21 de janeiro de 2013

A Eleita by Miss Félix

| |


A Eleita








Prólogo



“Uma lenda verdadeira jamais seria esquecida pelo tempo assim como Ephrain Black e toda a sua linhagem jamais seriam.”

“...Era uma noite fria e chuvosa, os frios andavam circundando as terras quileutes e drenando suas vítimas sem misericórdia e só havia uma única esperança para o povo daquela tribo. A união de duas linhagens seria a fonte de fortes guerreiros que seriam capazes de pôr um fim na guerra contra os sem alma...
-É como já diziam nossos ancestrais , só uma mulher de linhagem forte e de sangue nativo será capaz de procriar um filho do alfa , o sangue dessa nativa é místico . Dizem que ela será a quileute mais bela que jamais vimos!
-Ephrain! Pare de contar essas lendas para as crianças, elas são tão pequenas ainda para se assustarem com nossas histórias.
-Mais eu não falei nada de mais querida, nada que um dia quando os frios voltarem aqui eles conhecerão pessoalmente. Só estou antecipando as coisas.
-Nada de frios, guerras, lendas do nosso povo ou profecias, deixe eles serem crianças!
-Tudo bem! – Ele se deu por vencido – Vão correr crianças e aproveitem enquanto podem.
As crianças da tribo correram para todos os lados em frente à casa do grande Ephrain Black.
-Querido, eles só tem cincos anos, quando chegar a hora deles conhecerem nossas lendas, os anciões se encarregarão de fazer a inicialização além do mais essa lenda das duas linhagens é apenas isso, uma lenda.
-Vai me dizer que estou me preocupando à toa? Que os sem alma não existem? – O velho guerreiro fez um silêncio assustador – essa calmaria só quer dizer que os frios estão a espreita, só esperando a hora de atacar e não teremos ninguém para nos proteger.
O poderoso chefe deu a volta para dentro de casa deixando sua mulher grávida para trás.”


UM

Hoje.

POV JACOB

Essa indecisão de Bella me mata, não posso permitir que ela abra mão da própria vida por causa daquele chupa-cabra! Ela é minha!
Cada vez que penso nas dispensadas que levo por causa dele meu corpo treme em espasmos que não sei controlar, meu mal humor agora é constante e eu não sei explicar como tenho febre de mais de 40° e não fico doente...tem coisa errada nisso tudo, ah se tem!
-Jake? – meu pai me chamou da porta.
-Que é? – resmunguei.
-Precisamos conversar . Sério! – meu pai tentou soar intenso.
-Ah pai me deixa dormir! – reclamei colocando o travesseiro na minha cabeça.
-Sam está aqui, desça logo!
Ouvi o velho se afastar com a cadeira fazendo o piso ranger mais nada explica o que o reizinho de La Push está fazendo aqui na minha casa. O que ele quer? Que eu me curve a ele?
Desci preparado para brigar e tudo que vi foi a minha sala amontoada de ex-amigos que se bandearam para o lado do reizinho da cocada preta.
-Jake, bom...metade deles são seus amigos e dispensa apresentação mas quero que conheça Samuel Uley. – meu pai falou.
-Seja lá o que diabos vocês queiram comigo não vão conseguir e por favor ponham-se daqui para fora! – falei firme dando as costas.
-Sim Billy, está acontecendo. – Sam falou me fazendo voltar e encará-lo.
-Vão ficar aí falando de mim como se eu não estivesse aqui? – perguntei irritado, meu corpo queimando em febre, estava suado.
-Jake precisamos te revelar uma coisa...- meu pai disse antes desse tal Sam começar a falar.
-Jake vou ser curto e grosso, metade das lendas que você ouviu falar são verdadeiras.
-E daí? – cruzei os braços.
-Já ouviu sobre nossa capacidade de mutação?
-Ok, tá querendo dizer que somos capazes de nos mutar?
-Somos todos transmorfos e você também é, está em fase de transformação Jake! Olhe os sinais!
-Que sinais Samuel? Eu só sou um adolescente comum! – soquei a pilastra fazendo um grande pedaço de madeira se desfazer em minhas mãos.
-Viu? Viu o que fez? – Sam continuou calmo – Você tem muito o que aprender Black, assim como seu avó foi um grande homem, o mais poderoso da matilha, você também será. Eu passei por tudo sozinho até ser capaz de controlar minha ira e minha força e só estou no seu lugar porque você ainda não está pronto para ser o alfa, assim que estiver pronto saio do posto que é seu por direito.
-Você ouviu as merdas que disse? Tá fumando baseado, cara? Vai se tratar!
Dei as costas e continuei a subir as escadas até que ele ousou tocar no nome da minha Bella.
-Você está assim porque a Bella rejeitou o seu amor, não é?
Imediatamente voltei com o peito inflado de ódio e os dentes à mostra , pronto para quebrar a cara dele mais os idiotas que o seguiam como cachorrinhos ficaram no meio.
-Não. Toque. No. Nome. Dela! – cuspi as palavras.
-Você não pode se envolver com ela Black, ela não é mulher para você! Quando estiver disposto a conversar você sabe onde me encontrar. Mais pense bem, essa febre que não cede, essa ira instantânea , esse sono anormal e essa necessidade de protegê-la do Cullen tem um por quê e são os seus instintos e o seu sangue que vão te explicar tudo.
Ele estalou os dedos e todos os seus seguidores partiram com ele.
-Quanta loucura foi essa pai? Enlouqueceu? Sabe que eu odeio esse cara! E deixa ele entrar na nossa casa para dizer que sou...que sou...
-Transmorfo filho.
-Mutante sei lá o quê!
-Filho entenda, afaste-se de Bella antes que você a machuque... fisicamente falando, enquanto sua transformação não acabar preciso que fique longe dela e dos Cullen, entendido?
-Tá tá – disse irritado – não machucaria Bella por nada nesse mundo. – disse sentindo uma dor alucinante dentro do peito só em pensar em machucar a garota que eu amo.
-Mais machucaria o Cullen e se fizer isso, acaba o trato de paz que seu avó fez com o doutorzinho. Você não é um lobisomem experiente e eles são vampiros fortes e ágeis , não duraria 2 minutos numa briga.
-Velho, você está maluco! Não existe lobisomens ou vampiros e o meu comportamento só tem haver com meus problemas com a Bella e não porque estou me transformando em uma bizarrice.
-Ah então vai dizer que está tendo febre porque está doente de amor? – o meu velho ironizou – Conta outra filho! Você tem o sangue do mais poderoso líder dessa tribo, a do seu avô, você terá que aprender sobre nossas tradições e aceitar que Bella não é para você .
-Pai não existe outra para mim! – rugi.
-Ah tem sim! A profecia diz que duas linhagens poderosas irão se unir para nos fazer mais fortes.
-Do que raios o senhor está falando?
-Que você tem uma prometida filho! Só existirá uma mulher que será capaz de te amar de verdade e que será forte suficiente para gerar um filho teu e ela será sua companheira para sempre!


DOIS
Algum tempo depois.
FLASH BACK ON...
Não foi fácil dormir a noite com meu cérebro funcionando a mil, esse papo de que eu machucaria a minha Bella e de que sou o alfa só deu sabe do quê, esse papo de poder e seres sobrenaturais estava me consumindo isso quando não era a Bella e aquele Cullen nojento martelando na minha cabeça.
Olhei para o relógio na parede e vi que ele marcava meia noite. Não suportando mais a rejeição de Bella ou aquela inquietude pulei da cama sem fazer barulho e aquilo era estranho, de repente virei um cara preciso e não mais estabanado , desci as escadas de dois em dois degraus e saí pela porta da cozinha.
Meu coração só gritava por Bella, minha amiga de infância, por quem fui apaixonado desde que tinha 4 anos de idade. Meus hormônios clamavam por um beijo dela, por ter ela nos braços e tudo o que tinha era uma amizade pouco colorida que vinha dela. Isabella Swan era outra garota quando estava comigo, tinha vida própria, sorria, era ela mesma e era isso que eu amava nela. Além de amar o fato de que eu sei que ela me ama.
O frio que vinha da mata não me fazia encolher, na verdade eu estava com calor, estava fervendo.
Um vulto por entre as árvores me fez girar em torno de mim mesmo para avaliar o perigo. Pensei ter visto grandes olhos me encarando mais talvez fossem corujas. Continuei entrando na floresta sendo margeado apenas por sombras, vultos e ruídos dos animais noturnos e a cada passo que dava mais sentia que estava em perigo. Em um átimo de segundo, minha cabeça fervendo e meu peito inflado de adrenalina, senti meu peito se rasgar em um calor absurdo , não compreendia nada daquilo , caí por terra em quatro patas pela primeira vez e imediatamente meu subconsciente sabia o que fazer. Pulei em cima da sombra que me seguia rosnando a dois centímetros ...de um focinho gigante?
“o que raios está acontecendo comigo?”- pensei ignorando meu oponente.
“Calma cara, somos só nós!” – uma voz disse dentro da minha cabeça.
Imediatamente me agachei tentando acordar daquele pesadelo, um zilhão de vozes falando ao mesmo tempo dentro da minha cabeça e tudo o que pude fazer foi grunhir apavorado. Dei dois passos acuados para trás e observei grandes lobos ao meu redor.
“Saiam de cima pessoal, foi a primeira transformação dele”
“Ótimo tô sonhando” – eu pensei e ri ou meio que lati, sei lá.
“Não é sonho Jake, é a sua condição. Bem vindo à matilha! Sou o Sam e o restante você reconhecerá”
“Se isso não é sonho ...como eu me transformei nisso? Como volto a ser um cara de duas pernas?”
“Do mesmo jeito que deixou o calor te consumir fazendo você explodir em um grande lobo vermelho você vai deixar o processo inverso ocorrer.”
FLASH BACK OFF...
Acordei atordoado na minha pequena cama que mal suportava meu peso, pulei pela janela e sem fazer barulho toquei o solo. Precisava vê-la pela última vez, algo me dizia que nada ia bem. Bella definitivamente escolheu perder a alma para viver ao lado daquele chupa – cabra que desfrutar o nosso amor, um amor inocente e sadio.
Tirei a bermuda e pendurei num galho de uma árvore e tão logo o costumeiro fogo me queimou o peito transformando-me em um lobo veloz e imponente.
Corri tão rápido que as árvores eram apenas borrões. Pouco tempo depois estava eu a espreita da janela dela, mas o fedor que queima minhas narinas me impediu de me aproximar...suspirei cansado. Mais uma noite Bella dividiria sua cama com ele...
Arrasado pela aproximação do casório deles só havia uma coisa a se fazer. Ir embora. Não podia suportar vê-la se transformar num deles, perdi a razão pela qual aceito essa coisa de mutação. Pela primeira vez uma imprintada rejeitou o amor incondicional de um quileute.
Grande coisa ser neto de Ephrain!
Ter sangue de alfa não fez Bella me aceitar, ela sempre iria querer ter a proteção e o amor insano de um vampiro à segurança de um amor de um amigo lobisomem. Mais não estava mais disposto a dar o ombro para ela chorar suas amarguras...não podia mais! Era intenso demais e avassalador demais a dor dessa rejeição.
Ia dando meia volta quando ouvi seu coração batendo forte de repente.
O que houve Bella? No que está pensando?”
Em nada! – ela mentiu e eu soube que era em mim que ela pensava.
Sabia que você não sabe mentir? Que está pensando nele e não quer dividir isso comigo!”
Juro que não Edward” – mentiu outra vez e eu quis sorrir.
Sabe o que me irrita nisso tudo?” – ele perguntou.- “saber que você mente para mim por causa dele, isso faz ele ter esperanças Bella! “– ele a advertiu e por incrível que pareça ,concordava com ele. – “Posso sentir a confusão que você faz na cabeça dele, primeiro a dor da rejeição depois a esperança, quando você pensa nele, quando você o procura”.
Mas nada muda o que sinto! Sou egoísta sim Edward! Não quero perder a amizade dele nunca, não posso perder você de novo! É você com quem quero viver a eternidade, é você quem deve tocar meu corpo, Edward. Só você!”
Ouviu isso Black? Volte para sua ronda” – ele disse para mim, sabia que tinha sentido meu cheiro quando cheguei, só queria que eu ouvisse ela dizer que sou um perdedor, que ela me preteriu por ele.
Edward!” – ela reclamou com ele e correu para janela para me ver.
Fugi como um tolo sentindo meu peito doer, odiava aquele leitor de mentes sabendo cada coisa que se passava na minha mente, já não era ruim o bastante ter que dividir meus pensamentos com a matilha?
Corri para La Push e me transformei em homem de novo. Não queria que me vissem chorar...mais quem iria me ver ali aquela hora?
Pulei no mar revolto só para sentir a adrenalina espalhar pelo meu corpo e foi aí que ouvi uma voz me chamar.
Nadei de volta para a praia e a voz continuava a sussurrar.
Não te assombres menino...sou a voz do destino!”
-Quem tá aí? – perguntei tentando cobrir minhas partes.
Ouça-me com atenção, não te preocupes com a tua nudez. Não vim aqui para isso...sua verdadeira alma gêmea está oculta pela fragilidade . A lua a trará até você e não importa quanta dor você sinta agora meu menino, você tem os xamãs ao seu favor e serás abençoado com filhos fortes.”
-Que brincadeira é essa? Quem tá falando? – nada respondeu a não ser as folhas das árvores que se moviam estranhamente para mim.
O imprinting é diferente para o alfa. Menino, quando chegar a hora da lua, você será capaz de desligar suas emoções falsas e reconhecer as verdadeiras. Só um guerreiro iluminado pelo sol pode ativar ou desativar a ‘impressão’ , essa é a sua condição diferencial. Não deixe que a dor te destrua rapaz, o bem precisa de você, lute! O dia da lua virá e com ela a tua salvação”
Me senti um idiota apavorado, a voz se foi e eu me vi sozinho cercado pela floresta e pelos penhascos tendo à frente uma praia agitada.
Deixei o fogo me consumir e voltei para casa. Vesti a bermuda que deixei na árvore e entrei com tudo pela porta da sala. Escancarei a porta e meu pai logo mudou sua expressão ao me ver.
-O que houve?
-O que sabe sobre “a voz do destino”? – perguntei duro.
-Você a ouviu? – ele parecia entusiasmado e eu não entendi o porque.
-Pai! – chiei.
-Tudo bem, diz as nossas lendas que apenas os necessitados de uma razão para viver podem a ouvir. – ele rolou sua cadeira para mais próximo , retirou seu chapéu de cowboy e me olhou firme – O que ela te disse?
-Um monte de coisa sobre eu ser um guerreiro abençoado pelo sol e sobre a minha salvação que vem da lua ou sei lá o que! Estava apavorado para prestar atenção.
-Tente se lembrar, isso pode mudar nossas vidas filho!
Forcei a mente até encontrar algo, mais tudo que vinha era a palhaçada de Edward ,a dor veio e a voz também.
-Falou que os xamãs estão ao meu favor e sobre filhos fortes e também falou algo sobre eu ter uma condição especial sobre a impressão.
-O que ela disse sobre sua capacidade de imprinting? – ele arqueou a sobrancelha curioso.
-Que eu posso “desligar” sei lá, é como seu eu pudesse escolher com quem sofrer essa maldita impressão.
-O destino não falha jamais. – ele disse dando por encerrada a conversa.
Voltei para meu quarto e tomei um banho para esfriar a mente. Do jeito que estava me larguei na cama, completamente molhado e nu , fui gradativamente caindo em uma letargia até dormir pesadamente.
Comecei com um sonho bom, era verão e Bella estava comigo e usava biquíni , ela parecia feliz vivendo ao meu lado e do nada ela se foi com o sopro do vento e todo o verão se transformou em uma primavera. Era estranho não sentir mal, Bella se foi e mesmo eu me sentindo vazio sem ela a primavera também me caía bem.
Estava sozinho e fazia pouco frio, apesar de não enxergar muito adiante eu estava bem. De algum modo eu estava bem.

___________________________
N/A E N/B : 
Entãoooooooooooooo lindas? Gostando da estória? Devo relembrá-las que esta fic é 18+? Pode conter palavrão, violência e com certeza estupro. Voltando ao capítulo...o que acham que a voz do destino quis dizer afinal? O que ele sente por Bella é o imprinting que ele pode *desligar* ou era apenas amor?
___________________
TRÊS
Levantei passava do meio dia e meu pai estava agitado tentando limpar a casinha da bagunça ao lado da minha oficina. A ronda havia acabado comigo assim como saber que em 24 horas Bella seria uma Cullen e não uma Black no meu sonho maluco.
-O que faz aí , pai?
-Receberemos visita.
-Quem?
-Lembra dos Vighi? – ele disse jogando um monte de coisa pela janela.
-Não muito, o senhor Vighi morreu na mesma época em que o senhor se entrevou nessa cadeira...? eu era muito pequeno para lembrar deles.
Depois de me esforçar para lembrar capturei flashes da minha infância.
-Eu costumava brincar com o filho dele, né?
-Filho? Os Vighi não tiveram filhos.
-Han...- fiz cara de idiota e comecei a ajudar o velho na arrumação.
-Filha.
-O quê? – perguntei.
-Os Vighi tiveram uma menina. . Não lembra dela? Antes de você ser obcecado pela Bella aos quatro anos você era um grude só com a .
-Não me lembro. – dei de ombros. – Porque essa visita agora?
O velho suspirou cansado e temeroso.
-Pai?
-A mãe dela, Christine, me telefonou enquanto você estava na ronda e pelo que parece Leah não será a única loba no bando.
-O quê? – foi o coro de vozes que surgiu. Embry, Quil e Jared chegavam no momento e todos ficaram surpresos. E eu? Fiquei irritado!
-Elas estão voltando e chegam hoje à noite. – ele informou – já que os mocinhos estão aqui, joguem essas tralhas fora, Quil, tem uma cama desmontada na garagem traga para cá, Jared, pegue um esfregão e limpe esse chão. O resto de vocês me sigam!
Era tudo o que precisava! Na véspera do dia mais importante da minha vida, o dia em que perderia a única mulher que amei e que amaria, chega uma novata no bando.
-Sam precisa saber – eu disse. – ele é o alfa.
-Pode crê – Embry concordou.
-Ela mora em que região? Parece que ela vem de longe e isso não faz sentido por que o surto de transformações só acontece com pessoas próximas a grandes aglomerações de vampiros ou em La Push, até onde sabemos a maior concentração de vampiros está em Seattle e região.
-Embry, quando você ficou tão inteligente? – zombei e ele me deu um encontrão de corpo.
-Existe uma coisa estranha nisso pessoal mais prefiro falar apenas com o Sam presente. – o velho Black disse entrando em casa.
-Boa tarde, o que houve? – Sam entrou pela porta meio segundo depois e essas aparições dos caras na minha casa já estavam começando a me irritar. – Jared me telefonou...
-E tem mais uma entrando para o bando. – informei.
Sam colocou as mãos na cintura e deixou sua cabeça pender .
-Então...uma, quem é? Não me lembro de nenhuma quileute com mais de 8 anos de idade que possa estar passando pela transformação.
-Sam, quando você só tinha 10 anos de idade vivia aqui na reserva uma família chamada Vighi, Tom Vighi morreu pouco depois que Jake nasceu. Christine não aceitava a morte do marido e decidiu ir embora daqui com a filha ainda pequena, a menina e Jake tinham três anos. Hoje elas vivem no Brasil.
-Brasil? – repetimos juntos.
-Então a questão é, o que justifica uma nativa que vive em um país tropical, portanto faz sol e até onde sei vampiros não suportam céu aberto e verão, está passando pela transformação?- eu questionei.
-Bingo! – Sam falou pensativo.
-Mais tenho outro palpite...- Billy disse.
-Poderia até ser culpa dos convidados do casamento...- Embry começou e se calou.
-É , se ela estivesse aqui por perto. –falei contrariado.
-Hoje faremos uma reunião com os anciões da tribo, é dia de lua cheia, eles saberão o que está acontecendo.
[...]
Cansado das rotinas de ronda e muito estressado com o casamento da minha Bella decidi interferir pela ultima vez na decisão absurda dela. Ia até a casa de Charlie e imploraria se fosse necessário para ela desistir dessa loucura de casar com um vampiro. Até aceitaria de bom grado se ela desistisse dele e não ficasse comigo, ao menos sua alma estaria intacta e sua mortalidade estaria preservada.
Estacionei a moto em frente a casa de Charlie que saia no exato momento.
-Boa tarde filho! – ele disse me olhando com pena.
-Boa, Charlie. Melhor ainda se eu conseguir persuadir sua filha da burrada que vai fazer amanhã!
Ele suspirou e pude ler em seus olhos algo que dizia “vá em frente , a faça mudar de ideia e faça um favor a nós dois”.
-Boa sorte então.
Ele saiu e eu entrei na casa, havia muitas caixas de mudanças espalhadas pela sala. Logo Bella apareceu na escada e ao me ver abriu um radiante sorriso , ela correu escada a baixo e se jogou em meus braços.
-Meu amigo! – ela disse e eu preferi mil vezes ouvi-la me chamar de meu amor. Pela minha carranca ela percebeu. – qual é Jake? De novo isso?
-Eu só...não te entendo. Como pode amar a nós dois ao mesmo tempo? Como pode preferir a imortalidade, viver sem alma, fria e dura como uma pedra ao invés de viver ao meu lado, cuidando dos nossos filhos e das nossas famílias.
-Por favor Jake! – ela pediu quase chorando e me apertou ainda mais no nosso abraço. – eu amo você e não importa se vampira, humana ou até mesmo morta! Eu sempre vou amar você e terei sempre você em mim! Não me peça pra ignorar o que sinto por ele. Sempre será mais forte do que eu sinto por você!
Imediatamente a soltei fazendo questão de mostrar minha zanga.
-Ele só pode ter te enfeitiçado! – disse me sentando no degrau da escada.
-Não é feitiço, é amor.
-Rá Bella! E o que sentimos um pelo outro é o quê? Pelo que eu me lembro foi você quem me pediu proteção, carinho, amor quando ele te abandonou. Foi você quem quis fugir desse lugar ao meu lado!
Depois de um breve momento de silêncio voltei a falar.
-Você sufocou o que sente por mim por causa dessa sua estúpida dependência que criou dele, você muda na presença dele, você é como um cão domesticado Bells! Não tem vida própria e ao meu lado você nunca foi tão humana. Viva, feliz, sorridente, esperançosa...quente! vai dizer que não sentiu o calor te consumir quando nos beijamos?
-Isso não é justo Jake! – ela disse entre soluços
-Não é justo? – repliquei. – não é justo o que você faz com nós dois, principalmente comigo, porque ao menos ele te teve mais do que eu. Eu sempre tive uma Bella receosa, ferida , assustada e muito passional e eu estou disposto a tirar seus medos, cuidar de você, daria a minha vida para te proteger, pagaria o preço que fosse só para te ter ao meu lado como minha esposa. Você seria a dona da minha vida.
De repente não era só ela quem brigava contra as lágrimas. Bella sentou ao meu lado e entrelaçou nossos dedos deixando sua cabeça descansar no meu ombro.
-Me perdoe por tudo que te causei, sei que sou egoísta por querer ter os dois sempre do meu lado mas não vou voltar atrás. Já fiz a minha escolha Jake. Escolho dividir minha vida com Edward, meu coração e minha alma. Escolho amar você como um amigo, mais que isso! Te escolho como...
-Step, o plano b, você me escolhe para ser seu porto seguro, seu guarda costas, amante. Bella admita, sempre serei o outro, a segunda escolha em tudo na sua vida e isso não é justo!
Me levantei enxugando as lágrimas com as mãos e alcancei a porta.
-Não é justo com meu coração o que você faz com ele, mais já que você fez a sua escolha eu te peço para não dirigir mais a palavra à mim, você para mim morreu Bella.
-Jake não fala assim! Não pode me dizer essas coisas! – ela gritou e me socou no ombro.
-Não conte com seu padrinho de casamento... e adeus Bella. Para todo o sempre! Mais logo você vai entender esse lance de “para sempre”, muito em breve todos ao seu redor irão morrer incluindo a mim, quando esse surto de vampiros acabar todos os lobos vão voltar a envelhecer e aí eu não serei mais problema para você.
Saí batendo a porta sentindo uma dor sufocante no meu peito, parecia que estava morrendo aos poucos com requinte de crueldade. Montei na moto e vi Bella abrir a porta e correr chorando em minha direção, mais já era tarde.
[...]
Passei o resto da tarde até anoitecer sentado no alto do penhasco apenas remoendo a dor dilacerante . Não sabia que amar e não ser plenamente correspondido doesse tanto. A lua estava plena no céu , a dor me matava por dentro mais não adiantava chorar o leite derramado, minha decisão havia sido tomada.
Desci do alto da pedra e sob quatro patas corri de volta para casa . Chegando próximo vi uma agitação anormal e só aí me dei conta que havia esquecido a reunião mais pouco me importava sobre as reuniões do conselho. Eu estava decidido a viver sob quatro patas bem longe dali.
Uma fogueira estava bem ao centro como de costume, a matilha estava reunida, todos sentados lado a lado com suas impritadas e como sempre Leah de cara emburrada estava sentada mais afastada. Meu pai me olhou sério por causa do meu atraso então corri para o quintal e deixei o fogo costumeiro me transformar de volta no idiota adolescente que estava morrendo por amor.
Como fiquei piegas!
Tomei banho e ignorei os olhares de todos, uma mulher que eu não conhecia estava sentada ao lado do meu pai, Sam segurava as mãos de Emilly com firmeza e ela tentava transmitir forças para ele. A coisa parecia séria.
Sentei ao lado de Seth e sussurrei. – O que diabos tá acontecendo? Quem é essa? – mais ele nem teve chance de responder.
-Que bom que não esqueceu da reunião Jake. – Sam começou – só faltava o neto de Ephrain nesse conselho.
-Bom, estou aqui não estou? Além do mais não decido nada aqui! Você é o alfa e o meu pai é descendente direto de Ephrain, portanto ele é mais importante que eu nessa reunião. – fui bastante taxativo.
-De qualquer forma – meu pai interrompeu – queremos te apresentar a Christine Vighi.
-Jacob você cresceu! É quase um homem feito. – a mulher que muito me lembrava Sue Clearwater disse. – Faz muito tempo meu querido, como está?
-Bem. – respondi seco. – então cadê a nova loba do bando? É pra isso que estamos aqui, não é?
Cruzei os braços em deboche e coloquei na cara um sorriso cínico.
-Jacob, depois vamos conversar – meu pai me repreendeu com seu tivesse 5 anos. Bufei e virei o rosto por breves segundos que mais pareceram uma eternidade. A lua estava cheia e incrivelmente perto, me perdi olhando para ela, meu lobo se agitou querendo correr e uivar para ela. Porém um cheiro feminino e desconhecido me invadiu e fiquei entorpecido sem nunca tirar os olhos da lua.
Uma sensação de paz me invadiu e a dor sumiu, pelo menos era o que eu achava. Meu sangue começou a circular mais rápido, meu coração estava em colapso e eu tinha certeza que iria morrer de ataque cardíaco fulminante ali mesmo.
-jake? – alguém me chamou e eu procurei o dono da voz. Era Seth me cutucando com o cotovelo.
Uma garota saiu de dentro da minha garagem, ela usava um vestido tipo aquelas que as garotas hippies usam, era longo e colorido, ela tinha um piercing discreto no nariz e usava brincos artesanais e um colar de madeira. Ela era mais alta que Bella, devia ter lá seus 1,73 de altura, era morena como qualquer quileute, tinha olhos escuros e os cabelos lisos e pretos preso em um rabo de cavalo.
De fato ela era muito bonita mais em nada se parecia com as mulheres da tribo, ela tinha um ar vulgar apesar da timidez aparente.
-Segura o queixo Embry! – eu zombei e ele me olhou feio. Eu ri do meu amigo.
-Pessoal, esta é . – um ancião disse.
- seja bem vinda de volta! – Seth respondeu.
-Obrigada – ela disse com um sotaque forte.
- estes são Sam, Paul, Quil, Jared, Embry, Seth, sua irmã Leah, e meu filho Jake. Você se lembra dele, não se lembra?
-Vagamente. – ela disse olhando e sorrindo doce para mim. Fingida! Essa cara de boa moça não me enganava. – tenho duas fotos nossas brincando de casinha na minha antiga casa na árvore.
Ao dizer aquilo todos riram e eu fiquei fulo pois com certeza aquilo seria a gozação do ano.
-As meninas são as namoradas de seus irmãos. – meu pai continuou.
- Seja bem vinda – Emilly disse com seu sorriso acolhedor de mãe inato à natureza dela.
-Sejamos francas prima! Não dê saudações de boas vindas à novata. – a garota se encolheu desconfortavelmente atrás da mãe. Além de novata era uma menininha! – Garota você não sabe onde o seu DNA te meteu!
-LEAH! – Sam a repreendeu e ela lançou um olhar assassino para ele. –, não precisa temer , estamos aqui para te ajudar na transformação e em tudo o que precisar.
-Espera aí! Transformação? – ela indagou quase gaguejando.
-O quanto você sabe? – Leah perguntou quase as gargalhadas e eu a acompanhei na zombaria.
-Christine, não contou nada a ela? – meu pai perguntou e a mulher negou com a cabeça.

______________________________
NA/NB : 
Genteeeeee babado! o próximo capítulo promete e os que se seguem serão....AMAZING!!!!!!!!!! prontas para ter os primeiros arranca- rabos com Bella e Leah? Preparada para enfrentar Jacob pondo as cartas sobre a mesa? Será que a voz do destino vai interferir ? https://www.facebook.com/EuLeioMissFelix curte, comenta lá tb, quero sentir a reação de vcs <3 span="">

Quatro
POV JACOB
Eu me divertia à vera com a ignorância da novata, Leah parecia se divertir também.
-Querida conte-nos o que houve com você nas ultimas semanas. – Sam pediu educadamente para não assustar ainda mais a morena.
-Não tenha medo de nos revelar as coisas mais absurdas minha querida.- meu pai instigou.
-Bem ... é que não tem nada de mais para contar.
-Filha! E a febre, a ira, a força descomunal? E a surra que você deu nos capangas do seu namorado? , você destruiu metade da escola! –a mãe disse desesperadamente.
-Wow! – eu disse agora levando a novata mais a sério, mais eu não era o único. Paul babava em cima dela e Embry nem piscava, dava pra ouvir seus corações batendo a mil por ela e eu só torcia para que nenhum sofresse um imprinting pela loba. Todo mundo parecia hipnotizado por ela e por sua façanha antes mesmo da transformação completa.
-Conte mais sobre isso filha. – meu pai pediu segurando a mão dela.
-Bom, eu comecei a ter febres altas e constantes, minha irritabilidade era algo incrível, num piscar de olhos eu estava flamejando em ódio, raiva ou ira, me tornei menos desastrada e incrivelmente forte. – ela fez uma pausa parecendo estar perdida em pensamentos. – eu passei a ter um instinto de defesa muito...anormal. Tudo em mim se tornou mais forte, como...er...
Ela parecia nervosa ou talvez encabulada.
-Pode dizer querida. – Emilly falou carinhosamente.
-Instinto maternal. – ela despejou sem graça.
-Eu sabia! – meu pai vibrou.
-Que é isso velho? – perguntei recebendo um olhar feio de Billy.
-Continue filha, conte o que houve na escola. – a tal Christine pediu com seus olhos marejados.
-Meu ex-namorado e os amigos dele sempre iam para um banheiro abandonado na nossa escola para fumar e beber, minha amiga e eu sempre acompanhávamos só por segurança. Eu estava irritada e nem sabia o porque, estava queimando em febre, então os amigos idiotas do meu ex ficaram zoando com ele por causa de ...enfim, coisas que eu negava a ele. Não precisou muito para ele querer provar para os amigos que o que ele queria de mim eu daria assim que ele estalasse os dedos. – nessa hora a garota começou a deixar rolar as lágrimas e entre soluços continuou seu relato. Me senti inferior por não poder ter ajudado, não sei porque me senti daquele jeito, responsável por ela. Talvez esse lance de sentimentos realmente deixem os homens mais vulneráveis, para não dizer idiotas sentimentais.- ele me arrastou para dentro de um dos boxes do chuveiro e forçou a barra.
Ela calou-se, Emilly e a mãe da garota foram até ela e a abraçaram.
-Tudo bem, já entendemos o que houve. – Sam falou dando por encerrado o assunto.
-Tudo bem – ela continuou. – Ele forçou a situação e arrebentou a minha roupa. Mais uma tremedeira me dominou, um fogo me consumiu e uma voz...uma voz falou comigo.
Nesse segundo ela ganhou minha total atenção. Eu não era o único que ouvia vozes.
-O que a voz disse? – meu pai perguntou com ávido interesse.
-Disse para proteger meu corpo. Como se meu corpo fosse algum tipo de templo a ser preservado. Eu não sei! – ela parecia agitada por expor sua vida para um monte de estranhos e uma mistura crescente de raiva e compaixão por ela me dominou. Como se não bastasse Bella e suas loucuras, como se não bastasse o meu coração destruído, como se não fosse suficiente a dor e rejeição de Leah, agora tínhamos que nos preocupar com outra loba no bando que ouvia vozes.
-Pra mim já deu. – disse para Seth e me levantei.
-Para onde pensa que vai Jake? – meu pai me fitou.
-Embora. – disse displicente.
-Essa reunião não tem hora para acabar e você fica até o final!
O velho parecia ter realmente alguma autoridade sobre mim e então eu parei, devia ao menos respeito por ele já que pouco me importava meu sobrenome e esse conselho tribal.
-Minha pequena, você foi tirada do seio desta terra muito nova e por isso não sabe sobre o mundo que a cerca. – um dos anciões começou a falar. Ele se levantou dando lugar a novata que se sentou completamente assustada.
Os velhos da tribo a cercaram à distância fazendo suas preces enquanto o primeiro ancião falava sobre nossas lendas serem reais. A garota ficou apavorada ao se dar conta de sua condição.
Seth inquieto levantou a mão.
-Diga Seth. – Um dos velhos disse.
-A febre , em nós, começa quando há presença de vampiros na região, certo?
-Sim. – meu pai respondeu.
-Então como ela pode ser uma loba como a minha irmã, como qualquer um de nós da matilha se ela estava no hemisfério sul? Ela é uma loba pelo fato de ter herdado o gene dos pais ou pela presença de vampiros? – ele coçou a cabeça encabulado e terminou – sabe, no Brasil não deveria ter vampiros...dizem que é verão o ano inteiro.
-Boa pergunta Seth – Quil falou mais para si do que para o grupo.
-Ancião, me permita colocar em cheque uma lenda. A eleita. – meu pai informou trocando olhares de concordância com todos do conselho.
-Eu não tenho dúvidas sobre a eleita. – disse o mais velho do conselho e todos incluindo a mim ficamos surpresos.
-Como assim “a eleita”? – Sam perguntou.
- não será uma loba...apesar de ter todos os sinais da transformação. – meu pai disse sério fazendo todos ficarem em silêncio profundo.
-Há muitos anos, no tempo do meu pai ser apenas um menino, - o homem que cedeu o lugar na fogueira para a tal novata começou a falar. – já se ouvia falar que os frios ficariam mais fortes e malignos e que seus inimigos naturais, ou seja nós transmorfos e lobisomens filhos da lua, ficaríamos vulneráveis .
-E que um dos nossos , o mais forte e que carrega no sangue o peso da liderança , - meu pai continuou olhando para mim e eu desviei o olhar para encarar Sam. – haveria de ter uma companheira. A mais bela e mais forte de nossas mulheres, apenas uma surgiria e seria capaz de gerar um filho do alfa.
Todos se remexeram inquietos olhando uns para os outros chocados pela nova” lenda” e eu particularmente já não gostava em nada do rumo daquela maldita conversa.
-O que o senhor quer dizer com isso senhor Black? – a novata perguntou sem entender e ainda chorosa.
-É o que eu penso? – a voz da mãe da garota soou baixa.
-Jacob e são predestinados desde muito antes do nascimento deles. é a escolhida pelos espíritos de nossos ancestrais para gerar filhos fortes, nossos novos líderes. Só ela será capaz de parir e criar os filhos do alfa. – o velho ancião revelou e instantaneamente me levantei respirando fundo, minhas mãos fechadas em punho , meus olhos em fendas e o fogo crescendo dentro do meu peito fazendo minha coluna ser percorrida por uma energia. Meu lobo queria se rasgar e fazer presente ali para protestar contra aquela manipulação da minha vida!
-Querendo ou não, para a perpetuação dos nossos lobos, filhos de sangue puro, de sangue quileute deverão nascer dos predestinados? – Christine perguntou me olhando assustada. Paul , Quil e Embry já estavam me cercando para evitar uma reação mais agressiva.
-Sim Christine, e Jake estão unidos pela profecia , pelo sangue e pelo destino.
-Nunca! – eu disse baixo e saí pisando forte o mínimo possível até que meu lobo rompeu rasgando minhas roupas desejando que o fogo rasgasse o meu cérebro e eu morresse de uma vez. Corri desesperadamente pela floresta uivando de ódio. Se eu não tivesse Bella como mãe dos meus filhos não haveria mais ninguém!
__________________________________

NA/NB: E agora meninas?? Que capítulo curtinho e tenso , não acham? Jake começa a ficar muito mal meninas, não me xinguem. Ele é bruto! No próximo capítulo muitos arranca-rabos entre Alice e Jake, Jake e a PP, Leah e Bella, Bella e PP, Jake e Edward...ufa! esse casamento seria mais divertido se eu tivesse escrito ele kkkkkkkkk.

 

13 comentários:

  1. Primeira aparição geralmente gosto de me manter invisivel mais, gostei muito da fic..
    Só não curti muito a parte em q o Jake será tecnicamente do mal.. mais estarei acompanhando pra ver o resultado.. otimo cap - bjin

    ResponderExcluir
  2. Primeira aparição geralmente gosto de me manter invisivel mais, gostei muito da fic..
    Só não curti muito a parte em q o Jake será tecnicamente do mal.. mais estarei acompanhando pra ver o resultado.. otimo cap - bjin

    ResponderExcluir
  3. Jake mal? Ok...geralmente não gosto, MAS, sempre tem uma exceção né?

    Vamos ver o que acontece então ^^...ele todo mal humorado, ains, eu gostei huehue...

    Espero pelos próximos caps,
    XOXO

    ResponderExcluir
  4. Mariana Fibla
    Cade o resto?Estou esperando!

    ResponderExcluir
  5. Cara Cadê o resto???
    Ela é interativa?My god Jake mal e estupro...Uiui!

    ResponderExcluir
  6. esta estoria vai dar o que falar....

    ResponderExcluir
  7. Nossa, mas que mal humor desse meu lobo, mas acho que EU amanso ele,afinal ele será o meu imprinting. Não me canso de ler e reler os capítulo,parabéns minha linda e não se demora em postar mais capítulos, estou ansiosa pelo MEU imprinting!!!

    ResponderExcluir
  8. Gostei do Cap.. Como Jake pode ser tão burro ;/

    Continue *-*

    ResponderExcluir
  9. Demora nao!Esperando mais!Adorei a fic!!!!O jake vai me odiar muito???

    ResponderExcluir
  10. Maravilhosa!! Continua por favor!

    ResponderExcluir
  11. Fanfic Lixo!
    Nao sei se odeio mais a Bella, o Jack (o que nao deveria acontecer porq diz q a fic é Team Jacob) ou a PP, que é uma demente como a autora!!! Menina sua mente é perturbada,e a gente vê isso nos seus personagens. vai se tratar!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara c vc ñ gosta da autora ñ perde o seu tempo lendo mais tbm ñ enche o nosso saco cm essa porcaria q vc chama d comentário
      Miss Félix a sua fic é incrível quero mt q continue eu adoro tds as suas histórias e me vejo suspirando por cada uma então ñ ligue p comentário d algumas invejosas e siga seu caminho pq vc vai longe.
      Bjs Vitória

      Excluir