesmo falando eufórico ao celular, já que constatou que não havia ninguém mais em casa. O Ouviu tagalerar:
- Eu te falei seu velho ranhoso! O meu time é muito mais centrado que o seu. Não sei porque ainda torce por aquela porcaria. – Exclamava Billy com seu tom de voz divertido. Sam ao entrar na casa, observou com o Sr. Black falava mesmo no telefone, e ele sabia que obviamente que Billy falava com Julio. – Não gabe-se amigo, fui eu que coloquei uns caranguejos nas suas calças. E nem adianta dizer que foi você que pegou o peixe maior naquele dia, eu sei que foi o Charlie, seu velho mentiroso. – Sam poderia conhecer Billy muito bem, mas nunca o viu como agora, Billy estava eufórico, parecia um adolescente. Sam quase riu de seu próprio pensamento. – Eu já disse Julio, não será incomodo nenhum, eu e Jacob estávamos mesmo precisando de uma presença feminina nessa casa. Mas me diz uma coisa, ela ficou rabugenta como você seu velho? - Debochou Billy, que ainda não havia notado a presença de Sam.
- QUER PARAR DE ME CHAMAR DE VELHO? SOU TRÊS MESES MAIS NOVO QUE VOCÊ BLACK! – Sam escutou Julio berrar do outro lado da linha, e dessa fez não segurou o riso, atraindo a atenção de Billy.
- O quê foi? - Sam escutou novamente Julio perguntar.
- Foi o Sam rindo das suas palhaçadas. – Disse Billy e Julio falou algo. – Sim, ele pode rir, ele é um ser vivo seu idiota! – Zoou Billy, e Sam teve a certeza de que Billy e Julio juntos, pareciam duas crianças. – Já disse, a aqui não será incomodo de jeito nenhum, acho mesmo que aquela garotinha mandona vai colocar ordens por aqui. Bem tenho que desligar amigo, como disse Sam esta aqui. Venha logo fazer uma visita pra esse velho aqui. – Pediu.
- Pode deixar, depois de dar umas ajeitadas na empresa vou voltar para La Push. Em breve voltaremos a pescar e a tomar cerveja juntos . Tchau Billy – Despediu-se Julio.
- Tchau Julhão! – Disse Billy, logo em seguida terminando a chamada rindo e balançando a cabeça negativamente. – Olá Sam. Acho que já sabe que estou a par das noticias. – Comentou Billy movendo sua cadeira de rodas até a frente de onde Sam estava.
-Sim. E então, resolveu tudo com Julio? - Perguntou o lobo.
-Sim, ficara uns meses aqui em casa. Estou com saudades daquela traquina. Tomara que ela não jogue ovo no cabelo do Jake de novo. – Riu-se Billy. E Sam tratou logo de começar o outro assunto que tinha para falar.
- Seth me contou sobre Jake, ele... – Os antes olhos alegres de Billy se entristeceram.
- Bom... o garoto foi pensar, como ele disse, esta confuso. – Disse Billy com uma expressão triste. Sam assentiu com a cabeça.
- Mas conte-me como serão as coisas aqui enquanto Déborah ficar... –Exclamou Sam, mudando de assunto ao ver a expressão de Billy.
- Bem, a ly... – O sorriso preencheu novamente o rosto de Black, enquanto contava os detalhes da sua “sobrinha”. Ele falava animado que ela ficaria no antigo quarto de Rebecca. Já que ele tinha noticias que Rachel voltaria logo para La Push.
- Tenho o pressentimento que a vinda de para cá, mudará muitas coisas Sam. – Supôs Billy afastando sua cadeira para a janela.
- Também sinto isso Billy, e só posso esperar que essas mudanças sejam pra melhor. – Respondeu Sam pensativo, despedindo-se de Black logo em seguida.
Falaria com todos os lobos á noite, para contar as novas. Já que nem todos sabiam que logo teriam mais um lobo no bando, ou melhor, uma loba. Mas provavelmente, os fofoqueiros já devem ter colocado a noticia no radio. Pensava ele.
E também contaria que era para todos amanhã a noite fossem para a casa de Billy, para conhecerem .
Mas mesmo com essas muitas novidades, o ‘sumiço’ nem tão ‘sumiço’ assim de Jake o preocupava.


***

N\A: AMORESS! Como vão? gostando da fic? O N\a vai ser pequeno, mais é por que eu não tenho muito assusto hoje. kkk Comentem! Façam sugetões! Brigadão a minha beta do coração, Pamy, por ter sido a primeira a comentar e me dar apoio para continuar com a ideia de Pyramid Of The Moon.
Gabriela L. : Você nem imagina oque eu tenho planejado para o futuro da fic.*risadamalefica*, e bem misterioso e profundo mesmo. Bjus Brigada por comentar.
Thays Bruna: Acho que agora você sabe oque esta acontecendo não é? rsrs, Bem próximo cap a PP chega em La Push, acho que você vai gostar. Bjus
Anix: Flor, desculpe mesmo te decepcionar, mas vai demorar mais um capitulo para a PP se encontrar com o Jake. Mais com certeza, vai ser FATAL quando eles se conhecerem. Hehehe. Você não perde por esperar. Digamos que eles vão se conhecer de um jeito bem diferente. E engraçado... Bjus

LEMBRANDO:
* O Seth já é transformado aqui dés de Lua Nova.

* O Jake não tem nada contra o termo 'imprinting'

* O Embry, Jared, Quil e Paul tem uma banda.

* As falas em forma de lobo são em italico.

* As conversas em portugues quando a PP chegar em La Push serão em negrito.

* O Seth fala português.

* Os lobos podem ler seus pensamentos a qualquer distancia.

Bjos! Até a próxima! Ou seja, quando tiver mais 5 ou mais comentarios.







Capitulo 3 - Cumprir promessas é o certo?


P.O.V.s

Já falaram pra mim que dizer adeus era ruim, mas hoje descobri que não era ruim, é bem pior. Olhar para os rostos de meus amigos e ver o que eles sentiam. Pamy que fora parar em uma delegacia, Elly que chorava e por mais incrível que pareça, concordou com Nate em alguma coisa. E Nate, que pela primeira vez, eu vi chorar.

Flashback

O moço que ficava checando a fila de embarque havia acabado de pegar minha passagem e checá-la, devolvendo-me e permitindo minha passagem quando um tumulto tomou conta daquela área do aeroporto.

- BAST SHAW! –Escutei uma voz gritar e cerrei os olhos fortemente.

-Ah não. –Soltei me virando para ver que Pâmela, Micaelly e Nate chegavam até mim correndo, mas sendo impedido pelo moço que checava as passagens. Será que eu o agradeço ou arranco sua cabeça com meus dentes?

-Olha moço, eu não vou embarcar no avião e nem ela se depender de mim. –Pâmela garantiu tentando passar, mas o moço não permitia. Olhei para os dois ao seu lado e sussurrei um “desculpe”, antes de continuar meu caminho lentamente. Confesso que eu não queria deixá-los para trás, aqueles três eram partes importantes de minha vida.
Graças a minha super audição recém adquirida pude ouvir o suspiro que minha amiga soltou.

-Tudo bem gente, vamos. –Quando olhei para trás consegui ver Pamy se virando, como se fosse sair, mas logo em seguida se voltando para o moço que barrava sua passagem e lhe acertando um belo soco no nariz, fazendo-o cambalear e baixar a guarda, permitindo a passagem dos três, que desataram a correr em minha direção. Algo me impedia de seguir adiante, era como se eu quisesse que eles me impedissem, que eles chegassem até mim. E eles chegaram.

- , o que você está fazendo? –Nate perguntou, pondo-se a minha frente e impedindo minha passagem.

-Tentando embarcar em um avião. –Respondi, não contendo meu sarcasmo.

-Por quê? –Micaelly inquiriu e eu fui pega desprevenida. O que eu diria? “Eu posso me transformar em uma loba gigante, então eu tenho que ir para La Push encontrar mais pessoas que se transformam em lobos gigantes”? Acho que não seria uma boa. Não mesmo.

-Eu preciso. –Murmurei, fugindo do olhar dos dois. Estranhei que Pâmela também não estava ali e não resisti, olhando por cima do ombro, vendo minha amiga chutar um segurança bem no playground dele. Ah, essa doeu.

-É por causa da Amanda?! , não dê bola para o que aquela víbora fala! Você sabe que quem saiu perdendo foi o Ricardo. –Nate disse, adiantando-se um passo e tentando me tocar o rosto, mas eu desviei.

-Claro que não é por causa daquela vadia. –Resmunguei.

-Então é por quê? –Micaelly indagou e eu pensei em mentir, mas ela descobriria, então disse:

-Eu... não posso falar. –Confessei e vi o olhar agoniado dos dois, e uma coisa me ocorreu: era a primeira vez que eu via Nataniel e Micaelly concordavam – ou assumiam que concordavam – em alguma coisa.

- , por favor! –Nate se ajoelhou e pegou minhas mãos, logo minha vista ficou embaçada pelas lágrimas. –Você sabe que eu te amo demais, e o que seria de mim sem você? Quem me mandaria fazer os trabalhos e as tarefas? Quem brigaria comigo por ser galinha e dar em cima da sua melhor amiga? Com quem eu vou discutir? Em quem eu vou dar uns cascudos? Quem vai ser minha protegida? –Ele choramingou, não deixando que eu soltasse minhas mãos. –Você sabe que eu não sou nada sem você, , nós somos um em dois, lembra?! –Pela primeira vez em anos de amizade eu o vi chorar, e aquilo me cortou por dentro de uma forma intensamente dolorosa.

-Eu concordo com ele, ! Você não pode nos deixar, quem vai evitar que eu mate o Gomez?! Quem vai me ajudar a controlar a Pamy?! Por favor ! Nenhum de nós existiria sem você, nós nos odiamos e você nos mantém unidos. –Micaelly apelou e eu balancei a cabeça veemente de forma negativa.

-Vocês se adoram. –Afirmei engolindo meu choro com dificuldade, a voz saindo embargada. –Não precisam de mim...

-Cala a boca Shaw! –Pâmela rosnou se aproximando e por um momento evitei seu olhar. –Não comece com suas crises de subestimação, você sabe que nossa amizade não sobreviveria sem você. –Ela falou e eu ouvi seus passos se aproximando e levantei o olhar. Em outra situação eu riria do seu estado: o cabelo desgrenhado, a blusa de ombro caído quase rasgada e um pequeno corte no supercílio, mas talvez o que me impediu de rir foi a expressão nada amigável dela. –Eles não agüentariam sem você...

-Pamy...

-Eu não sobreviveria sem você. –Com essa fala ela desarmou de vez a minha, já fragilizada, muralha de gelo. Uma coisa que eu desisti de tentar conseguir foi uma prova de afeto convencional da Pâmela, ela nunca foi de falar e com motivos muito bons, mas admitir que ela, uma legitima Morais, dependia de alguém era extraordinário.

Fitei os três, ao mesmo tempo tão diferentes, mas eles eram o complemento um do outro sem que soubessem. Aqueles três eram minha maior fraqueza e minha maior fortaleza, nunca poderia abandona-los. Já ia abrir a boca para dizer que eles ganharam, eu ficaria, quando algo gritou dentro de mim e o ar me faltou.

Uma agonia sem fronteiras, uma alma machucada de um modo tão profundo que nem eu acreditaria que existiria uma cura para sua dor. Um par de olhos extremamente negros sufocados pela necessidade de uma nova chance... E de certa forma eu sabia quem era sua nova chance.

-Desculpe! –Minha voz saiu esganiçada. –Eu amo vocês. –Consegui me soltar de Nate e corri para a escada que levava a porta do avião, enquanto a aeromoça verificava minha passagem eu virei para onde eu estava antes. Um bando de seguranças brutamontes se aproximava do trio que eu deixava. Nate ainda estava ajoelhado e eu sentia que as lágrimas dele eram controladas, Elly chorava abertamente e eu odiei minha super audição por ouvir seus soluços aquela distância. Já Pamy tinha os punhos cerrados fortemente, fazendo um sorriso mórbido possuir meus lábios no instante em que senti pena dos seguranças.

Fim do Flashback

Sentirei saudade do Nate, e aquele seu jeito protetor cinistico de ser. Da Pamy e sua agressividade excessiva. E de Elly e seus conselhos. Aquelas pessoas que eu deixei naquele aeroporto são uma parte da minha vida, e acho que não são possíveis de se esquecer nunca.

Quando eu entrei no avião, fiquei pensando, meu pai era louco! Nem deu chance de eu fazer uma despedida digna com todos os meus amigos. Eu não tinha avisado a ninguém que iria embora, mas acho que meu pai também me fez esse especialíssimo favor. <<< Isso é uma ironia ok?

Mas o senhor Julio falou com o meu Tio Billy *olhinhosbrilhando*, para eu passar uns meses na casa dele, até a minha ficar pronta, já que ela está caindo aos pedaços. E falando no Tio Billy, estou morrendo de saudades dele. Antes de vir para o Brasil, Billy era o meu tio preferido, mesmo não sendo meu tio de verdade, eu o considerava um. Durante a viagem, pensei sobre o que aconteceria daqui para frente, afinal, minha pessoa nem tão pessoa assim era um ser lupino. Qual é? Era demais para uma garota como eu. E o acontecimento antes de eu descobrir o “meu verdadeiro eu” não foi dos melhores, vamos combinar. Era só eu me lembrar daquilo que me sentia tremer de raiva.

“Vai ser acadelada assim no inferno Amanda!” Pensava eu.

E sem saber como, minha linha de pensamentos foi para o lugar para onde eu estava a caminho. La Push, onde vivi minha infância, o lugar onde eu tinha o Matheus perto de mim. Era triste pensar que ele tinha desaparecido, apesar de isso ter sido dado há anos. Matheus era o que sempre fazia um carinho no meu cabelo antes de dormir. Que brigava com os garotos que queriam pegar a minha boneca. Podia se passar anos, mas eu ainda ia ter esse vazio. Mas quando fui para o Brasil, esse vazio se preencheu um pouco, por causa do Nate que cuidou de mim como se fosse sua irmã mais nova. E eu adormeci, encostada na cadeira de avião, com um garotinho de cabelos castanhos e olhos azuis no pensamento, meu maninho. E antes de fechar os olhos pude ver pela janela do avião, que o sol estava perto de se pôr.

***

Ai, ai, ai! Aqui estou eu, no aeroporto de Port Angeles, e não tenho idéia de COMO diabos eu vou para La Push. Só falta eu ter que ir a pé. É sacanagem né? Só pode.
As pessoas estão até estranhando, por que o modo de como eu estou vestida não é bem adequada ao clima daqui sabe.


É... parece que eu vou ter que ir a pé mesmo. Por que eu não vou me arriscar a me tornar uma loba gigante em um lugar desconhecido. Comecei a andar pelas ruas de Port Angeles com as bagagens atrás de mim. Eu fingia não notar os olhares arregalados que as pessoas mandavam. Isso ai! Tô pouco me lixando.

- Você tá se achando a fodona né? Pensa que eu não sei que você ta corando. – Lá vem a minha consciência.

’Querida eu sou você, como vou vir de algum lugar? Você é uma burra!’ Declarou e eu respondi:

‘Você acabou de se chamar de burra! Depois eu que sou a lesada’ Respondi batendo com mais força minha bota vermelha na calçada.

‘Na verdade, eu acabei de nos chamar de burra.’ É, acabei de constatar que meu subconsciente não é inteligente, não mesmo. E logo depois de bater em minha cabeça com uma das minhas mãos que estava livre, vi a benção que Deus mandou para me salvar de uma caminhada demoníaca de botas de salto.

- TÁXI! Ô TÁXI! – A besta fera aqui, começou a gritar desesperadamente pelo automóvel amarelo que virava a esquina, e como eu nunca tenho a noção do perigo, corri para o meio da rua, indo na direção do táxi.

Resultado: Eu quase fui atropelada. Simples. Para mim não foi nada demais, mas para o taxista...

- Meu Deus! Me desculpe... eu não queria. Desculpe... sou um desastrado... palerma... destruidor de lares. – Falava desesperado o garoto e me perguntei internamente se ele era muito novo para ser um motorista de táxi, parecia ter entre seus dezesseis anos, cabelos castanhos escuros e olhos incrivelmente azuis.

- Não foi nada, tá tudo bem. Não precisa se preocupar. – Respondi me levantando com sua ajuda – sim eu tinha caído no chão por cima das malas – tentando amenizar o desespero do garoto, sem muito sucesso.

- COMO ASSIM TÁ TUDO BEM? Eu quase te atropelei. Você tem que ir ao hospital! E-eu vou te levar para lá. – Falava pegando minhas malas e as jogando no porta-malas do carro.

- NÃO! – Recusei não querendo chegar perto de hospital, por que imagina, os médicos iam me trancar lá quando notassem a minha temperatura. – Calma, calma. Não precisa disso tudo. Só me de uma carona com seu táxi que fica tudo beleza. – Disse eu fazendo um ‘joinha’ para ele, que me olhou desacreditado.

-Táxi? Que táxi? – Perguntou esquecendo-se por um segundo que quase havia me atropelado.

- Oras! Esse táxi – Falei apontando para o carro amarelo que agora estava atrás do garoto, que deu um sorriso irônico.

- Mas isso não é um táxi! – Disse aparentemente ofendido com o que eu tinha falado. Senti minhas bochechas ficarem vermelhas. Ele riu. EI! Quem era que estava traumatizado por ter quase atropelado uma pessoa? Ra-rá agora o cara ta é rindo de mim. Mal cheguei em outro pais e já sou piada. Que maravilhoso.

- Pare de rir! Acabei de chegar então da um desconto. – Pedi passando minha mão pela minha franja timidamente.

- Certo, certo. Mas agora entra no carro que nós vamos para um hospital. – Seu tom passou a ser autoritário e preocupado. Eu o olhei descrente.

- Olha, eu não entro em carro de estranhos, ok? – Falei cruzando os braços e fechando a cara. Quem ele pensa que é?

- Meu nome é Daniel. Pronto, não sou mais estranho. Agora entra no carro. – Que garoto abusado! Eu devia lhe dar umas palmadas...

Eh... esquece que eu disse isso ok?

Foi muito tosco e bizarro.

- Nossa que esclarecedor! – Exclamei e logo vi ele pegando minhas malas e as colocando no bagageiro do carro. – Mas mesmo assim, você ainda é um estranho... – Ele me mandou um olhar duro, tipo, aqueles do Voldemort. – Eh... Onde fica a porta? – Ok, essa pergunta foi idiota. O Daniel abriu a porta do que eu achava que era um taxi – eusouburranãoligaok?- e a abriu, segundos depois sentando no banco do motorista e ligando o carro. -Olha, presta atenção, eu não vou para um hospital. Me leva para La Push que fica tudo resolvido... Daniel. – Avisei quando ele virou uma esquina.

- La Push? – Perguntou olhando de soslaio para mim.

- É, seu sequestrador de garotas indefesas. – Retruquei cruzando os braços.

- Sequestrador? Pois saiba que eu só estou ajudando você...

- , me chame de . – Apresentei-me.

- Certo. Mas diga, o que vai fazer em La Push? – Inquiriu e eu rolei os olhos.

- Vou vender drogas. – Respondi naturalmente. – Isso dá dinheiro sabe. – Continuei a brincar e ele freou o carro, fazendo com que eu que não estava com o cinto, me estatelasse – essa palavra existe? – no vidro do carro amarelo.

- VOCÊ É LOUCA? – Berrou/gritou.

- Calma ai carinha, eu tava de sacanagem, mas eu tô indo pra La Push por que.... Quer Saber? Não é da sua conta. – Falei tento finalmente a consciência de colocar o cinto de segurança.

- Me passa o lápis que eu faço a conta. – Alfinetou e eu dei uma cotovelada na cabeça dele.

Sim.

Uma cotovelada na cabeça.

E sim, eu sou estranha. Ou melhor, não sou humana né?

- Alguém já lhe disse que você é irritante? – Perguntei assim que vi o sorriso convencido na face do motorista.

- Já.

- E quem foi o ser que observou isso com tanta atenção? – Sim, eu sou curiosa.

- Minha namorada. – Ok... – HAUSHAUSHAUSH – Dei uma risada tão louca que acho que os ETS a entenderam como um sinal de paz.

- Nossa, como você não é retardada Déborah. – Falou seco quando saímos de Port Angeles.

Notaram que ele tava ironizando da minha cara né?

-Sabe Daniel, você não sabe ser irônico. – Provoquei e ele fechou a cara.

- Para uma desconhecida, você está bem atrevida. – Afirmou e eu o olhei, indignada.

- Eu sei, mas foi você que me atropelou, devia estar desesperado agora. – Falei virando a cabeça para olha-lo.

- Foi só nos primeiros segundos, eu já passei dessa fase de desespero. Por mais que eu ache correto eu te levar pro hospi...

- NÃO! Num fala essa palavra na minha frente, é proibida sacou? – O cortei de falar a palavra com H novamente. Pra mim, Hospit* fazem mal a saúde.

- Como é corajosa – Caçoou e eu me irritei.

- Cala boca e presta atenção na estrada. – Avisei e virei minha cabeça para a janela, observando as árvores molhadas e escuras passarem por mim, o vento tão reconfortante batendo em meus cabelos, fez com que eu me sentisse em casa. Finalmente, em casa.

***

- Deus! Imploro-te pra que nunca mais eu veja esse ET que se chama Daniel... Como é o seu sobrenome? – Perguntei assim que chegamos em frente a casa do Tio Billy. Ele me olhou divertido enquanto tirava as malas do carro.

- Meu sobrenome é Também-vou-rezar-pra-nunca-mais-te-ver. – Disse sarcástico e eu mostrei a língua para ele, que riu.

- Sério porra, qual é? – Indague novamente, tirando a bolsa que estava com meu Xbox 360 *olhinhosbrilhando* da mão dele, ou melhor, arrancando a bolsa da mão dele.

- Clarke. Agora me deixa ir embora que eu tenho mais o que fazer. – Resmungou jogando as malas em cima de mim, ainda bem que eu tenho a força de um lobo, se não eu já estava esmagada.

- Sua sensibilidade comigo comove o mundo. – Ironizei fechando o porta-malas fortemente.

- Sua simpatia comigo também. – Retrucou e nós dois rimos.

- Foi um desprazer te conhecer. – Disse dando um beijo em sua bochecha e virando-me para entrar na casa vermelha que pertencia a Billy.

- Tirou as palavras da minha boca. – Falou enquanto eu rapidamente piscava pra ele e fazia ‘joinha’.

Eu andava lentamente até a porta branca que parecia ser um pouco desbotada, olhando tudo com um ar de curiosidade. Bem, eu me lembrava de tudo em seus mínimos detalhes, mas era claro que o tempo tinha passado. A árvore do quintal estava gigante, dava até pra brincar de Tarzan lá em cima. (N\B aqui: What a fuck?).

A casa estava em seus mínimos detalhes mais velha e, pelo que eu já pude notar, continua aconchegante. Sempre que lembro daqui, sinto-me feliz.
Dei três batidas na porta rapidamente, com a minha mão que estava vaga, até que vi um homem de cabelos negros e em uma cadeira de rodas, abrir a mesma. E minha reação, vocês já devem imaginar como foi.

- TIO BILLY! – Berrei pulando literalmente em cima de Billy, que arregalou os olhos quando me viu pular em seu colo e abraça-lo apertadamente.

- Oi criança! Que saudades eu estava de você. – Disse passando sua mão por meus cabelos, que agora estavam em seus ombros. – Agora, , poderia sair de cima de mim. – Riu-se, deixando-me corada. – O Billy aqui está velho, não aguenta mais tanto peso. – Completou me fazendo o olhar, indignada.

- Eu não sou gorda, ok tio? – Respondi fingindo-me de ofendida e saindo de seu colo e depois o abraçando do jeito correto, pra ser mais específica, de um jeito mais normal.

- Você ainda continua a mesma de sempre, só que um pouco maior. – Brincou e eu sorri.

- Há-há que engraçado, eu cresci muito, acho que uns 40 centímetros. – Especifiquei.

- Mas ainda continua a mesma palhacinha e fofinha de sempre. – Caçoou e eu me jogue com tudo no sofá.

- A não tio, não começa com esses apelidinhos, eu não foi mais aquela “fofinha e lindinha” não. – Disse eu, fazendo aspas no ar, enquanto Billy me olhava divertido. – Eu agora quebro costelas e esmago tripas. – Adicionei agora dando um soco na ar, Billy gargalhou.

-Sim, sim, agora venha conhecer seu quarto, garota-esmaga-tripas. – E gargalhou novamente ao falar o apelido. Por acaso eu já disse que sempre viro piada?

Fui até a porta e peguei minhas malas, que eu havia deixado cair, e segui Billy até uma porta que ficava ao lado da cozinha. Ao abrir a porta observei um quarto de cor bege com uma cama de solteiro no meio e um pequeno guarda roupa marrom claro encostado na parede. Simples e acolhedor, lugar perfeito.

- Obrigada Tio Bil, você é o cara. – Falei virando-me para ele, que estava atrás de mim. Billy sorriu.

- Você sempre será bem vinda aqui . – Falou empurrando sua cadeira para frente, e entrando no cômodo. – Este era o quarto de Rebecca. Agora ela mora no Havaí, se casou com um surfista e me deixou aqui sozinho com o seu namorado, já que Raquel também foi embora. – Eu não ouvi mais nada do que Billy falou, depois dele INSINUAR que Jacob Black era meu namorado. Qual é? Eu e o garoto vivíamos brigando, mas o Tio Billy e a Tia Sarah sempre diziam que nós íamos no casar quando ficássemos “grandes”. E sempre que ele dizia isso, eu e Jacob sempre acabávamos rolando no chão. Ou já estávamos rolando no chão.

Flashback

- Tio, olha que irado esse desenho que eu fiz. – Nessa época eu tinha 5 anos, faltavam ainda 5 meses para eu ir para o Brasil. Eu estava sentada no colo do Billy no sofá enquanto Jake brincava com um carrinho em cima do tapete. – Ô, esse aqui de cabelo grandão e preto é você. – Mostrei-lhe um carinha que estava em frente a uma casinha vermelha, que eu considerava ser a casa dele. – Essa aqui de blusa verde que tá do lado do tio Bil, é você Tia Sarah! – Gritei para Sarah que estava na cozinha, e pude a ouvir rir. – E essa aqui sou eu. – Apontei com meu dedinho para uma garotinha de vestido verde que parecia dar um chute em alguém.

- E o Jake, ? Você o colocou no seu desenho? – Perguntou, pegando a folha da minha mão para olhar com mais atenção, nesse momento Sarah já tinha saído da cozinha e estava sentada ao lado de Jacob, que agora prestava atenção na conversa que acontecia entre mim e Billy.

- Claro Tio, o JayJake tá sim. – Olhei para meu Tio com cara de inocente e logo depois, virando para Jacob e fazendo uma cara maléfica para que somente ele visse. – Ele é esse menininho que eu tô chutando olha. – Eu comecei a rir histericamente. Aquela gargalhada gostosa de criança, sabe?

Jacob fechou a cara e pegou um papel e um lápis grafite e começou a desenhar uma coisa sem que ninguém visse, enquanto Billy e Sarah me repreendiam por ter feito um desenho assim do filho deles.

- não faça isso com o Jake entendeu? Ele é seu amigo. – A mine-eu- se segurou para não dizer “amigo da onça”.

- É , o Jake te adora. – Adicionou Sarah passando a mão pelos cabelos escuros de Jacob enquanto o mesmo resmungava algumas coisas do tipo “ela é feia”, pelo que eu me lembro. Segundos depois Jake se levanta do tapete e se senta na outra perna de Tio Billy.

- Olha pai! Olha pai! O desenho que eu fiz! – Exclamou ele, esfregando seu desenho na cara de Billy que o pegou e o olhou com um sorriso divertido brincando em seus lábios. – Não é igualzinho? – Perguntou com os olhos brilhando e apontando para o desenho que estava nas mãos de seu pai. E eu, como nunca gostei de ficar de fora, arranquei o papel das mãos de Billy e assim que olhei para o desenho, sorri.

- Quem é essa cabelo de bucha? – Perguntei me divertindo com a loucura que o pequeno Jake havia desenhado.

- É VOCÊ! – Jacob berrou e logo em seguida contorceu-se no colo de Billy, que começou a rir da minha cara também, sendo acompanhado por Sarah que soltou leves risos, então, todo mundo tava rindo da minha cara. Eu fechei a cara e comecei a xingar ele – ao modo criança.

- Você é chato e feio, e solta peido. – Provoquei ofendida apontando para a cara dele por ele ter feito um desenho meu daquela maneira.

- Você é uma cagona que tem craca no nariz. –Retrucou mostrando-me a língua e tomando o desenho da minha mão, dando-lhe a Sarah, sem sair de cima de Billy.

- Você é um bebê! – Alfinetei.

- Você também é, dã!

- Feioso!

-Chata!

-Bundão!

-Burra!

-NÃO ME CHAMA DE BURRA, SEU BURRO! – Ai aconteceu de eu pular em cima dele feito uma gazela e nós dois começarmos a rolar no chão, um querendo bater no outro, eu me lembro de que ele consegui me morder. [N/A: Autora aqui maliciou a mordida. Foi só eu? O.O] (N/B aqui: eu tô maliciando desde o “rolando no chão”.) E nós continuamos brigando, até que ouvimos Sarah e Billy falar em uníssono:

- Vocês ainda vão se casar!

- NEM! – Gritamos eu e Jacob, nos separando e mostrando a língua um para o outro.

- Eu num vou me casar com essa chata. – Afirmou Jake, pegando seu carrinho e indo para o colo de Billy, enquanto eu me sentava no de Tia Sarah.

- É tia, o Jake é um urubu, eu não posso me casar com ele, seria i-ina-de-d-e-qua-do – Falei tentando me lembrar como se fala a palavra inadequado. E a ultima coisa que me lembro desse dia, é dos sorrisos marotos que Sarah e Billy trocaram.

Fim do Flashback

- Ele não é meu namorado Tio! Faz mais de dez anos que não nós vemos. – Afirmei sentando-me na cama. Claro que eu não levava mais há sério essa intriga que exista entre mim e o filho do Tio Bil, mas eu nem conheço o garoto agora que ele tá um adolescente.

- Acredite, fala de tio é santa! – Foi a ultima coisa que ele disse antes de dar a volta na cadeira e ir para a sala. Deixando-me começar a arrumar minhas coisas no quarto. E me lembrei de que tinha uns pedidos pra fazer a Billy, Hehe.

***

- Tio. Tio. TIO CUIDADO! O ZUMBI VAI TE MATAR! – Gritei enquanto eu assistia Billy jogar em meu Xbox, que eu havia instalado na TV da sala. – Dá um murro na cara dele... – Billy apertou o botão verde do controle. – AÊ! AÊ! Agora dá o golpe que eu te falei. – Ele apertou uma sequência que eu tinha ensinado. – UHHH! Aê Tio! – Exclamei pro Tio Billy ter ganhado a primeira fase do jogo. E nós dois batemos as mãos uma na outra e falamos: YEAH!

Dez minutos depois, ouvimos alguém bater na porta, e Billy foi atender.

- Olá garotos! Entrem, Sam já deve estar chegando. – Ouvi Billy falar enquanto eu tirava as panquecas que eu tinha preparado, do forno.

- Que cheiro bom! Ainda bem que eu vim de estômago vazio. – Ouvi alguém sussurrar (ou tentar sussurrar) e sorri marota. Já tinha uma ideias de quem eram as pessoas que haviam chegado. Olhei para o relógio que ficava ao lado da geladeira e constatei o óbvio, os garotos de La Push haviam chegado. E eu, como sou uma ótima pessoa, vou dar as boas vindas do jeito que eles merecem.

- SEUS BANDO DE LOBOS PULGUENTOS! – Berrei saindo da cozinha com um pano de prato por cima do ombro. – Como vocês puderam? Vocês não sabem o que eu passei. Não, não. – Me olharam aterrorizados, também, não é pra menos. Minha cara estava até vermelha de raiva. – Vocês não me avisaram um pequeno detalhe não foi? E por causa disso EU ACABEI FICANDO PELADA NO MEIO DA FLORESTA AMAZONICA! – Talvez, escutem bem, TALVEZ, eu estivesse exagerado no piti dramático, mas os garotos estavam merecendo uma surra e eu já tenho até ideia de como eu vou dar essa surra sem nem tocar neles.

- Calminha aê... Como é seu nome mesmo? – Perguntou um garoto de porte hiper atlético, que pelo que eu pude ver, estava sem camisa – Deus perdoa-me por alguns pensamentos pervertidos fluírem da minha mente – e com um calção.

Resultado em frase: espera ai que eu vou morrer e já volto.

E ai, eu que sou meio míope, notei que TODOS os garotos que estavam ali, estavam do mesmo jeito.

Resultado em frase: Espera ai que eu vou morrer e já volto.²

- , mas para os que pedirem desculpas, só . – Respondi irritada tentando não deixar transparecer que estava quase babando.

- Então... Calma , tem uns caras aqui que não tem nada haver com esse assunto, tipo, eu. – Afirmou um lobo que pelo que ele disse ainda não foi me apresentado.

-Certo, então, quem foram os palhaços? – Perguntei olhando ameaçadoramente para todos eles. Fitando cada um. Em um segundo três garotos apontaram para um grupinho que estava no meio de todos eles.

Então esses eram Paul, Quil, Embry e Seth hein? Vão me pagar.

-Não vão me pedir desculpas né? Então proponho um desafio! – Falei olhando sugestivamente para meu Xbox.

- Aceitamos! – Falaram em uníssono, olhando para o Xbox maravilhados.

-Qual é? Nós queremos jogar também ! – Reclamou um dos outros três garotos que eu ainda não conhecia.

- Vocês me conhecem? – Indaguei os olhando com uma sobrancelha erguida.

- Sim, todo mundo de La Push sabe que você esta aqui, o Sam colocou na radio. – Respondeu e eu girei os olhos no estilo típico: “Eu mereço”.

- Bem, então quem são vocês? – Momento eu querendo conhecer os gatos Online.

- Eu sou Andrew. – Apresentou-se o primeiro com que eu havia falado.

- Meu nome é Patrick.

- E eu sou o Nathan.

- Sou . Mas... Vocês são irmãos? – Perguntei jogando o pano de prato na cara de uns dos lobos do mal (sei lá! Acho que era o Embry. Eu só conheço as vozes deles, não os rostos), por um deles querer ligar o Xbox antes da hora do desafio.

- Como adivinhou? – Indagaram olhando-me abismados, e eu sorri pelo canto do lábio.

- Talvez seja por que vocês são parecidos. – Opinou Billy, e eu concordei e logo depois me virando para Paul, Quil, Seth e Embry.

- Qual é ? Nós não fizemos nada demais. – Falou quem eu conheci pela voz por ser Embry. Eu o olhei descrente.

- Olha Embry, se pra você, eu estar em uma situação onde um maníaco poderia me ver pelada no meio da floresta, não é nada demais... Só posso constatar que você não tem noção do perigo meu filho. Lá no Brasil tem gente que é canibal, sacou? – Disse querendo fazer medo neles e pulando no sofá ficando em frente ao Xbox e pegando um dos controles e dando ao Seth, acho.

- Que medo! – Exclamou Paul fingindo uma careta de medo.

- Será que se eu falasse que lá no Brasil castram homens eles iam ter medo? – Perguntei para mim mesma em português.

- Com certeza eles teriam. – Murmurou Seth em meu ouvido e... Cara, ELE FALA PORTUGUÊS? O.O – Sou o Seth, e me desculpe, sério, não me esqueci por intenção. – Disse com uma carinha de cachorrinho sem dono. Olhei ao redor e os olhos estavam entretidos olhando minha bolsa de jogos.

- Tudo bem, você é o mais novo né? – Perguntei observando os traços de seu rosto que eram mais jovens. Ouvi-o bufar.

- Infelizmente sim, e sou muito zoado por isso. – Respondeu-me e ligou a TV antes de falar:

- Que jogo vamos jogar? – Perguntou voltando a falar inglês atraindo a atenção de todos, até de Billy. Sorri sapeca.

- Luta de Boxe. – Disse e vi todos sorrirem com uma sobrancelha erguida.

***

-CHUPA! CHUPA! CHUPA ESSA MANGA PODRE PAUL! – Berrei jogando o controle para cima assim que ganhei de Paul pela segunda vez. – Entendam uma coisa... ninguém ganha de mim em luta de boxe no Xbox. Eu-sou-foda tá bom? – Gabei-me pulando feito uma doida de um lado para outro.

Continuamos conversando até que ouvimos outra batida na porta. Fui atender.
E não foi surpresa alguma ver Sam ali, junto com uma garota e outro garoto, que pela aparência deles, também eram lobos.

- Sam! – O abracei e os convidei a entrar, dando passagem pela porta.

- ! Que bom ver você. Como está garota? – Perguntou bagunçando meu cabelo. Sorri.

- Levando a vida. Quem são vocês? – Indaguei aos outros dois que estavam atrás de Sam.

- Essa é Leah Clearwater, irmã do Seth. E esse é o Jared Cameron. – Os apresentou Sam, antes que os mesmo falassem alguma coisa. A garota tinha uma expressão dura, como se não gostasse de estar ali. E o Jared já foi se juntando os garotos ali presentes enquanto Sam ia cumprimentar Billy.

- De quem é esse monumento? – Perguntou Jared olhando para meu Xbox como se fosse uma joia.

- Meu. – Respondi, mas ele não ouvia mais, já tinha tirado o controle que antes estava na mão de Nathan e começado a jogar GTA 4 que eles tinham colocado no aparelho. Eu ri vendo a animação deles e fui me sentar na no meio daquela algazarra, mas não sem antes notar que a tal de Leah ia para o canto mais escuro da sala e sentava-se em uma cadeira que lá tinha.

Eles eram demais! Só pelos poucos minutos que eu já havia passado com os garotos, eu ri quase como sempre ria perto de Nate, Pamy e Micaelly e isso sem duvida, me faz sentir como se eles estivessem aqui comigo, resenhando. Sem mesmo eu mesma notar, sorri triste. Mas logo voltando a falar com Paul, Andrew e Seth sobre os carros clássicos do Brasil. E foi quando eu falava do fusquinha rosa choque do vizinho de Nate que me lembre... AS PANQUECAS VÃO ESFRIAR! DEUS! PANQUECA FRIA É O CRECA!

Pulei do sofá assustando Andrew e Seth, que estavam do meu lado, e desliguei o aparelho, ouvindo em seguida vários: “Poxa , deixa a gente jogar mais um pouquinho” e “ Ah , não desliga” dos garotos.

- Vocês preferem jogar ou comer panquecas cozinhadas por uma chefe Made in Brasil? – Perguntei e não passou cinco segundos e todos já estavam de pé, tipo fazendo uma fila que tinha direção à cozinha. Eu ri convencida e balancei a cabeça negativamente.

- Eu disse que ela iria colocar moral aqui em casa. – Ouvi Billy sussurrar para Sam, que riu em resposta.

Fim P.O.V.s

***

- , que molho é esse que você colocou na carne? – Perguntou Seth que estava todo lambuzado de molho rose. Fazendo com que Patrick que já estava na sua quinta panqueca, Embry que já passava o dedo no prato para comer o máximo que era permitido por perguntassem o mesmo.

- Receita secreta de família da Black. – Lhes respondeu dando uma piscadela, e sem ninguém ver, Billy sorri triste, lembrando o dia em que Sarah deu um pedaço de papel amassado a , falando que era uma receita especial que ela poderia fazer quando crescesse.

Quando todos terminaram de jantar, Sam chamou todos na sala para todos se apresentarem e blá. Além de explicar a tudo que não foi explicado antes. Depois de todos se apresentarem, começou as perguntas e duvidas que estavam rodando em sua mente.

- Bem, primeiramente, por que eu me transformei? Segundo, por que posso ouvir vocês na minha cabeça? Terceiro, o quê é um alpha? – Indagou de uma só vez, enumerando as perguntas com os dedos.

- Calma, uma pergunta de cada vez! – Disse Sam e concordou. – Nós não sabemos por que você se transformou no Brasil, mas achamos que...

- Algum vampiro estivesse dando uma passadinha por lá, e fazendo com que assim seus genes lupinos viessem à tona. – Completou Jared, e os outros confirmaram com a cabeça.

- Você pode nós ouvir na mente só quando se transforma, como Sam disse ontem. – Adicionou Seth se afastando da porta da cozinha onde estava escorado, e vindo se sentar ao lado de no sofá.

- E alpha significa, em poucas palavras, que o Sam é o líder a matilha, entendeu? Se ele nos der uma ordem em seu tom alpha, iremos obedecer sem questionar. – Terminou Patrick e pode ouvir Leah crispar os lábios.

-Certo, entendi. Hum, são só nós, ou tem outros eh... transformos por aqui? – Perguntou curiosa.

-Ah! Tem o Jake. – Disse Quil que até agora não havia falado nada, atraindo a atenção de . – Mas...

- O Jake está viajando, voltará logo. – Cortou Billy, olhando severo para Quil.

- Beleza, agora... – De repente começou a assimilar as lendas Quileutes que seu pai lhe contava e BUM! Tudo vez sentido. – Existem vampiros aqui? – Indagou, e todos a olharam surpresos, menos Billy, e ela explicou que foi por que ela lembrou-se das lendas que já ouvira.

- Sim, . Mas não é bem aqui em La Push como você deve se lembrar. Lembra-se da lenda do tratado? – Perguntou Sam e concordou com a cabeça. – Os vampiros ainda estão aqui, ou melhor, estavam. – Disse e ela olhou confusa para Sam, que continuou. – Uns anos depois de o tratado realizado, aqueles mesmos vampiros voltaram, os Cullen. E estão aqui desde então, mas bem, eles foram embora novamente. – Déborah o olhou sem entender. – Uma garota chamada Isabella começou a namorar um dos Cullen. – A morena abriu a boca em um “O” perfeito. – Mas no meio do ano passado ele a deixou e foi embora de Forks com a família. Ela ficou mal, e o Jake que é ou era, o melhor amigo dela, a ajudou a superar. Mas acabou acontecendo do Jake se apaixonar pela Bella.

“Ih, tinha que ser o Jake mesmo pra ter essa má sorte mesmo.” Pensou sem acreditar na confusão.

- Há quatro dias, Alice, uma vampira da família Cullen, veio até Forks e levou Bella com ela. Jacob ficou arrasado, porque elas iriam “resgatar” o vampiro que namorou Bella, o Edward, mas isso não vem ao caso, era só pra você saber como a vida é turbulenta por aqui. – Terminou de explicar e o olhou fingindo interesse na vida amorosa de Jacob.

- Mas que interessante. – Falou sarcástica ouvindo risadas logo em seguida.

Em seguida Sam, começou a falar sobre os benefícios e as desvantagens de ser loba e que na próxima semana Leah começaria a lhe explicar certos detalhes, que só ela poderia explicar.

***

A semana passou-se rapidamente para todos. acordava todo dia cedo para treinar com Sam e já tinha uma pequena faísca de amizade entre ela e Leah, que continuava amarga como sempre. Mas na companhia de , “soltava-se” um pouco, deixando de lado parte de sua hostilidade. Os garotos, para , já estavam sendo considerados irmãos, sempre brincando e brigando e fazendo palhaçadas que sempre a fazem rir.

Billy e Sam sempre atenciosos. Emily e Sue – que ela tinha conhecido no meio da semana – eram como mães para ela. Para , tudo estava quase em seu lugar – quase por que seus pais e seus amigos não estavam ali com ela. Cold havia sido mandado para La Push no dia após a chegada de , e estava sendo muito paparicado por todos, e por incrível que parece, ele começou a crescer, para a surpresa de .

Já era sexta-feira, e preparava a janta que iria fazer com Billy, antes é claro, de assistir um jogo de soccer que passaria na TV.

Mexia na panela com uma colher de pau, quando, do nada, Cold aparece correndo e latindo na cozinha, pulando de um lado para outro, e em uma dessas puladas, bate sem querer o botão do microondas dando inicio há trinta segundos sem nada dentro para esquentar.
arregala os olhos, e rapidamente, tenta passar pelas voadeiras que Cold dava, mas quando chegou à frente do microondas...

PUUUUUUUUUMMMMMMMM!

Ele explode, fazendo com que a cara da garota ficasse toda preta e os cabelos para trás, uma imagem digna de filme de terror. Ela tosse, tentando tirar o pó preto de sua boca e abre os olhos lentamente, observando o estrago que fez.

- Putz, o Tio Bil vai me matar. – Foi a primeira coisa que disse, antes de voar para o banheiro, não se esquecendo de pegar uma toalha antes. – Deus! É mentira né? Estou morta. Billy vai querer minha cabeça dentro de um vaso com água suja! – Falava ela enquanto tentava ensaboava seu corpo. Seu cabelo estava preso em um coque frouxo, fazendo com que alguns fios lhe caíssem sobre o rosto.

Ela ouviu um barulho vindo da porta do banheiro e tirou sua cabeça de dentro Boxer, podendo ver rapidamente Cold pegar suas roupas pela boca e sair de fininho.

- Cold! Ô Cold volta aqui! Me dá minha roupas! – Disse ela, saindo do banheiro enrolada em uma toalha, começando a procurar o pequeno lobo pela casa. E quando olhou pela fresta da porta da cozinha, foi empurrada para fora da casa, enquanto sua toalha era puxada para dentro da mesma, deixando-a nua, fora de casa.

podia muito bem quebrar a porta, mas já havia quebrando o microondas, e não queria ter que pagar castigo duplo então para ela tudo estava perdido. Pois não iria sair gritando:
-TIO BIL! TIO BIL! ESTOU NUA! JOGA UMA TOALHA PELA JANELA! – Isso estava fora de suas opções.

Em sua mente pairavam duas coisas:

Em uma maneira de castigar Cold.

E umas únicas palavras que falavam tudo que estava pensando:

Estava fudida.

No sentido abstrato, é claro.

-TIO! –Berrou mais uma vez, antes de algo lhe vir a cabeça: seu tio tinha saído... Tinha ido na casa de Sue. Que droga!

Deby olhou para baixo e fitou o tapete de boas-vindas.

-Se não tem tu, vai tu mesmo. –Resmungou e agarrou o tapete, enrolando-o no corpo. –Cold! Abre a porta! Eu vou te mandar de volta pro Brasil se você não obedecer! COLD! –Berrou, enquanto socava a porta. –Cachorro mau! –Gritou, pensando em um modo de entrar na casa que não envolvesse quebrar alguma coisa. –Como você trancou a porta?! –Choramingou para o cão que soltou um pequeno latido, como se estivesse se divertindo com a situação da dona.
suspirou, olhando para a casa, tentando encontrar uma janela aberta, uma madeira estragada, um buraco no chão, qualquer coisa.

-É praga da puta da Pâmela! Só pode! –Resmungou, mas ficou tensa ao ouvir passos atrás de si. –Ai meu pai. –Sussurrou, virando-se lentamente e dando de cara com um garoto alto, musculoso, moreno e lindo, com brilhantes olhos negros.

O ar faltou para os dois, o mundo ao redor deles pareceu não existir mais e os corações pareciam que tentavam saltar para fora do peito. Não era mais a gravidade que os seguravam na Terra, e sim a presença um do outro. Nada que alguém pudesse falar ou ser seria mais importante que o outro, todo o resto era insignificante.

Jacob não desgrudava os olhos daqueles orbes esverdeados e sentia as veias arderem pela vontade de tocar aquela garota linda enrolada em um... tapete.
Tapete. Isso pareceu despertar a ambos e fez corar absurdamente, enquanto Jake deixava sua testosterona lhe guiar, o que permitiu que os olhos negros deslizassem pelo escultural corpo da morena a sua frente.

pigarreou e o índio pareceu despertar do “transe” em que se encontrava, e ele logo tirou o casaco que usava, titubeando um pouco antes de avançar na direção da garota e estender-lhe a mão. O casaco foi prontamente aceito pela Shaw, que arregalou os olhos significativamente, enquanto ainda não encontrava a própria voz. Jacob sentiu a bochechas esquentarem e ele logo virou de costas para a “estranha”, apenas ouvindo a movimentação da garota atrás de si.

-Agora a calça. –A voz suave e feminina soou, fazendo o dono da casa virar-se assustado, mas desejando não o ter feito um segundo depois, deparando-se com o calor inumano que emanava dela que provinha do corpo extremamente próximo. –Brincadeira. –Finalizou e Jacob sorriu.

-Er, Jacob Black. –Falou estendendo a mão para a garota, que arregalou os olhos e puxou instintivamente o casaco mais para baixo. Jake olhou sua mão estendida e recolheu-a, passando os dedos entre os cabelos.

-Aí meu Deus! –Exclamou, escondendo o rosto entre as mãos e se encolhendo. –Não, não, não! É praga! Eu disse que é praga! –Continuou, espiando o garoto extremamente alto entre os dedos.

-Dá pra me explicar o motivo desse ataque? –Ele perguntou, se arrependendo por não ter segurado sua língua.

-Ah, é claro que você não se lembra de mim! –Ela exclamou, batendo o pé no chão de modo ritmado.

-Deveria? –Voltou a perguntar, titubeante.

-Não sei. –Deu de ombros e abriu um sorriso de canto. –O Tio Bil ainda guarda os desenhos que eu fazia de você? –Perguntou desafiante, cruzando os braços e arqueando uma sobrancelha, observando o Black franzir o cenho para logo depois arregalar os olhos.

- ?! –Exclamou assustado. –Caralho! –Deixou escapar e a garota jogou a cabeça para trás, gargalhando, mas foi surpreendida ao ser tirada do chão por braços quentes.
Ela não pode evitar arregalar os olhos em choque, afinal, estava sendo abraçada por seu maior “inimigo de infância”! Mas logo esse fio de “consciência” foi superado quando seu cérebro processou o quão delicioso era a sensação de estar tão próxima a ele, o que fez Déborah esquecer as picuinhas infantis e retribuindo o abraço, deixando-se desfrutar das sensações que Jake já desfrutava a um bom tempo.

-Sabe, algo está faltando nessa cena. –Ela comentou quando o “primo” a colocou no chão.

-Roupas? –Chutou, fazendo-a corar ainda mais e dar-lhe um “tapinha” no braço.

-Brigas. –Corrigiu. –E roupas. –Concordou em um resmungo e viu o Black procurar algo nos bolsos.

-E uma chave. –Completou, balançando o molho de chaves que logo foi agarrado por uma Déborah afoita por abrir a porta.

-Valeu. –Falou em um suspiro, olhando feio para Cold que dormia enrolada em suas roupas e sua toalha! Amanhã ela brigaria com aquele cachorrinho mimado. –Bem, acho que agora eu vou dormir. –Falou, sentindo-se subitamente incomodada por estar no mesmo espaço que ele.

-Ok. –Falou, sentindo-se incomodado ao pensar que ela se afastaria. –Boa noite então. –Murmurou e os dois se encararam por um tempo, ambos sentindo uma súbita vontade de avançarem para um “singelo” beijo de boa noite... na bochecha.
teve força de vontade suficiente para virar de costas e caminhar até seu quarto, sentindo o coração disparar ao perceber que o olhar de Jacob ainda queimava suas costas.

A garota se jogou na cama – já devidamente vestida – conseguindo organizar (pelo menos na medida do possível) os pensamentos em relação a Jacob Black – vulgo chato, feio e bundão, segundo sua consciência infantil. O que era aquela vontade louca de tocar seu antigo inimigo de infância, de abraça-lo, acaricia-lo... beija-lo.

Um rosnado surgiu no fundo do seu peito e escapou baixinho por seus lábios. Ela agitou-se ao socar e chutar seu colchão. Não se podia dar ao luxo de se apaixonar! Ela havia prometido, e cumpriria essa promessa... não cumpriria?

***

N/A: Oie amorees! Não me matem ok? Eu tava super ocupada estudando e agora vou ficar mais, HAHA. Os provas vão começar essa semana então... acho que só vou atualizar daqui a um mês T.T Mas acho que esse capitulo gigante compensa né? HAUSH Bem agradecimentos a minha Beta do coração, Pamy por ter feio o primeiro FlashBlack e ter me dado um forção nesse cap. O Cold aprontou não foi? KKK E agora que a PP e o nosso Jake se conhecem hein? Como vai ser daqui pra frente? E quando a Vaca-Bella der as caras ... Hm... NUM VOU CONTAR! Agora respondendo aos coments:
Abigail: Não vou desistir não flor! Só to meio empacada mas a partir de Outubro as atts vão vir mais rápido! Gostou do cap? Bjus! Comenta viu!
Ciça: Eu ri com o seu (pulando da cadeira modo ON) E pode deixar que eu peguei já esses beijos do Jake.<< Piada aqui. HAHA eu sei que a piada foi sem graça, eu nem sei se isso que eu escrevi ai pode ser considerado uma piada.rsrs Espero que goste do Cap! Bjos
Kammylla Fan: Brigada flor! Vê se comenta de novo viu! Quero saber mais sua opinião! Bjos
Lexy_Black: Bem acho que sua pergunta esta respondida não é? *-* e pode deixar que eu vou fazer o possível para isso acontecer ok? Bjoss
Anix: Brigadão flor pelo seu comente maior até agora na fic PM! E Eu também adoro caps grandes só que as vezes eles dão um trabalho... MAS E AI? Esse também tá grandão né? Kkkk E Desculpe pelos errinhos hihi, vou arrumar um tempinho pra consertar tudinho oks? Eu também gosto desse Sam mais animado, sem a posse de sério, por isso o coloquei desse jeito aqui na fic. Hummm quanto a mãe dá PP num posso falar... é segredo que só ela pode revelar sacou? KKKK E ai gostou do modo de que Impriting do Jake e da PP aconteceu? O.O Bjos
Graziella Alentejo: Brigada pelos elogios fofa! Continua acompanhando ok? Bjossss

Agora fiquem com o N/B da Pamy! =D

N/B: Pois é pessoinhas do meu coração, como ficou o imprinting? Foi cabreiro escrever essa cena, é muita responsabilidade u.u
Eu não sei vocês, mas euzinha estou empolgadérrima para ver o que a Deby vai aprontar e como a PP vai ficar com o Jake, capaz de logo, logo eles estarem rolando no chão... e não exatamente brigando *-*
Gente, COMENTEM! Essa semana eu quase peguei um avião e fui brigar pessoalmente com a Déborah quando ela disse que "estava desanimando com a fic e que estava pensando em pausa-la"! Isso é inaceitável! Então, me ajudem na campanha Continua PM Déhh!
Bem, acho que é isso. Ah, e qualquer erro ortográfico, ou decepção com o Flashback e o imprinting, xinguem a mim, beleza?
Beijos! Quem sabe dá próxima vez eu não dou as caras em uma N/A em uma fic minha?

33 comentários:

  1. Ai, ai amiga, sou a primeira a comentar *-* kkkk você sabe que eu adorei a ideia, não é? Então espero que as próximas atts venham logo!

    ResponderExcluir
  2. Hey, amei a introdução. Espero que o desenrolar da fic tbm seja assim.
    Parabéns >.<

    ResponderExcluir
  3. Ameie e estou louca pra saber o que vai acontecer.... só espero q meus amigos n me achem louca por ouvir o q eles n ouvem e nem eu pq afinal eu n sei o q esta acontencen nhé.... anciosa para o proximo capitulo!!!!

    ResponderExcluir
  4. Gostei bastante do começo e já estou querendo mais!!
    O Jake já se encontra cmg no próximo cap? *cruzando os dedos para a resposta ser sim*
    BjaO

    ResponderExcluir
  5. Adorei quero mais post !!! Não desiste da fic não hein!

    ResponderExcluir
  6. Adoreiiiii. Acabei de ler e tô super ligada *.*(pulando na cadeira mod on*).
    Continua postandoooooo
    To super ansiosa pelo próx. cap
    Beijos do Jake

    ResponderExcluir
  7. Ameei o começo da fic tomara que continue assim.....
    o Jake e a PP vão ter um imprinting???

    ansiosa aki pelo proximo cap.
    bjo

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Gente, esse cap foi grandão!! ADOROOO
    Ahh, mas essa Amanda é uma biscate msm né?!! Ô coisinha desclassificada u.u
    Nossa, deve ser um choque tremendo vc em uma hora correr super nervosa e arrasada pela floresta, e outra hora estar sobre 4 patas e com um monte de vozes masculinas falando na sua cabeça =X Pelo menos os garotos são legais e a PP vai se sentir em casa ;D
    Por falar em casa...Pq a mãe dela ficou tão daquele jeito em comparação ao Julio?? Ela ficou tipo, chocada e abalada...será só preocupação de mãe? pq eu acho que não é só isso??? hum...
    É tão legal ver o Sam sendo descrito de uma maneira diferente do Sam todo sério e bravo de sempre...eu gosto dele descontraído assim ^^
    E o Cold?? Será que ele é anormal de certa forma?? Coisas estranhas...AHHH QUE COISA!! Eu quero mais!! XD

    BjaO

    PS: Flor, eu notei alguns erros de gramática na fic...sempre leia tudo o que vc escreveu tipo umas 200 vezes - ok, exagerei um pouco - e depois peça p/ alguém ler mais uma 200 vezes, pq a gente muitas vezes não percebe quando escreve algo errado...eu só tô dando uma dica tá?! Não fique chateada pq eu tô adorando a sua fic!! XD
    Bjos de novo ;**

    ResponderExcluir
  10. = Leitora Nova =

    Ameei e com certeza apartir de agora vou acompanhar a sua fic...
    Está Maravilhosa
    Parabéns :D

    By: Graziella Alentejo

    ResponderExcluir
  11. Tá fazendo sucesso, hein dona Déborah? E nem entra mais no MSN para falar com essa humilde beta, snif. Sério nega, TU SUMIU! Assim PM vai demorar pra ser att, né não? Estou MEGA ansiosa para ver seu email com o capítulo na minha caixa de entrada *-*!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. nossaaaaaaaaaaaaa eu ameiiiiiiiiiiiiiii a sua historia muito bem escrita so falta uma coisa sabe oque postar os cap mais rapido eu ja viciei nessa historia agora se eu morre de curiosidade e culpa e sua kkk mas e serio o cap o mais rapido possivel

    ResponderExcluir
  13. nossaaaaaaaaaaaaa eu ameiiiiiiiiiiiiiii a sua historia muito bem escrita so falta uma coisa sabe oque postar os cap mais rapido eu ja viciei nessa historia agora se eu morre de curiosidade e culpa e sua kkk mas e serio o cap o mais rapido possivel

    ResponderExcluir
  14. nossaaaaaaaaaaaaa eu ameiiiiiiiiiiiiiii a sua historia muito bem escrita so falta uma coisa sabe oque postar os cap mais rapido eu ja viciei nessa historia agora se eu morre de curiosidade e culpa e sua kkk mas e serio o cap o mais rapido possivel

    ResponderExcluir
  15. nossaaaaaaaaaaaaa eu ameiiiiiiiiiiiiiii a sua historia muito bem escrita so falta uma coisa sabe oque postar os cap mais rapido eu ja viciei nessa historia agora se eu morre de curiosidade e culpa e sua kkk mas e serio o cap o mais rapido possivel

    ResponderExcluir
  16. Adoreeeei o capítulo!!!
    Essa PP é muuuuuito divertida. Me acabo de rir com suas estripulias. rsrsrsrs
    Despedidas são sempre péssimas, coitada da PP, deixar seus amigos não foi nada fácil, eles eram praticamente sua segunda família.
    Mas ela já chegou abalando, coitado do Daniel, ele que o diga. rsrsrsrs
    Pelo visto ela também já chegou encantando o pessoal de La Push, todos parecem estar se dando bem com ela, também com toda aquela empolgação, quem não se encantaria?!
    Ai, ai, ela e o Jake já se amavam desde pequenos, né, não?! "ironia on" rrsrsrsrs
    Sarah e Billy sabiam o que estavam dizendo afinal de contas.
    Ahhh, Cold, Cold, Cold, que cachorrinho mais sem vergonha, aprontou feio para a PP. rsrrssrs
    Esse encontro vai ficar na história. hehhehehe
    Adorandoooooo, bjssss!!!!

    ResponderExcluir
  17. to adorando a fic!!!! acho q eh a primeira vez q eu consigo comentar a fic!!!espero que dessa vez vá.
    beijao

    isabella b.

    ResponderExcluir
  18. Adorando muito espero ansiosa pelo próximo capitulo bjsss!!

    ResponderExcluir
  19. OH MI GOIDS!! ACHEI UM MAXIMO SUA FIC PF CONTINUA RAPIDO VIO ...ASASHAYSHA ##RI MUITO##*-*
    BJUS!!!

    ResponderExcluir
  20. Amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei,amei, eu REALMENTE ameisua fic posta mais !!!!!!!!! Adorei o encontro deles foi supehipermegapower íncrivel !!!!!!!!1

    ResponderExcluir
  21. Ahhh eu AMEI o cap de novo...e tava grandão mais uma vez *---*
    Eu demorei para cometar pq quando eu fui ler, só deu para eu deixar na página pq minha internet caiu bem na hora, pelo menos deu para ler XD

    Bom, vamos lá...
    AIMEUDEUS eu não sabia se chorava junto com a PP, ou se ria com a situação da despedida Y.Y Foi tão triste a PP ter que se separar do trio, eu me identifico bastante quando leio sobre a amizade deles, pq eu tenho amigos assim tbm, se bem que nós somos como todos os amigos da PP só que misturados HAUSHUAHSUA...enfim, foi bem ruim pq eu me imaginei me despedindo deles e me partiu o coração pensar nisso. A Pamy é quase igual a mim com o temperamento assassino dela e esse orgulho todo...eu ri demais dela ;D
    Gente, mas como uma pessoa só pode ser tão azarada e desastrada assim?! Confundir o carro do menino com um táxi e ainda por cima ser semi atropelada por ele enquanto corre para alcançá-lo, é muita doideira!!! HAUSHAUHSUAHSUAHUS' E só ela tbm para ter acabado de conhecer o garoto e já ficar trocando ferraduras com ele(mas eu confesso que adoro o sarcasmo dela), eu ri durante todo o diálogo, principalmente na parte da cotovelada na cabeça...eu fiquei pensando "Pq uma cotovelada na CABEÇA, assim do nada?" HAUSHAUSHUAHSUAHSUAHUS Ahh, mas eu ri muito ;)
    Eu nem vou me prolongar muito ao falar sobre o Billy não, pq p/ mim ele dispensa esse tipo de comentário...ele é simplesmente O CARA MAIS FODARÁSTICO DA FACE DA TERRA U_U Só. Eu queria que ele fosse o meu tio(mas tinha que ser de consideração né, pq senão eu iria ser parente próximo do Jake e aí não rola...se é que me entende ;D)
    Esse flashback da PP me lembrou da minha infância e de como criança é tão bobinha e engraçada brigando...no caso dos dois, tava na cara que aquilo ia dar treta; eles se engalfinhavam demais...e eu tbm maliciei MUITO desde a parte do "rolando no chão" ;X

    Ai eu adorei o momento "Billy jogando video game", foi tão divertido imaginá-lo matando zumbis no X-box, todo descolado...eu disse que ele era foda n.n
    Os meninos não tomam jeito msm né?! Achei muito bem feito a PP chegar soltando os cachorros para cima deles msm u_u Coisa mas inusitada foi um duelo de boxe no video game como revanche por eles não terem avisado a ela sobre o lance de ficar nua...HASHAUHSUAHSUAHSUAHUSHA
    E por falar em inusitado...eu não disse que ela era azarada? Como? Eu pergunto, COMO tantas coisas podem acontecer à uma pessoa de uma vez só?? HAUSHAHSAUHSUSHUSAHSDGUAUAHU CÉUS! Esse cãozinho tbm, né? Tenho até que dar um desconto para ela pq esse cão não é normal não...a inteligência dele é muito maligna para se lidar sozinha o_o AHUSAHUSHAUHSUA Mas ficar presa do lado de fora da casa e ainda por cima PELADA foi covardia demais! Chorei de rir mano :´D Hj eu estava vendo o filme "A nova cinderela - Era uma vez uma canção" e eu vi essa cena dela pelada e enrolada no carpete da entrada e eu pensei "CARAMBA! A PP tah ali!!" Eu meio que fiquei esperando o Jake aparecer no filme, apesar de que o garoto do filme tbm não seja nada mal rsrsrs...BOOOMMM, vamos voltar né?!! XD
    O MEU LOBINHO APARECEU!!! \O/
    D-E-U-S! Como descrever a sensação de estar nua, enrolada num carpete(eca) e ainda dar de cara como um nativo LINDO, CHEIROSO, PERFEITO E GOSTOSO atrás de vc? Sorte ou Azar? Para mim foi sorte (666'..e não podemos esquecer do IMPRINTING!! Será que ele notou o que rolou? Pq a PP ainda não sabe das paradas do imprinting pq ninguém falou para ela ainda, mas e ele? Ai será que ele fala no próximo cap?? Ahhh eu quero saber o que vai acontecer, pq se a PP ficar com essas besteiras de briguinhas de infâncias eu atravesso o PC e esgano ela ò.ó Não sei como ela conseguiu força de vontade para virar as costas e ir dormir, pq sinceramente...eu teria pulado no colo dele e dado um beijão ainda u.u #FALOMSM

    Acho que eu escrevi demais >< Vou ficar por aqui, e a senhorita trate de postar mais, pq tah muito legal u.u HUSHUAHSUAHSUA

    BjaO

    ResponderExcluir
  22. muito engraçado essa cena da pp enrolada na toalha dando de cara com o jake e digo mais dou a minha mão a palmatoria porque se fosse eu já teria agarrado o lobinho com certeza!!!!! rsrsrs
    acabei de chegar TFI mais tó amando só desejo que essa fic continue!!

    ResponderExcluir
  23. Estou a adorar esta fic :-) Achei bastante divertida a travessura do colt, o que fez que eu fosse "secada" por aquele gato do Jake. Pelo que vi esta fic vai dar que falar, por isso nao pare de atualiza-la, pois eu vou segui-la ate ao fim. Beijos, espero ansiosamente pela continuaçao

    ResponderExcluir
  24. Estou a adorar esta fic :-) Achei bastante divertida a travessura do colt, o que fez que eu fosse "secada" por aquele gato do Jake. Pelo que vi esta fic vai dar que falar, por isso nao pare de atualiza-la, pois eu vou segui-la ate ao fim. Beijos, espero ansiosamente pela continuaçao

    ResponderExcluir
  25. NOSSA !! muito legal essa fic divertida e romantica me diverti pacas com o cold.
    mas confesso que me deu um tipo assim suspiro basico só de imaginar aqueles musculos me abraçando, aiai!
    quero só até quando a pp vai se fazer de dificil !
    acabei de chegar na tfi e sem comentários! adorei tambem deixei um recado no seu blog!
    E PELO AMOR DE DEUS NÃO PARE!!
    EU TO AQUI ACOMPANHANDO!

    ResponderExcluir
  26. AMANDO A FIC! *-*

    Poste logo, mulher. Sem enrolação, por favor! rs

    Continua *-*

    ResponderExcluir
  27. Meu deus! Essa fic é hilaria hahahaha! Adorei! Adorei o momento do Jake e da PP no finalzinho... E o Cold hein... Lobo levado! u.u
    posta mais pls

    ResponderExcluir
  28. A FIC é ooootima!!! e muito engraçada tmb. Tenho que dizer que a Amanda dispensa comentários né? Não vale a pena, acho que se pudesse ela pegaria até o SEU MADRUGA E CIA. KKKK... ai, ai. O lance de ficar pelada na floresta foi muito tenso, cara, OMG!!! E AGORA?. As novas amizades: deve ser + que legal ter os meninos do bando como amigos eles são verdadeiros e divertidos à beça. Amo essa fic.bjos

    ResponderExcluir
  29. Gente! PARA O MUNDO QUE EU QUERO DESCER!!! a PP parece que é AZARADA MSM,viu um gato preto afinal? ficar pelada 2X e pior,a ultima por armação de um ser não identificado chamado COLD, minha filha, esse BICHO + QUE ESTRANHO CHAME O EXORCISTA NOW!!!. Eca!!! ter que enrolar em um tapete é + que nojento... e se não bastasse, um homem mega gostoso aparece na hora e ele é ... JACOB BLACK?! Anão! daria um PIRIPAQUE TOTAL, ou CORRERIA para o HOSPÍCIO,ou CAVARIA UM BURACO E SE ENTERRARIA ou IMPLORARIA A ABDUÇÃO DE ET. E o
    JAKE ainda fica secando em 3D? é pedir para ter um AVC com certeza>>>kkkkkk.... MAS o IMPRINTING será... Ha! Adorei o jeito do Bill e do Sam foi demais!!!Essa fic promete tá linda d+++ posta+++ curiosa ao extremo BJINHOS.

    ResponderExcluir
  30. POR FAVOR DEBORAY, POSTA + CAPIT. depois de ser SECADA POR JACOB BLACK, e com o imprinting, então? o CORAÇÃOZINHO FICA A MILLLL.....quero ver como ficará a relação entre eles HUMMMM....será entre TAPAS E BEIJOS por causa das BRIGUINHAS DE CRIANÇA Ha! não sei...Conta, vai! essa fic irá surpreender e muito, posso apostar. Bjos

    ResponderExcluir
  31. Adorei continua super Mega hiper rápido

    ResponderExcluir
  32. Amei de mais sua fic,continua pleaseeeeee quero saber muito o que vai acontecer! <3

    ResponderExcluir