11 de dezembro de 2010

Imprinting-me by Vih Luna

| |


Imprinting-me!







Por: Vih Luna



Prólogo




Era pra ser uma noite como outra qualquer, uma noite jogando conversa fora com seus melhores amigos, no seu 3º lugar preferido, a pista de Skate. Mas para não era nem de longe uma noite comum.


corria desesperada pelo corredor do hospital, sua visão embaçada pelas lágrimas, seu cabelo grudava no suor do pescoço e nas bochechas.


correra até a porta onde estáva escrito UTI, sem se importar, entra na sala gritando.
-Pai!


-Por favor jovem isso é um hospital-Um médico jovem a repreendeu


-Onde está meu pai?- segurou o colarinho do jaleco do médico.-Jon Wiison!


-Ali por favor não me bata eu sou residente!-O médico quase chorou


Quando perdia a paciência era melhor ninguém ficar perto dela.


-Ali aonde?- perguntou, apertando as mãos no jaleco.


-No canto esquerdo!


soltou o médico e foi na direção indicada, abriu a porta com força e no mesmo instante caiu de joelhos ao lado da cama.


-Pai- sussurrou.


- ?-Jon perguntou com dificuldade


-Sim pai sou eu.


-, meu anjo, acho que chegou minha hora.


-Não pai não fala isso!- se desesperou.


-Minha garota você tem que aceitar.


-Pai eu não posso aceitar eu não posso perder você!- chorava como nunca chorou antes. Ela sabia que eram os últimos minutos do seu pai.


-Você ainda tem sua mãe .-Jon lembrou a filha.


-Eu não quero ir pra La push pai, eu não quero viver com ela!


-, la é seu destino, você sabe disso.


-Não!


Eles já discutiram isso antes e agora, não queria discutir de novo.


Antes que pudesse encerrar a discurção, os aparelhos emitiram vários bip’s, Jon ofegou.


-Pai não!- gritou como se pudesse mudar a situação.


-Me prometa .-Jon exigiu com as últimas forças que tinha.


Muito relutante, assentiu.


-Eu prometo pai.


-Eu te amo garota.


-Eu te amo pai!


------------------------------------------..------------------------------------------------------
Naquela mesma noite, longe da Califónia, Sarah acordára de um pesadelo muito, muito real.


-!-Sarah gritou.


-Tudo bem Sarah?-Perguntou Calleb.


-Não. está com problemas.


-O que houve com sua filha?-Calleb perguntou assustado.


-.-Sarah repetia o nome da filha sem parar.


-Eu não estou entendo Sarah, o que tem ?-Calleb perguntou confuso.


-Jon faleceu.


-Como você sabe?


-Eu sinto.-Sarah respondeu.


-E agora Sarah?-Calleb perguntou


-Temos que falar com Sam.


-Você acha que a pode ser...


Mesmo sem terminar a frase, Sarah assentiu.


-Ela é minha filha Calle, ela tem sangue quileute,ela é uma Black.


Capitulo 1: Não tão Bem Recebida.




Último dia sentado no pier. Último dia sentindo o sol queimar meu rosto. Último dia na Califórnia. Que droga!
Se eu já tivesse 18 anos não precisaria me mudar, mas como a vida é uma bosta, só vou fazer 18 anos daqui há 6 meses, então tenho que ir morar com minha mãe-que já é bem ruim-E passar a viver em lugar que sá chove. Mas uma vez que droga!


-!


Virei-me para ver quem me chamava e quem interrompia meu momento melancolia


-Hei Josh!- Acenei pro meu amigo e... hum...bem...algo mais


-O que você ta’ fazendo aqui?-Josh perguntou enquanto sentava ao meu lado-Seu voou não sai em 1 hora?


-Não me lembre disso!


-Ainda não se acustumou com a ideia?-Josh perguntou rindo.


-De morar com a Sarah? Em La Push? Não mesmo!


-Você se acustuma.


-Tem certeza que você é o Josh que eu conheço?


Josh balançou a cabeça e riu fazendo seu cabelo liso cair em seus olhos, Josh passou a mão jogando a cabelo pra trás. Um gesto de puro charme.


-Eu vou sentir falta disso- Eu disse apontando pra náo dois.


-Você diz nós dois ou nossos momentos juntos?


-Você sabe-Eu hesitei - Hum, Nós.


-É bom saber- Josh passou o braço pelos meus ombros me puxando pra mais perto - Porque eu também vou.


-Vai nada.


-É claro que vou -.


Josh seguro meu queixo com a mão e puxou pra cima. Nossos rostos estavam tão próximos que eu pudia sentir seu hálito de menta. Josh diminuiu a distância e me beijou. Eu adorava beijá-lo, eu realmente gostava dele e agora estava indo embora. Nosso beijou terninou com alguns selinhos, ainda de olhos fechados, deitei minha cabeça em seu ombro.


-Você sabe que eu ficaria se pudesse.


-Eu sei, mas infelizmente, não pode.


-Hey vocês!


Viramos pra trás ou mesmo tempo, pra ver Wil e Luke correndo na nossa direção.


-Finalmente achamos vocês!-Luke falou ofegante.


-Isso quer dizer que meu plano foi um fracasso. -Eu disse dando um soco no ar, com se estivesse com raiva.


-Idiota!- Luke deu um tapa na minha cabeça, eu resmunguei um “hey?” e levei outro.


- seu voou não sai em 40min?- Wil perguntou olhando o relógio.


-ARGH! Droga!
-Relaxa, pense como uma viagem de férias. Luke fez um gesto exagerado com a mão como se estivesse mostrando uma paisagem. Eu balancei a cabeça rindo e dei um soco em seu braço


-Bom não posso adiar isso pra sempre- Eu disse me levantando- Será que vocês podem me levar no aeroporto?


-Hum me deixa ver... -Luke coçou o quixo com se estivesse pensando- Não, não levamos!


-Luke, cala a boca vamos logo!


------------------------------------------------------------------..----------------------------------------------------------
Depois de 6hs dentro do avião, ouvindo o cara gordo ao meu lado roncando e babando (N/A: Que nojo), finalmente chego a Seattle e agora estou sentada na entrada no aeroporto há 1hora esperando a Sarah lembra que eu existo.


Como deu pra perceber, eu não me dou muito bem com minha mãe, por quê? Talvez porque ela abandonou meu pai pra casar com um cara que ela nem conhecia direito. E eu tinha dois anos! Meu pai ficou mal é claro, tão mal que se mudou comigo pra Santa Mônica, na Califórnia. Eu visitava a Sarah todo verão, só fica uma semana, eu sempre odiei La Push. Pra minha sorte a única que eu tenho igual à Sarah são os olhos castanhos-esverdiados.


1h20min esperando a boa vontade de a Sarah lembrar que eu existo. Se eu pudesse e tivesse coragem, pegaria carona.


Assustei-me quando um carro prata parou bem na minha frente. Pronto só o que faltava vou ser sequestrada!


O motorista desceu lentamente e mesmo de costa parecia ser bem bonito. Quando ela virou tinha um sorriso bobo nos lábios e realmente, bonito era um insulto!


O cara lindamente estranho andou até mim e parou bem na minha frente. É agora que ele me sequestra?


-Precisa de ajuda?- O cara perguntou rindo.


Tive que piscar umas três veze antes de responder. Que voz era aquela?!


-Ham... Bem, estou, mas não precisa ajudar.


-Precisa de carona?-Ele mudpu a pergunta, será que ela ouviu oque eu disse?


-Pra onde você via?- Eu perguntei e se ele responder: “Pra onde você for” eu juro que saio correndo.


Ele tossiu abafando uma risada. Ele não sabe ser discreto?


-Estou indo pra Forks- Ele respondeu ainda rindo.


-Forks hum? Estou inda pra La Push, conhece?


O cara pareceu ficar um pouco tenso e surpreso, mas no mesmo instante relaxo.


-La Push?


-É conheçe?


-Um pouco, posso te levar até a fronteira.


-Bom, já ajudaria, mas não obrigada.


Eu não ia aceitar carona de um estranho, mesmo começando a tremer de frio, eu preferia ficar ali.


-A propósito, -Ele falou de repente- Meu nome é Edward Cullen.


-Wilson-Eu disse levantando uma mão para cumprimentá-lo e logo botei no bolso do casaco. Realmente estava frio.


-Então, vai ficar tremendo de frio ou vai aceitar...


Edward não terminou a frase, ele virou o rosto para o final da rua, todo o seu corpo ficou tenso era visável. De onde eu estava sentada pude ouvir seus dentes trincarem.


Edward olhou para mim e depois para o final da rua de novo.


-Eu tenho que ir. -Ele falou sem tirar os olhos da rua.


-Ta bom vai lá - Tentei deixar minha voz normal, mas saiu aguda de mais.


-Até mais Black.


-Até mais Edward Cullen.


Edward entrou no carro e cantou pneu pela estrada, em segundos vi o carro sumir de vista. Louco.


Mais uma vez sozinha, levantei minhas pernas e abracei meus joelhos, lembrei do que acabara de acontecer, eu nunca tinha visto alguém tão bonito. Edward Cullen. Acho que nunca vou esquecer esse nome.


Nome? Lembrei da última coisa que Edward falou. Black. Como ele sabia? Eu falei Wilson! Não falei? Levantei do banco e fui até a beira da calçada, olhei na direção que Edward saiu como se alguma maneira ele ainda estivesse ali.


Pulei de susto quando um carro buzinou duas vezes atrás de mim. Virei-me lentamente com meu coração na boca, será que Edward voltou e vai me sequestrar agora?
-?


Finalmente virei e dei de cara com uma mulher de pele morena e cabelas escuros lisos na altura do ombro, os olhos castanhos-esverdiados me encaravam preocupados. Sarah


- tudo bem?


-Nossa lembrou que eu existo. -Respondi seca e fiu pegar minhas duais malas, a mochila e o violão.
-Uma árvore caiu na saída de La Push, impedindo a passagem. - Um homem alto e forte também moreno com os cabelos escuros também lisos que caiam nos olhos mais escuros que a noite respondeu parando ao lado de Sarah. Calleb.


-Que bom. -Eu falei dando as costas pra eles.


-Deixa isso comigo. -Calleb pegou as minhas 2 malas, a mochila e só não pegou o violão porque eu não deixei.


-Como você está filha?-Sarah peguntou segurando mru rosto entr as mãos. Soltei-me dela e dei um passo pra trás.


-‘To levando, será que podemos ir agora? Eu estou tremendo.


Calleb lançou um olhar preocupado pra mim, mas logo virou o rosto.


-Sinto muito pelo seu pai , eu...


-Podemos ir?- Eu a interrompe.


-Claro você deve está cansada.


-É fiquei quase 2horas esperando vocês, e quase peguei carona com um desconhecido maluco.


-Um Cullen?-Calleb perguntou preucupado.


-Como você sabe?- Dei um passo pra trás com surpresa

.
-Reconheci o carro. Vamos?


Entrei no banco de trás e vi Calleb olhar para todos os lados antes de dar a partida.


Eu sabia que ele não tinha visto o carro, Edward foi embora antes que pudesse piscar. Em duas horas aqui, muitas coisa estranha estava acontecendo. Como Edward sabia meu nome do meio? Como Calleb sabia que eu quase peguei carona com o Cullen? E de alguma maneira, por que eu acho que Edward saiu daquele jeito porque Calleb e Sarah estavam chegando?


Para piorar tudo, eu estava começando a ficar com febre. Bosta!

Capítulo2: Muitas Novidades.




Não sei ao certo quanto tempo faltava para chegar em La push. Eu ainda estava com febre e pra piorar, estava começando a tremer.


- você está tão quieta.- Sarah falou virando para me olhar- Você está bem?


-Não,- Eu respondi fechando os olhos, tentando controlar os tremores- Eu fiquei duas horas no frio esperando vocês, acho que estou ficando doente.


Mesmo de olhos fechados, senti o carro acelerar, abri só um olho e vi Calleb e Sarah trocarem um olhar preocupado.


-Só mais 20 min. - Sarah falou enquanto discava um número no celular.


-Sam?... É sou eu...


Fechei os olhos de novo e ouvi Sarah falar com alguém.


-É sobre isso...Eu não sei, Calle sentiu um cheiro...Ela disse que sim...MAS JÁ?!


Sarah estava desesperada, nem precisava abrir os olhos pra saber.


-Deixa eu falar com ele Sarah.


-Calleb vai falar com você.


- Sam?... Sim todos conferem...É claro que tenho Sam, eu fui um lembra?... 10 min e estamos aí... Ok, chame todos... Até.


Eu não estava entendo nada. Quem é Sam? Calleb já foi o que? Que cheiro? Mas já o que? Quanto mais eu tentava entender, mas confusa eu ficava.


-Falta muito?- Eu sussurrei.


-Não, só mais alguns minutos.- Calleb respondeu.


Tentei perguntar quem era Sam, mas senti uma pontada na cabeça, parecia que ia explodir.


-Ah! minha cabeça!- Eu gritei de dor.


-Calma respire.


Fiz o que Calleb mandou, mas não adiantou nada, minha respiração continuava irregular e rápida.


Senti o carro parando e alguém me puxando pra fora, minha cabeça doía tanto que eu não conseguia nem abrir os olhos.


-Como estamos?- Uma voz rouca e grave perguntou.


-Febre, suor, tremor e dor de cabeça começou agora.- Calleb respondeu calmo demais.


-Bom só falta um. Eu já chamei os outros, estão esperando.- A voz grossa que devia ser Sam falou- Jake está vindo pra cá.


-Jacob?- consegui sussurrar.


- tente não se estressar por favor.- Sarah pediu.


Como não me estressar quando a pessoa que eu mais odeio está vindo pra cá?


Senti mais uma pontada na cabeça, meu corpo caiu pra frente e eu gritei de novo.


-Calleb me ajude a carregá-la.


-E o Jake?- Sarah perguntou.


-Ele vai depois- Calleb respondeu- Vamos Sam.


Ainda de olhos fechados, senti pegarem em meus dois braços e me levantarem. Fui arrastada pra sei lá onde, eu tremia tanto que nem conseguia firmar meus pés no chão.


-Já estão transformados?!- Calleb pareceu assustado.


-Mandei que ficassem,- Sam respondeu calmo- Vai ajudar no processo dela.


Senti eles me soltarem e no mesmo instante eu caí de joelhos.


-Calleb você pode ir agora.


-Eu vou ficar Sam.


-Calleb isso é assunto do bando, eu sei que você já foi um e eu respeito muito você, mas esse é um novo bando.


-Certo- Percebi que Calleb não ficou muito satisfeito- Qualquer coisa uive.


Uive? Que merda é essa?!


-?- Sam me chamou.


-Hum?


-Como você está?


-O que você acha?!- Eu gritei pra ele ainda mantendo meus olhos fechados.


-Deixa o fogo se espalhar .


-Mas que raio de fogo?!- Eu gritei de novo, agora levantando a cabeça para encará-lo.


Assim que abri os olhos, eu vi oito lobos enormes me encarando.


-Que merda é essa?!- Com o surto eu caí pra trás de bunda no chão.


-Já sente o fogo?- Sam perguntou dando dois passos pra trás e ainda muito calmo. Tão calmo que estava me deixando mais irritada ainda.


Fechei os olhos de novo e pude sentir o fogo começando pelos meu pés e subindo lentamente.


-Como estamos?- Uma voz que eu conhecia muito bem apareceu do nada. Uma voz que fez o fogo se espalhar mais rápido. Jacob Black.


-Tudo o que eu precisava- Resmunguei entre os dentes olhando Jacob com os olhos serrados.


-Olá prima!- Jacob falou com aquela voz sínica que eu odiava.


-Vai à merda!- Resmunguei de volta fazendo Jacob rir.


-Desse jeito vai ser bem mais rápido.- Sam comentou dando mais um passo para trás e ainda muito calmo.


-MAIS RÁPIDO O QUE?!- Eu gritei para Sam e Jacob levantando a cabeça e batendo as mãos em punhos no chão.- O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?!


O fogo subiu pela minha espinha, chegando rápido a minha nuca e depois... Nada. Eu não sentia mais nada. Tentei levantar a cabeça, mas ela pareceu grande e pesada de mais, meus pulmões estavam maiores e meu coração batia mais rápido que o normal. Bem mais rápido.


Abri os olhos lentamente e a 1ª coisa que vi, foi um par de patas brancas no lugar dos meus pés.


O que?!- Eu gritei levantando um pé, ou melhor uma pata, para olhar mais de perto.



?- A voz de Sam apareceu na minha mente. Levantei a cabeça assustada. Como ele fazia isso?
Gritei de susto, ou lati não sei, quando no lugar de Sam eu vi um lobo negro enorme parado na minha frente.


-Sam?-Eu perguntei mentalmente ainda em dúvida.


-Sim sou eu.- Sam respondeu.- Como você está se sentindo?


Que pergunta mais besta era aquela? Claro que não estou bem!


-Sam pode contar o que está acontecendo aqui? Isso é real ou estou sonhando?


Escutei algumas risadas invadirem minha mente e olhei para trás de Sam. De alguma maneira eu sabia que vinha dali.


-Sinto lhe informar prima, mas você não está sonhando- A voz de Jacob surgiu na minha mente fazendo eu me contrair.


-Nossa!- Uma voz masculina exclamou.- Qual é problemas de vocês dois?


-Não somos primos muito chegados Paul.-Jacob respondeu e ao mesmo tempo algumas lembranças nossas brigando surgiram na minha mente, mas não eram minhas. Era do Jacob.


-Uau!- a voz que eu agora sabia que era Paul exclamou de novo.-Vocês se amam heim?


-Você não sabe o quanto.-Eu disse resolvendo entrar na conversa também, aliás era sobre mim.


-Resolveu falar? - Jacob me provocou.


-Jacob, por que não me faz um favor e vai à merda?- Eu perguntei calma e escutei uns “huul” e outros “ai essa doeu em mim”


-Ok! Chega!-Agora Sam resolve se intrometer.- você lembra das lendas da tribo?.


Sam perguntou sério, muito sério, que eu até fiquei com um pouco de medo.


-Talvez, por quê?


****
Depois que me transformei de volta(Sam mandou Seth ir buscar um vestido pra mim com a Sarah) Sam contou as lendas, que não são lendas, e explicou tudo o que estava acontecendo em La Push. A vampira ruiva, os ataques, os Cullens,-Fiquei um pouco assustada quando soube que Edward era um vampiro, e eu quase peguei carona com ele-, a tal Bella e até sem querer, o triângulo Jacob ,Bella e Edward. Eu claro gastei o Jacob. Não podia deixar isso passar.


-Trocado por um vampiro primo?


-Cala a boca.


-Nossa, o cachorro ‘ta brabinho?


-, cala a boca.


-Os dois calem a boca!- Sam deu o comando Alfa e nós nos calamos. Esse negócio de Alfa eu acho uma palhaçada, mas...


- como você vai para escola de manhã, sua ronda vai ser das 18:00 até às 22:00 ok?


-Ok né?! Não tenho escolha mesmo, com quem vou fazer ronda?


-Como você é nova eu quero dois experientes, então vai ser Embry você e Jake.


-O QUE?!- Jacob e eu gritamos juntos.


-Você está brincando né?- Jacob gritou para Sam.


-Não.- Foi só o que Sam respondeu.


-É, tudo que eu mais queria.- Resmunguei sínica e joguei minhas mão pro alto.


-Como se EU quisesse ficar com você- Jacob falou o “eu” com muita ênfase.


-Acabou o namoro?-Leah, a outra garota do bando falou seca.- Se não se importam eu quero ir pra casa agora.


-Estão todos dispensados, não esqueça você começa amanhã.


-Claro, claro. Será que alguém pode me dizer como eu chego à casa da Sarah?


-Eu te levo.- O menino Seth veio na minha direção sorridente.


Nós viramos para ir embora, mas como nada é perfeito, Jacob veio atrás da gente.


- espera!


-Que foi agora?- Eu virei cruzando os braços no peito.


-Eu só quero saber... como você está? Sabe sobre o seu pai...- Jacob perguntou abaixando a cabeça e colocando as mão no bolso da bermuda.


-Ah.- Descruzei meus braços e encarei meus pés descalços.- ‘To levando.


-Eu entendo isso, se você precisar de qualquer...


Não esperei Jacob terminar de falar, eu já sabia o que ele ia dizer e sinceramente eu não preciso de pena, principalmente DELE!


-Jacob eu ‘to levando ok?!


-EU SÓ QUERO AJUDAR GAROTA!


Pronto esse é o primo que eu conheço e odeio.


-Não preciso da sua ajuda, muito menos da sua pena. Tchau Jacob.


Me virei e dei passos rápidos Seth teve que correr um pouco pra me alcançar.


-Sabe -, eu sei o que você passando.- Seth falou depois de um tempo em silêncio.


-Como assim?


Seth passou os braços pelos meus ombros e suspirou.


-Meu faleceu há alguns meses, e como você, logo depois eu me transformei.


Parei de andar e encarei Seth espantada. Ele era uma criança e já tinha tanto pra carregar.


-Eu também fiquei com raiva- Seth continuou e recomeçamos a andar- Também não queria que sentisse pena de mim, mas as vezez é bom conversar.


-Eu sei, é que- Eu hesitei e Seth fez um gesto com a mão para eu continuar.-Eu odeio o Jacob, então eu não aceito nada dele, nem ajuda.


-Mas vocês são primos, não são?


-Somos e daí? Mesmo assim eu o odeio.


-Desde sempre?


-Não- Eu tive que rir do jeito que Seth perguntou.- Desde dos 10 anos.


Olhei pro Seth e seus olhos brilhavam de curiosidades. É, vou ter que contar.


-Nós tínhamos 10 anos. Eu gostava do Jacob.-Seth riu e olhou pra mim com as sobrancelhas erguidas, me julgando com os olhos.-Que é? Todo mundo já se apaixonou pelo primo uma vez na vida. Como ia dizendo, eu gostava do Jacob e ele descobriu...


-Não posso dizer que viveram felizes para sempre.- Seth me apaixonou, serrei os olhos pra ele com raiva.- Desculpa, pode continuar.


-Jacob roubou meu diário, arrancou as páginas e espalhou por toda La Push, isso tudo depois de falar que nunca ia ficar comigo, porque eu era feia, magrela e branquela.


-Nossa o Jake era bem mal.


-Nós éramos crianças eu sei, mas mesmo assim toda vez que eu olho pro Jacob eu sinto uma coisa tão grande, mas tão grande que...


-É você o odeia.


-É.


Seth parou de andar e só depois eu percebi que já havíamos chegado.


-Está entregue.- Seth fez uma reverência engraçada, joguei a cabeça pra trás rindo.


-Valeu Seth, agora você vai sozinho pra casa.


-Minha casa fica logo alí.- Seth apontou para uma casinha azul, bem menor que a de Sarah, que ficava a uma três casas de distância.


-Então, boa noite Seth.


-Boa noite , e se quiser conversar, sabe desabafar, um ombro pra chorar, você sabe aonde eu moro.


-Digo o mesmo pra você.- Abri um sorriso sincero e Seth retribuiu.


Subi as escadas da varanda devagar e olhei pro Seth que já estava abrindo a porta de casa. Seth era um garoto legal, seu rosto infantil e seu jeito de homem era o que mais me encantava, e eu podia sentir que iria precisar muito dele e ele de mim.


Entrei em casa devagar, com cuidado para não acordar Sarah e Calleb, mas logo senti braços apertando meu pescoço. Sarah.


-Oh, filha como você está?


-Vou ficar melhor assim que a senhora me soltar.


Sarah soltou meu pescoço, mas segurou meus ombros.


-Você está bem ? –Sarah perguntou fazendo um exame rápido pelo meu corpo.


-Vou ficar bem mãe, só preciso dormir.- Eu disse me afastando dela e indo para escada.


-Como está se sentindo ?- Apesar de ser a mesma pergunta que Sarah fez, eu entendi o que Calleb queria saber.


-Muita novidade pra um dia só.-Eu respondi sem olhá-lo e continuei subindo.


-Se precisar de ajuda pode me procurar você sabe eu...


-Já foi um,- Eu o interrompi- Eu sei.


Abri a porta do quarto e tranquei atrás de mim, não queria que Sarah viesse até meu quarto e me enchesse de perguntas, só queria dormir e esquecer por algumas horas toda essa loucura. Cai na cama de qualquer jeito e não demorou nem 5 minutos e cai na inconsciência.




Capítulo 3 Imprinting?.




N/A: Só umas coisinhas que me esqueci de falar. Na minha fic, Jake tem 17 anos, não 16 e você chega a La Push depois da perseguição a Victória quando Bella e Edward estão voltando da casa de Renée no cap três de Eclipse. Só isso tudo ^^






Na manhã seguinte, acordei com a claridade no meu rosto, eu ia precisar trocar as cortinas do meu quarto, odeio acordar com a luz no rosto. Espreguicei-me bagunçando mais os lençóis da cama. Levantei e fui direto para minha mala pegar uma roupa para tomar banho. Peguei um short jeans (o que eu mais tinha já que eu morava na Califórnia), uma blusa com manga 3/4 simples e fui tomar banho.


Assim que abri a porta do quarto ouvi algumas vozes do andar de baixo, mas só reconheci a de Sarah, mas pelo falatório, a sala estava cheia. Que ótimo.


Demorei mais que o normal no banho, até porque eu não tomava desde ontem de manhã. Deixei meu cabelo solto e molhado mesmo e sai do banheiro. Me estômago roncou alto quando o cheiro de muffins subiu escada acima, não pude evitar o sorriso que apareceu no meu rosto.


Desci as escadas rápidas de mais para uma pessoa normal, uma das vantagens de ser uma loba. Mas assim que cheguei à sala meu sorriso morreu. Jacob estava sentado em uma das poltronas com um sorriso cínico no rosto.


-Bom dia prima!- Jacob acenou com seu sorriso cínico ainda maior.


-Péssimo dia!-Eu resmunguei e fui direto para cozinha.


-Dormiu bem?- Jacob ainda sorria quando veio atrás de mim. Eu não respondi, fingi que ele nem estava ali. Fui até a geladeira peguei a jarra de suco e me sentei em umas das banquetas, de frente pra porta.


-Não vai comer?- Jacob sentou ao meu lado e apontou para o forno.


-Não vai embora?- Eu apontei pra porta.


-Você é tão simpática.


-Você é tão chato.


Jacob levantou, pegou o tabuleiro no forno um copo no armário e sentou de novo.


-Come está gostoso. -Jacob me passou um muffin.


-Foi você que fez?- Eu perguntei já sabendo a resposta.


-Claro que não. -Ele riu- Por quê?


-Porque se você fez, não vou comer, pode está envenenado.


-Eu? Envenenando comida? Nunca! Foi tia Sarah.


Peguei um muffin do tabuleiro, não o que ele me ofereceu. Realmente estava gostoso.


-Por falar em Sarah, cadê ela?


-Saiu com Calleb, meu pai e a Srª Cleawater.


-Cleawater?- Esse nome não é estranho...


-Mãe da Leah e do Seth.- Jacob deu de ombros pegando seu 3º muffin.


-E você está aqui por quê?...


-Tia Sarah pediu pra eu fazer companhia.


-Sarah me conhece tão bem que pediu isso a você?


-Posso ir embora se quiser?


-Jura?!- Abri um sorriso enorme. Era tudo que eu queria...


-Mas não vou- Meu sorriso morreu e jacob abriu um.- Prometi a tia Sarah que ficaria até eles voltarem.


-Que ótimo! Meu dia já começou ruim. -Me levantei e fui em direção ao meu quarto.


-Seth está vido pra cá!- Jacob gritou e eu sorri pelo menos Seth estaria aqui.


Seth não era chato como o Jacob, e de certa forma eu me sentia bem com ele.


Entrei no quarto e fui direto para minhas malas, estava na hora de arrumar. Agora não seria, mas um lugar que passaria sete dias por ano seria meu quarto. Meu quarto de verdade.


O quarto não era grande coisa, as paredes eram brancas. A janela ficava na parede de frente pra porta com uma cortina também vinho, a qual eu iria trocar por uma cortina mais escura. Os móveis foram feitos por Calleb,que é um marceneiro bem sucedido, menos a cama.





Joguei as duas malas em cima da cama, tirei meu notebook com cuidado e quase deixei cair quando escuto uma voz atrás de mim.


-Quer ajuda?- Me virei preparada para dar um fora no Jacob e chingá-lo de tudo quanto é nome, mas encontrei um Seth meio sem jeito encostado no batente da porta


-Hei Seth!- Abri um sorriso e me joguei no seu pescoço.


Seth poderia ser dois anos mais novo que eu, mas ele parecia bem mais velho pelo seu tamanho.


-E o que eu faço?- Seth perguntou depois que eu o soltei.


-Na verdade não tem muito pra fazer, minhas coisas ainda não chegaram então, só tem as roupas.


Percebi que Seth não estava prestando atenção em mim. Seus olhos estavam presos no meu violão.


-Você toca?- Eu perguntei enquanto pegava o violão e tirava a capa.


-Um pouco. - Os olhos de Seth estavam brilhando.


-Vamos fazer assim, você toca e eu arrumo meu armário. Que tal?


Seth não respondeu, pegou o violão da minha mão e sentou no chão de frente pra porta.


-Ok, não precisa arrancar minha mão.


-Cala a boca


Depois de alguns minutos, cantando e rindo com Seth, um silêncio tomou conta do quarto e mesmo de costas eu ouvi Seth engolir seco.


-Que foi Seth – perguntei rindo ainda de costa- Só conhece uma música?


-O que vocês estão fazendo?- Virei o corpo no mesmo instante em que a voz de Jacob apareceu no quarto. Jacob tinha os braços cruzados no peito e seu rosto tinha uma raiva evidente, mas o porquê eu não sabia.


-O que você quer Jacob?- Apertei a ponta do nariz com os dedos e suspirei, mostrando que eu não estava com paciência.


-Saber o que vocês estão fazendo, - Jacob andou na minha direção e parou a centímetros de mim. - Eu estou tentando dormir, mas vocês não param de rir.


-Vai pra casa então- Dei um passo à frente e o encarei com meu pior olhar- Não preciso mesmo de você.


-Você não consegue ser legal por um minuto?


-Não consigo se legal com você- Espalmei minhas mãos no seu peito e o empurrei pra trás- Agora sai!


Antes que Jacob perdesse dar um passo, ele segurou meus pulsos e me puxou fazendo nossos peitos se chocarem.


-Não faça isso de novo. - A voz de Jacob era baixa e grossa, ele estava tão perto que eu podia sentir seu hálito quente no meu rosto, o que me deixou levemente perdida. Eu tinha que admitir Jacob ainda mexia comigo.


-Me solta- Minha voz saiu levemente tremida e eu me chutei por dentro.


-Fazendo... - Jacob me provocou e abriu um sorriso de lado.


-Agora.


Eu não sabia ao certo o que estava acontecendo, mas naquele estante eu me vi presa, literalmente, a Jacob. Sua expressão foi suavizando aos poucos, seus ombros foram abaixando até estarem completamente relaxados, nossos corpos, que tremiam, foram se acalmando. De repente tudo a nossa volta sumiu, a voz de Seth estava distante e meu quarto foi tomado por um branco total, só existia ele e eu. Jacob abriu um sorriso que fez meu coração parar e meu sangue correr rápido de mais pelas minhas veias, eu podia jurar que via estrelas ao redor de Jacob, mas eu não tinha ideia do por quê.


-- Jacob falou meu nome com tanto carinho que eu fechei os olhos suspirei.- Eu não acredito.


-PORRA EU ‘TO FALANDO SOZINHO?!-A voz de Seth estouro no meu ouvido me fazendo dar um pulo pra trás, me livrando de Jacob.


-O que foi isso?- Eu sussurrei pra Jacob.


-Eu... Tenho... Eu... -Jacob se atrapalhou com as palavras, coçou a nuca com as duas mãos e suspirou. - Eu tenho... E assim ele foi embora porta a fora deixando um vazio enorme dentro de mim.


-O que deu nele?- Seth perguntou apontando pra porta.


-Não faço ideia.


*-*-*-*
Pov Jacob (Especial*.*)
Sai da casa da praticamente correndo, eu não sabia exatamente o que estava acontecendo, mas eu tinha uma ideia.


Quando me olhou daquele jeito, tão perto, seu cheiro de hortelã e caramelo invadindo minhas narinas, tudo em minha volta sumiu.Todos as linhas que prendiam minha vida foram rompidas em golpes rápidos, como se alguém cortasse as cordas de um feixe de balões de gás. Mas não fiquei a deriva. Um novo fio me prendia onde eu estava. Não um fio, mas um milhão deles. Fios não, cabo de aço. Um milhão de cabos de aço me prendendo a única coisa- ao próprio centro do universo. (N\A: RECONHECEM ISSO?)


Agora eu corria por La Push desesperado pra chegar logo na casa de Sam e saber por que agora, por que a , principalmente, por quê ela.


Nós nunca nos demos bem, é verdade que eu gostava dela, mas isso foi há muito, muito tempo. Não posso negar que ficou uma garota muito bonita, nunca imaginei que aquela menina branquela, magrela e sem sal, viraria uma mulher muito bonita e... Sexy.


Cheguei à casa de Sam e nem bati. Sai entrando.


-SAM!


Sam saiu de dentro de casa com Emilly atrás dele e uma expressão confusa e assim que ele me viu ficou mais confuso ainda.


-Jake? Qual o problema?- Sam perguntou


-Sam, eu acho que sofri um imprinting.


-Oh meu Deus!- Emilly exclamou e levou às duas mãos a boca.


-Com quem?- Sam assumiu o tom Alfa, mas não conseguiu esconder a animação.


-< script>document.write(Vih).- Só em falar o nome dela um calor subiu pela minha coluna.


-Eu sabia. - Sam murmurou.


-Como assim sabia?- Minha voz ficou levemente mais alta. Desde quando Sam é vidente?


-Só sabia. – Sam deu de ombros, o que me deixou com muita raiva. – Você já contou a ela?


-Não.


-Jake, ela tem que saber por você.


-Eu sei Emilly, mas isso é difícil pra mim também – Apoiei meu cotovelo na mesa e enterrei o rosto nas mãos. – Eu amo a Bella, ou amava não sei, e agora a aparece e do nada ela é meu imprinting? Ela é minha prima!


-Jake, eu entendo o que você quer dizer, mas você já pensou em como ELA vai reagir? –Sam sentou na minha frente me encarou com aquela cara de sabe-tudo – Você sabe que esse assunto vai ser delicado pra ela não sabe?


-Tanto quanto pra mim. – Resmunguei ainda de cabeça abaixa.


- Jake, os pais dela se separaram por causa do imprinting.


Levantei a cabeça e olhei pra Sam com os olhos arregalados. Como eu esqueci isso?


-Calleb sofreu um imprinting com tia Sarah. – Eu falei mais pra mim do que pra Sam. - nunca vai aceitar isso.


- Eu não sei responder isso. – Sam falou – Mas você tem que falar com ela Jake. E rápido.


Fiquei um tempo parado pensando em como iria falar isso pra ela, e não consegui chegar a nenhuma resposta concreta. Talvez ela não fosse surtar como eu estava imaginando, talvez ela aceitasse. Ou talvez não, talvez ela fugisse, talvez ela fosse embora. Mas não dizem que não se pode fugir de um imprinting? A reação da era um grande ponto de interrogação. E eu não estava gostando disso. Não mesmo.


Fim pov Jacob *.*
*-*-*-*
Depois que Jacob foi embora, Seth e eu continuamos no quarto, mas minha mente não estava comigo, estava distante e eu me senti com 10 anos de novo, esperando que ele chegasse a qualquer momento. Eu já não superei isso?


Meu coração deu um salto no peito quando a porta da sala foi destrancada, na esperança de ser Jacob.


- chegamos! – A voz de Sarah ecoou pela casa.


-Estamos descendo! – Gritei de volta e puxei Seth pela mão.


-Será que trouxeram comida? – Seth perguntou na escada


-Já esta com fome?


-Vai dizer que você não?


-É um pouco.


-Sabia. Seu apetite só vai aumentar.


Assim que chegamos à sala, meus olhos se encheram de lágrimas. Tio Billy sorria pra mim de um jeito que fazia seus olhos apertar nos cantos. E mesmo não sendo parente, naquele momento eu me lembrei do meu pai.


-Tio Billy! – Corri na sua direção e me joguei de qualquer jeito no seu colo, enterrando meu rosto em seu pescoço.


-Nossa isso tudo é saudade? – Tio Billy gargalhou alto, fazendo todo meu corpo tremer. -?


Tio Billy segurou meus ombros e me afastou para poder ver meu rosto.


-Que foi querida?


- Eu sinto tanta a falta dele tio... – Solucei – Tanta falta.


-Shhh querida calma. – Tio Billy me abraçou mais forte e eu chorei mais ainda.


Pouco a pouco fui voltando ao normal, soltei o pescoço do tio Billy e sequei o rosto envergonhada.


-Melhor? – Sarah perguntou, eu nem sabia que ela estava atrás de mim.


- Um pouco.


Olhei ao redor procurando por Seth, e o encontrei sentado na bancada que dividia a cozinha da sala conversando com uma mulher que estava de costas pra mim. Dei um beijo na testa do tio Billy, um sorriso forçado pra Sarah e fui falar com eles.


-Com licença – Encostei de leve no ombro da mulher e quando ela se virou, nem precisa perguntar pra saber quem era. Com os cabelos escuros, os olhos de um castanho escuro profundo e sábio e um sorriso sincero estavam na cara que aquela era Sue. Seth tinha o sorriso da mãe. – Desculpe pela minha falta de educação, eu sou Wilson, mas me chame de - Estendi minha mão e me assustei quando Sue me abraçou forte.


-Não se preocupe com isso - Sue disse e me afastou ainda segurando meus ombros. – Você está tão grande.


-Você se lembra de mim? – Perguntei totalmente surpresa.


-Claro que sim, você brincava com a Leah quando criança. Você foi... Hum... Embora um pouco antes de Seth nascer.


Essa informação me deixou um pouco surpresa, eu não me lembrava de BRINCAR com a Leah, afinal ela é dois anos mais velha que eu, eu me lembro de BRIGAR com a Leah com eu tinha 11 anos.


- Duvido que Leah brincava com a - Seth disse fingindo desapontamento – Eu aposto que Leah brigava com ela.


Nós rompemos em gargalhadas e Seth fingiu inocente. Todos ainda estavam rindo quando Calleb entrou em casa, mas não foi voz dele que fez meu coração pular e sim aquele cheiro amadeirado e almiscarado.


- Hey! Olhe quem eu encontrei. – Jacob estava ao seu lado com cabeça baixa e uma mão na nuca. Jacob levantou só os olhos e fez sinal com a cabeça pra mim, indicando a porta.


Assenti uma vez e cruzei a sala sem olhar pros lados. Quando chegamos à varanda, Jacob sentou em um dos degraus da varanda e suspirou.


-O que foi Jacob? – Me sentei ao seu lado, de frente pra ele com as costas apoiadas no pilar de sustentação.


-Eu não sei por onde começar. – Jacob enterrou o rosto nas mãos. Ele parecia angustiado e isso estava me deixando angustiada também.


-Que tal pelo começo? – Falei rindo tentando acabar com a tensão mais só piorou.


-Pelo começo? – Jacob virou o rosto pra me olhar – Ok pelo começo. Você sabe por que sua mão casou com Calleb?


Recuei como se estivesse levado um tapa, o que isso tem a haver com a conversa? Será que ele não sabe que é um assunto delicado pra mim? Principalmente agora.


-Jacob o que...


-Você sabe? – Jacob me pressionou.


-Não. – Eu disse num fio de voz.


-Calleb teve um imprinting com tia Sarah.


-E o que seria isso? Jacob isso é alguma piada? Por que não tem graça.


-Imprinting é mais uma coisa de lobo. Às vezes... Não sabemos bem o porquê ... Encontramos nossa parceira assim. – Jacob desviou o rosto pra mãos e depois olhou pra mim. – Nossa alma gêmea.


- Você ‘tá brincando né? – Eu perguntei rindo.


- Nem um pouco.


-E o que eu tenho a haver com isso? – Eu estava começando a mi irritar. – Calleb sofreu um imprinting há 15 anos, Sarah largou meu pai por que o imprinting é mais forte que tudo. Ok entendi. Mas aonde eu entro nessa história?


-Hoje mais cedo, no seu quarto, nós tivemos um imprinting. – Jacob disse num fôlego só.


-Fiquei sem reação. Não conseguia nem respirar. Eu não ouvi direito, só pode.


-Co- Como é? – Eu gaguejei e pisquei os olhos três vezes pra me situar.


-, você é meu imprinting e eu sou o seu.


-Isso... Nós... Por quê? – Eu gaguejei de novo, estava completamente perdida.


- Eu também não sei por que isso aconteceu com a gente, mas aconteceu. Nós tivemos um imprinting.


Desviei meus olhos de Jacob e olhei para minhas mãos. O jeito que ele me olhava estava me deixando sem jeito.


-E agora? – Eu perguntei ainda fitando minha mão.


-Agora agente se beija.


Levantei o rosto pra saber se Jacob estava brincando, mas seu rosto estava sério com um pequeno sorriso malicioso no canto da boca. Jacob segurou meu barco com uma mão e a outra apoiou no chão ao lado do meu corpo. Eu não conseguia me mexer, meu coração batia tão rápido que parecia que ia pular pra fora. Meu estômago deu uma cambalhota quando a respiração quente de Jacob tocou meu rosto, senti seus lábios tocarem os meus delicadamente com medo de me assustar – como se eu já não tivesse – Quando ia abrir minha boca e dar passagem pra Jacob, um motor de carro barulhento surgiu do nada, me fazendo dar um pulo pra trás.


-Merda! – Resmunguei enterrando o rosto nas mãos.


-Bella? – Jacob arfou olhando a caminhonete vermelha desconhecida pra mim. A porta da caminhonete abriu e dela saiu uma menina mais branca que eu, com cabelos escuros que caiam em cachos nas costas e olhos cor de chocolate.


-Bella! – Jacob gritou e correu na direção da garota. Parecia que alguém jogou um peso de 100 kg em cima de mim quando Jacob pegou Bella no colo e a girou no ar.


-Como conseguiu chegar aqui? – Jacob perguntou eufórico.


-Eu fugi – Bella respondeu com a mesma animação.


-Incrível!


Bella percebeu que na estava sozinha com Jacob e perguntou em voz baixa, talvez para eu não escutar. Coitada.


-Quem é ela? – Jacob virou o rosto pra mim, mas não respondeu.


-Como me achou aqui?


-Fui até sua casa, mas não tinha ninguém e quando estava indo embora encontrei Embry e ele me explicou como chegar aqui. Então, quem mora aqui? – Bella olhou pra mim de novo e franziu o cenho.


-Essa é casa da minha tia Sarah – Jacob olhou pra mim - E esta é minha... hum...prima. .


Olhei pra Jacob e esperei ele dizer o resto. Que eu era o imprinting dele e que Bella atrapalhou nosso 1º beijo. Mas Jacob não disse nada, absolutamente nada.


-Prazer eu sou Bella – Levantou uma mão e acenou.


- Não posso dizer “o prazer é meu” – Eu retruquei e levantei num pulo. O sorriso de Bella morreu no mesmo estante. Jacob abriu a boca pra falar, mas eu o interrompi.


-Não fala nada Jacob.


Girei nos calcanhares e entrei em casa batendo a porta com mais força que o necessário. Todos na sala pararam para me olhar, corri pra até escada e pelo canto do olho vi Seth se preparando pra pular da bancada


-Agora não Seth! – Minha voz parecia mais um rosnado e Seth parou no meio do movimento.


Abri a porta do quarto com chute e a mesma bateu com tudo na parede, fechei a porta com mais força ainda fazendo as dobradiças de cima se soltarem.


Dei um passo em direção à cama, mas cai em meus próprios joelhos. Todo meu corpo tremia de raiva, meus olhos estavam embaçados e meus soluços estavam cada vez mias alto.


Por que uma vez na vida, eu não podia ficar bem?


Eu fiz alguma pro mundo? Eu não sou tão ruim assim. Sou?



Capitulo 4: Verdades.




Dois dias se passaram e eu não tive nem sinal de Jacob, naquela noite nós teríamos ronda juntos, mas ele não apareceu. Sam foi ao lugar dele e o mais estranho foi que Sam não trocou uma palavra comigo.


Agora em plena segunda-feira, estou jogada na minha cama ouvindo música e esperando Seth sair da escola. Era pra eu estar na escola também, mas eu consegui convencer Sarah a me deixar ir pra Forks. Eu joguei a conversa de não me sentir bem aqui e blá, blá, blá... Então foi fácil. Difícil esta sendo reunir coragem e falar com os dois sobre o imprinting. Minha cabeça da uma volta só em pensar nesse assunto e acabam me levando ao ponto que começou isso tudo. Jacob Black.


Sacudi a cabeça e pra tirá-lo da minha cabeça, olhei o relógio de pulso mais uma vez. Mas meia hora e o Seth sai escola


- ? – Sarah abriu a porta e colocou a cabeça pra dentro. – Chegou uma coisa pra você.


-Uma coisa? – Levantei da cama e fui atrás de Sarah que só faltava pular de tanta emoção.


Cheguei à sala e rodei os olhos procurando por alguma coisa diferente e só achei umas seis caixas encostada perto da porta.


-Minhas coisas? – Perguntei apontando para as caixas. – Só isso?


-Também, o maior está Lá fora. – Sarah pegou minha mão e me arrastou até a varanda.


Assim que passei pela porta, meus olhos se arregalaram e eu abri a boca em um “o” perfeito.


-Meu carro! – Corri na direção do meu Camaro vermelho 1967 e deitei no capô de braços abertos, como se eu tivesse o abraçando.





-Até que fim um sorriso. – Escutei Calleb falando atrás de mim, mas fingi que não escutei.


-Posso dar uma volta? Por favor, mãe faz tanto tempo que eu não dirijo meu bebê.


-Ok, vai lá – Sarah jogou a chave pra mim eu a peguei no ar. – Só não volte tarde.


-Claro, claro.


Entrei no carro e sorri quando o motor roncou, meu Camaro podia ser antigo, mas muito bem conservado. Afinal meu pai era o melhor mecânico de Venice Beach, Santa Monica. Manobrei e segui pra escola da Reserva. Repetia sem parar na minha mente que estava indo até lá pra mostrar meu carro pra Seth, mas meu coração brigava comigo dizendo que eu estava indo atrás do meu imprinting.


Estacionei o carro perto da saída da escola e desci. Sentei-me no capô com os joelhos dobrados na altura do peito, olhei o relógio de novo. 20min. Meu coração batia forte e eu respirava fundo tentando acalmá-lo, mas ele não obedecia. Deitei no capô e cobri o rosto com as mãos. Era tão difícil assim esquecer Jacob por 20min?


Fiquei naquela posição até que o sinal bateu anunciando o final das aulas. Sentei de novo e olhei pro portão da escola. Meninos e meninas com alguma semelhança saiam apressados. Todos ali eram iguais, o tom de pele, os cabelos lisos e escuros e os olhos também escuros. Eu era com certeza, o ser estranho o invasor. Nunca iria pertencer aquele lugar, seria sempre “a filha estrangeira da Sarah” nunca seria “, a filha da Sarah”. Encostei a testa no joelho e deixei as lágrimas cair, eu não era dali e nunca seria.


-Hey! – Escutei alguém chamando, sequei os olhos rápidos e levantei a cabeça, encontrei Seth sorrindo com os braços abertos.


-Hey Seth – Levantei e fui abraçá-lo – Até que enfim!


Antes que eu pudesse jogar meus braços ao redor do seu pescoço, como sempre fazia, Jacob apareceu do nada jogando sua mochila no chão e segurando meus pulsos com força, seu rosto estava preocupado


-Qual o problema? – Jacob perguntou avaliando meu rosto.


-Eu que pergunto – Puxei meus braços e dei um passo pra trás, ter Jacob perto de mais me deixava sem ar. – Andou fumando alguma coisa?


-Você estava chorando. – Não foi uma pergunta e agora Jacob me olhava aflito.


-Co-como você sabe? – Dei mais um passo pra trás e bati com as pernas no carro.


-Eu não sei – Jacob passou as mãos no cabelo e suspirou – Eu meio que senti.


-Do que vocês estão falando? – Seth cruzou os braços no peito, irritado e confuso.


-Nada! – Jacob e eu gritamos juntos, um encarava o outro e uma sensação estranha dizia para eu me jogar nos braços de dele e esquecer tudo e todos. Involuntariamente dei um passo à frente junto com Jacob.


-Pára com isso! – Eu gritei.


-Não sou eu – Jacob gritou de volta – Você sabe que não sou eu!


-O que está acontecendo? – Seth parou entre mim e Jacob. - fala logo o que ‘tá rolando aqui. Eu não gosto de ficar boiando!


-Nós tivemos um imprinting. – Jacob disse sem tirar os olhos de mim.


-Vocês o que? – Seth estava mias confuso do que antes.


-Isso que você ouviu – Eu respondi desviando o rosto de Jacob pra Seth.


-Quando?


-Sábado, no meu quarto.


-Por que não me contou – Seth abriu um sorriso – Isso é bem legal


-Não, não é. – Eu respondi séria, Jacob abaixou a cabeça e suspirou.


-Seria se você não fosse tão cabeça dura. – Jacob falou com a cabeça baixa.


-Não Jacob, seria se você não gostasse da Bella!


-Jake você ainda gosta dela? – Seth perguntou um pouco surpreso.


Jacob não disse nada, e seu silêncio foi como um soco no estômago. Fechei os olhos e respirei fundo pra tentar me acalmar e segurar as lágrimas.


-Não acredito nisso Jake. – Seth disse. Senti os braços de Seth em minha volta e me enterrei neles. – Acho melhor você ir.


Não abri os olhos pra saber se ele tinha ido ou não, Seth ficou abraçado comigo até que eu me acalmasse.


-Melhor? – Seth perguntou depois que o soltei.


-Não mais vou ficar.


-por que não me contou?


-Por quê eu não sabia direito o que estava acontecendo e não tive oportunidade.


-Por que você acha que o Jake ainda gosta da Bella?


-Por quê eu vi no sábado.


-Ah. – Olhei pra Seth e ele estava pensativo, ele sabia que eu estava certa.


-Sam já sabe?


-Não por mim.


-E você vai falar?


-Ainda não, vou deixar como está. Não quero que ninguém saiba ainda.


-E agora? Quero dizer, vocês tiveram um imprinting, não se pode lutar contra isso, vai por mim Bella não tem chance.


Cruzei os braços no peito e sentei no capô do carro. Encarei Seth com olhos serrados.


-Como você tem tanta certeza gênio?


-Por que eu vi isso acontecer na minha própria casa.


Meus braços amoleceram e caíram ao lado do corpo, eu não conseguia acreditar que isso aconteceu com Seth.


-Como é? Você...


-Eu não garota, - Seth riu e me empurrou de leve. – Minha irmã Leah.


-Leah? O que aconteceu com Leah?


- Sam e Leah eram namorados no colégio. Começaram a namorar quando ela estava no 1º ano, planejavam casar e tudo.


-Mas Emilly... – Minha mente deu um estalo quando a ficha caiu. – Imprinting.


-Exato! É por isso que eu tenho tanta certeza, Bella não pode lidar com isso. Imprinting é imprinting.


Ficamos o resto do dia sentados no capô do carro conversando bobagem, passar o tempo com Seth era bom, eu conseguia esquecer a confusão que minha vida se tornou e conversar sobre coisas de adolescentes, como meu carro, futebol, basquete, revista em quadrinhos, no caso do Seth, garotas. É claro que eram ‘coisas de garotos’, mas eu nem ligava, eu até gostava.


Quando deu 17h00min resolvemos ir embora, até por que eu tinha ronda as 18h00mim e estávamos com muita fome.


-Te vejo amanhã maninha? – Seth perguntou antes de descer do carro.


-É claro maninho, mas não vou poder te buscar, amanhã começa minhas aulas.


-Ah, em Forks, certo. Então tchau. – Seth deu um beijo na minha testa, pulou pra fora do carro e correu pela chuva até a varanda. Manobrei o carro pra sair dali, estacionei o carro de qualquer jeito na entrada da minha casa e corri pra dentro.


Entrei em casa balançando o cabelo pra tirar o excesso de água pendurei meu casaco no suporte perto da porta. Virei-me pra sala e encontrei Sarah e Calleb abraçados no sofá assistindo televisão. O amor deles me causava certa inveja. Talvez um dia eu tivesse um amor assim, talvez um dia eu esteja nos braços de Jacob assim. Sem que eu percebesse as lágrimas caíram pelo meu rosto, passei a mão rápido pra limpar e respirei fundo. Era agora, A hora de dizer a verdade.


Andei lentamente até eles e limpei a garganta. Os dois olharam pra mim, Calleb apertou o botão mudo e eu senti minha coragem ir embora, mas mesmo assim me forcei a continuar.


-Posso falar com vocês. – Perguntei em voz baixa.


-Claro filha, qual o problema?


Sentei-me na mesa de centro de frente pra eles, suspirei e soltei se uma vez.


-Eu sei sobre o imprinting.


Calleb e Sarah arfaram ao mesmo tempo e trocaram um olhar surpreso.


-Eu sabia que esse dia ia chegar – Sarah desencostou do sofá e segurou minhas mãos - eu sinto...


-Não mãe – Eu a cortei – Eu sei que não foi sua culpa, nem sua Calleb – Acrescentei rápido – Eu entendo a força de um imprinting, eu sei que é impossível lutar contra isso.


-, Jon foi um bom marido e um ótimo pai, eu realmente o amei, mas como você mesma disse o imprinting é muito forte.


Sarah olhou pra Calleb e sorriu, mais uma vez senti a pontada da inveja. Desviei os olhos pro meus tênis e segurei pra não chorar.


-Como ficou sabendo? – Calleb perguntou, respirei fundo antes de levantar a cabeça e responder com uma mentira.


-Ouvi no bando. – Calleb me olhou desconfiado e eu fingir não perceber, olhei o relógio de pulso pra disfarçar e levantei rápido lembrando-se da ronda


-Eu tenho que ir, tenho ronda agora.


Sarah segurou minha mão e percebi que ela queria que eu ficasse com eles essa noite. Então fiz uma coisa que jamais pensei fazer, me joguei no colo e apertei meus braços ao redor do seu pescoço. Sarah passou os braços em volta do meu corpo e enterrou seu rosto no meu ombro, pude sentir as lágrimas molhando a manga da minha blusa.


-Senti tanto sua falta filha. – Sarah disse com a voz embargada.


-Eu também mãe – Declarei sentido à verdade em cada letra daquela frase, eu não tinha ideia do quanto ela fazia falta.


Pelo canto do olho vi Calleb levantar do sofá, joguei minha perna em seu colo impedindo que ele fizesse o movimento. Ele me olhou confuso e a única coisa que consegui fazer foi sussurrar um “sinto muito por tudo” Calleb abriu um sorriso e assentiu, pude ver que seus olhos estavam marejados.


Depois que Calleb ligou pra Sam e explicou o que aconteceu, Sam me liberou da ronda, mas me puniu com duas noites seguidas. Ficamos sentados no sofá vendo filme e comendo pipoca. Sarah não me deixou descer do seu colo e eu também não queria sair. Quando deu 23hs00mim, resolvi ir dormir, até porque amanhã seria meu 1º dia de aula. Dei um beijo na testa de Sarah e Calleb e fui pro quarto. Eu me sentia leve e feliz, parecia que eu tinha tirado um peso das minhas costas. Mas quando abri a porta do quarto e ascendi à luz, meu coração pesou uma tonelada.


Jacob estava parado na parede ao lado da janela com as mãos no bolso e o rosto me encarando.


-Você não foi à ronda. – Jacob falou com a voz baixa.


Respirei fundo pra aclamar meu coração, andei até a cama e me sentei com as pernas dobradas.


-Descobriu isso sozinho?


-Por que não foi? – Jacob saiu da parede e andou até cama, sentando ao meu lado. Eu podia sentir a força do imprinting nos puxando.


-Acho que não é da sua conta. – Deitei na cama com os braços atrás da cabeça, eu estava demonstrando uma calma que eu não tinha. Por dentro eu estava totalmente transtornada. Jacob estava perto de mais


- Na verdade é. Afinal você é meu imprinting – Jacob tinha um sorriso presunçoso nos lábios.


-Só por isso tenho que te contar tudo?


-Você sabe, - Jacob deitou ao meu lado e meu coração deu um pulo. – Não existem segredos entre o imprinting.


-Mas existe entre você e eu.


-Quando você vai aceitar? – Sua voz ficou mais grave, com raiva.


-Quando você aceitar.


-Como é?! – Jacob sentou e me encarou. – Eu aceitei no momento que aconteceu.


-Rá! – Eu ri sem humor e me sentei também– Você devia ser comediante. Sério. Responde-me uma coisa, você ainda gosta da Bella?


Jacob ficou quieto como da outra vez e isso estava me deixando com raiva.


-Responde Jacob – Exigi – Pelo menos uma vez, responde.


Jacob desviou os olhos pra frente e suspirou.


-Estou dividido, eu ainda gosto dela, mas toda vez que estou perto de você, - Jacob olhou pra mim e sorriu – Eu não sei explicar o que é, só sei que é muito forte.


Os olhos de Jacob eram tão profundos que me deixavam sem jeito. Desviei os olhos pra minha perna e senti minha bochecha corando.


-Você gosta dela, mas não sabe dizer o que senti por mim?


-Não sei explicar, não consigo explicar.


Jacob segurou meu queixo com as pontas dos dedos e puxou meu rosto pra cima. Nossos rostos estavam tão próximos que o seu hálito quente me deixava mais tonta. Quando nossos lábios se tocaram, eu podia jurar que vi estrelas brilhando. Sua língua pediu passagem e imediatamente eu dei, assim que nossas línguas se encontraram um calafrio gostoso percorreu minha espinha. Minhas mãos começaram a se mover sem controle e foram para seu pescoço, o puxando mais pra mim, Jacob segurou meu quadril com força e me jogou na cama, suas mãos percorriam toda lateral do meu corpo, subindo pela minha barriga por baixo da camiseta. Apertei seus ombros com força e passei minhas pernas por seu corpo. Jacob separou nossos lábios e sorriu. Aquele sorriso que fazia tudo a nossa volta sumir, eu não sabia onde eu estava nem o que estava falando antes de beijá-lo. Jacob desceu para meu pescoço, fazendo um caminho com a ponta da língua do meu queixo até minha orelha, tive que morder meu lábio para segurar um gemido alto, enquanto Jacob sussurrava meu nome me meu ouvido.


Eu sabia o que estávamos prestes a fazer, mas eu não consiguia me controlar, nem com Josh, com quem eu fiz a primeira vez, eu fiquei assim. Mas, meu corpo todo paralisou quando a imagem da Bella invadiu minha mente, e a voz de Jacob dizendo que ainda gostava dela.


-Que foi? – Jacob se afastou percebendo minha mudança.


-Estamos rápidos de mais.


-Eu pensei que você... Bem... Você sabe.


-Eu sei – sai de baixo de Jacob e sentei de frente pra ele um pouco envergonhada – Você não sabe o que sente por mim.


- por favor – Jacob segurou meu rosto com as duas mãos. – Você ainda não entende?


-Eu entendo que voe está divido. – Segurei suas mãos tirei do meu rosto. – E não é certo fazer isso.


-Não é certo o que VOCÊ está fazendo – Jacob falou o ‘você’ com mais ênfase – Por quanto tempo vai me evitar?


-Não estou te evitando, estou tentando não me machucar, quem garante que você não vai correr pra Bella na primeira oportunidade?


Jacob ficou em silêncio, mas seus olhos estavam tristes, ele sabia que eu tinha razão.


-Nosso imprinting não funciona direito – sussurrei – E nunca vai funcionar.


-E seu eu disser que você está errada? – Jacob continuava sério.


-Não vai mudar o que eu acho. Agora, por favor, vai embora.


Jacob levantou da cama e foi em direção da janela, olhou pra mim mais uma vez antes de pular e sussurrou um “sinto muito”.


Enterrei-me na cama e deixei as lágrimas caírem. Eu me sentia uma idiota. E se eu estivesse certa e nosso imprinting nunca funcionar? E se eu desperdicei a única chance de ter Jacob só pra mim? E se Seth estiver certo? E se, e se, e se...


Minha cabeça girava tanto que nem percebi quando cai no sono.



Capitulo 5: Santa Paciência




Acordei na terça-feira com Sarah gritando que eu iria me atrasar e nem assim me apressei em me arrumar. Minha noite foi péssima, acordei toda hora, e sempre que voltava a dormir, Jake invadia meus sonhos. Levantei da cama praticamente me arrastando e case cai quando tropecei em umas das muitas caixas que chegou com minhas coisas. Vou ter muita coisa pra arrumar...


Sai do quarto e fui direto tomar café, com esse lance de lobo, eu já acordo com fome. Quando cheguei à cozinha, Sarah estava preparando meu cereal e ainda reclamava sobre meu sono pesado.


- você tem que parar de dormir tarde, vai chegar atrasada no 1º dia.


-Mãe relaxa – Dei de ombros e comecei a tomar café – Forks não é tão longe assim.


-Já são 7h00min, você entra às 08h00min, se continuar nessa moleza você vai se atrasar.


-Você é muito estressada, devia se acalmar, eu sei que estou fazendo, não vou me atrasar.


-Eu não sou estressada.


-Já sei – Sorri - Callbe saiu não foi?


-Saiu, tem um trabalho grande em Port Angeles– Sarah se jogou na cadeira e suspirou – E só volta hoje à noite ou amanhã de manhã.


-Calma mãe, ele vai te ligar a cada momento do dia.


-Ele já ligou – Sarah e eu sorrimos – E falou que vai ligar de meia em meia hora.


-E você vai ficar sozinha? - Perguntei


-Não vou ficar com seu tio Billy e a Sue.


-Manda um beijo para os dois.


Levantei da mesa, sem ter tomado café direito, mas não conseguia comer com Sarah suspirando e se lamentando por Calleb está fora. Fui pro quarto procurar uma roupa decente pra vestir, e decide por uma blusa branca com listras pretas de manga comprida com capuz e uma calça jeans escura, resolvi dar uma folga pro meu all-star preto e escolhi o branco. Depois que tomei banho, prendi o cabelo em coque mal feito e peguei minha mochila vermelha surrada, olhei o relógio mais uma vez e percebi que se demorasse mais um pouco chegaria realmente atrasada.


-Tchau mãe até mais! – Gritei por cima do ombro enquanto abria a porta de casa. Andei calmamente até meu carro, assoviando uma música qualquer e rodando as chaves do carro no dedo, quando cheguei ao carro, as chaves caíram e parei de cantar na mesmo hora. Jacob estava parado ao lado do meu carro encostado na sua moto com os braços cruzados no peito. Fiquei alguns momentos sem respirar só contemplando aquele monumento.





-Oi – Jake falou com um sorriso malicioso de canto


-Hey – Abaixei pra pegar a chave do chão e aproveitei pra respirar fundo. – O que faz aqui?


-Posso de dar uma carona? – Perguntou ele como se eu não tivesse perguntado antes.


-Eu tenho carro. – Apontei pro meu carro ao lado dele


-Eu sei, ‘to vendo.


-Então já sabe a resposta. E o que faz aqui?


-Queria te ver. - Jacob descontou da moto e andou até mim, senti as borboletas no meu estômago reclamarem e minha pulsação se alterar. Que legal. - Ontem a noite não terminou muito bem. Queria me desculpar.


-Será que pode ser depois? Eu não quero chegar atrasada no 1º dia.


-Você é inacreditável sabia? – Jake sorriu e balançou a cabeça – Eu quero me desculpar e você pede pra se outra hora.


-Sabe como é né – Gesticulei feito uma maluca eu estava começando a ficar nervosa – Escola nova, gente nova, cidade nova não quero dar motivo pra falarem de mim e...


Parei de falar quando a boca de Jacob me interrompeu em um beijo urgente e quente, nossas línguas se enroscavam em uma dança ousada, Jake apertou minha nuca e com a outra mão me agarrou pela cintura e me puxou com força para seu corpo. Prendi meus braços em volta do seu pescoço e enterrei minha mão em seu cabelo. O beijo foi diminuindo até alguns selinhos um, dois, três... Eu ainda estava presa nos seus braços, nossas respirações estavam profundas e altas. E minha cabeça girava


-Pra que... Isso? – perguntei com dificuldade.


-Pra você calar a boca. – Jake beijou minha testa – Agora posso te dar uma corona?


-Se eu deixar, como vou voltar pra casa depois?


-Eu te busco.


-Sério? – Me afastei um pouco pra ver seu rosto.


-Acha que eu ‘to brincando?


-Eu ainda não sei quando você fala sério.


-Agora, por exemplo, eu estou falando sério.


-Ok, - Me afastei dele e joguei minha chave que ele pegou no ar. – Vamos no meu carro.


-Sério?! – Jake abriu um sorriso enorme – Você vai me deixar dirigir o Camaro?
-É não sou tão chata assim e você, não vai pra escola?


-Nós vamos juntos .


-Juntos? Jake você sebe onde eu estudo?


-Na Reserva não? Você é da mesma série que eu.


-Não Jake – Ri sem humor – Eu estudo em Forks.


-Repeti – Jake fechou os olhos, e serrou os punhos, eu podia ver seus braços tremem de leve. Falei alguma coisa errada?


-Minha escola é em Forks. Qual o problema?


-Por que Forks?


- Não sei, eu escolhi estudar lá – Falei sem me aprofundar no assunto.


-Agora mesmo que eu vou te levar.


-Como assim “agora mesmo”?


-Você não sabe quem estuda em Forks?


-Não. Deveria?


-Os Cullens.


Arqueei as sobrancelhas totalmente surpresa. Vampiros estudam?


-Eu não sabia que vampiros estudavam.


-Vem eu vou te levar depois eu volto pra escola – Jake estendeu a mão pra mim.


-Jake, eu não preciso de babá eu sei me cuidar.


-Quem disse que eu quero ser sua babá? – Jake sorriu malicioso pra mim e não pude evitar de ficar com o rosto vermelho.


O caminho pra Forks foi normal, não falamos sobre a noite passada nem sobre o beijo de agora a pouco. Mas mesmo assim eu tinha um sorriso enorme no rosto e Jake também. Quando entramos no estacionamento, nós fechamos a cara ao mesmo tempo, meu corpo ficou tenso e meu nariz ardeu.


-Que cheiro é esse? – Eu perguntei tapando o nariz com a mão.


-Vem deles. – Jake apontou pra frente com a cara pior que a minha.


-Eu conheço aquele carro... – Falei pensativa.


-É claro que conhece é o Edward Cullen.


Jake nem terminou a frase e Edward, Bella e outra vampira que eu não conhecia desceram do carro e nos encararam.


-Aquele não é o carro do Jake – Bella sussurrou pra Edward. – O carro dele é um Rabbit e não um... Que carro é aquele?


-É um Camaro 1967 e você tem razão, não é do Jacob. É da .


Jake soltou um rosnado ao meu lado quando Edward falou meu nome, e até eu fiquei com medo.


-Jake agora eu tenho que ir, ainda tenho que passar na secretária. Não se esquece de mim ok?- Me virei pra descer do carro, mas Jake segurou meu braço impedindo meu movimento.


-Espera. – Virei o rosto pra ele, Jake acompanhava os Cullens e a Bella andando pra dentro do prédio com os olhos serrados. Quando eles sumiram de vistas Jake afrouxou o aperto mais não soltou meu braço.


-Posso ir agora? – Perguntei com raiva. – Isso é ridículo, eu sei me cuidar Jake, eu não sou uma humana comum que saco!


-O que é isso? – Jake encostou um dedo na minha nuca, ignorando minha reclamação, o que fez minha pela se arrepiar.


-I- Isso o que? – Gaguejei.


-Quando você fez uma tatuagem?


-Ah isso? – Perguntei sem jeito e levei uma mão pra nuca escondendo o desenho. – Foi quando eu tinha 15 anos. Eu era bem rebelde.


- Tio Jon deixou isso?


-Ele nunca soube. – Sussurrei e abaixei a cabeça, a lembrança do meu pai me atingiu com força.


-Desculpe – Jake segurou meu queixo e puxou pra cima – Não foi minha intenção.


-Eu sei.


-Eu gostei – Franzi a testa pra ele sem estender – Da tatuagem, eu gostei combina com você.


Minha tatuagem era simples, as veze eu esquecia que eu tinha uma. Em um momento de rebeldia no qual eu ainda não entendia a razão de Sarah ter deixado meu pai e achava que ela faria a mesma coisa comigo.





O sinal da escola tocou anunciando que eu estava mais do que ferrada, me atrapalhei pra pegar minha mochila no chão do carro e descer. Jake segurou meu braço mais uma vez e me puxou para um beijo rápido. O que me tirou de órbita por alguns minutos.


-Agora pode ir. – Ele falou com um sorriso grande no rosto, retribui o sorriso um pouco tarde já que não conseguia pensar com clareza e desci do carro um pouco cambaleante. Jake manobrou o carro e buzinou duas vezes ao passar por mim.
Enquanto andava pela calçada em direção ao prédio da secretaria minha cabeça não parava de passar o que tinha acabado de acontecer. Jake apareceu na minha casa de repente, me trouxe pra escola, me beijou duas vezes na mesma manhã e ainda estava todo protetor, todo ‘Love’, todo carinhoso...


-É realmente estranho vê-lo assim.


A voz de Edward apareceu atrás de mim fazendo meu corpo parar e os tremores começarem. Eu estava tão perdida em pensamentos que nem o senti se aproximando.


-Perdida seria a palavra ideal pra você agora.


-Cai fora da minha cabeça. – rosnei me virando pra encará-lo.


-Calma , só estou curioso.


-Eu também – Tombei a cabeça de lado e fiz minha melhor cara de sínica – Você não devia está na aula?


-Ninguém me viu saindo.


-Bom pra você. – Me virei e continuei andando até a secretária – Tchau Edward.


-Por que está aqui?


-Estou fazendo o mesmo que você – Me virei de novo e sussurrei fazendo sinal de aspas – “Mantendo a aparência”.


-Sam te mandou? – Levantei uma sobrancelha e esperei pra ver se era algum tipo de piada. Edward não falou nada e eu explodi em uma gargalhada alta.


-Fa-fala sério – Falei entre risos – Você lê mentes gênio, não saberia se fosse verdade?


-Então por que escolheu Forks?


-Olha aqui sanguessuga, eu não ti devo explicações. – Girei nos calcanhares e andei a passos largos para o prédio evitando ao máximo pensar no real motivo pra não estudar na reserva.


-Você se sente excluída. – Edward falou atrás de mim. Parei no meio do movimento, mas não me virei pra olhá-lo
-Vai embora.


-Só mais um aviso, fique longe da Bella – A voz de Edward ficou mais baixa – Eu vi na sua mente a raiva que você tem dela.


-Dê esse recado a ela. – Minha voz também estava baixa – E não a deixe cruzar o meu caminho.


*-*-*
Durante o dia eu tive que me fugir dos Cullens, não por medo, mas por falta da paciência. Eu sabia que se encontrasse com eles de novo, não conseguiria me controlar por muito tempo. E pra comprovar minha teoria, enquanto eu estava parada no estacionamento esperando Jake chegar, Bella veio falar comigo.


-Oi – Ela disse um pouco tímida. Não respondi o que a deixou mais nervosa. – Eu queria me desculpar por aquele sábado, tive impressão de que estava atrapalhando alguma coisa...


-O Sr Gelado sabe que você está falando comigo? – Eu a cortei.


-Sr Gelado?... Ah! Edward! Não ele não sabe por...


-Então deveria. O seu namorado não quer que você fale comigo e eu não quero falar com você.


-Ok, eu só queria conversar. Sabe Jake é meu amigo há bastante tempo e eu pensei que...


-Pensou errado, eu não quero fazer parte do seu jogo de egoísmo Bella, eu quero você longe de mim. – Me aproximei um pouco e sussurrei – Até por que eu posso perder o controle.


Bella arregalou os olhos pra mim e sua boca se abriu um pouco. Eu vi a surpresa e o entendimento estampados no seu rosto.


-Você... É... Você...


-Bella? – Edward chamou aparecendo atrás dela. – Você está bem?


-Só está em estado de choque. – Eu respondi calma – Ela vai ficar bem.


Edward ia falar alguma coisa pra mim, mas se calou quando o meu Camaro entrou no estacionamento e parou na nossa frente. Jake desceu do carro e veio na minha direção quase correndo, rolei os olhos pra ele e depois sorri, Jake retribui o sorriso.


-Qual o problema aqui? – Jake perguntou sério.


-O que faz aqui Jake? – Bella parecia confusa.


-Vim buscar a . Bella você ‘tá bem? Parece que vai desmaiar.


-É só excesso de informação. – Balancei a mão parecendo despreocupada.


-Contou pra ela sobre o... – Jake não terminou a frase e nem precisa.


-Não isso não – Balancei a cabeça – Quem tem contar isso é você não eu.


Jake assentiu concordando comigo, o que me deixou mais surpresa ainda.


-Contar o que? – Bella perguntou.


-Eu sofri um imprinting Bella – Jake soltou de uma vez e até eu arregalei os olhos, eu não esperava que ele falasse assim e agora.


-Você... – Bella olhou de Jake pra mim e depois pra Edward que fez que sim com a cabeça. – Só eu não sabia?


-Não se faça de vítima – Eu falei seca - Isso não é sobre você.


-Por favor. – Edward pediu pra mim, dei de ombros e virei o rosto pro outro lado.


-Acho melhor nós irmos – Edward passou o braço pela cintura de Bella e a puxou dali. Acenei pra eles com um sorriso debochado.


-Vamos? – Jake perguntou.


-Vamos, eu estou morrendo de fome. Parece que eu não comi nada o dia inteiro.


Jake e eu andamos até o carro, mas eu fui pro lado do motorista, Jake olhou confuso pra mim enquanto eu estendia minha mão pra ele.


-Nem adianta – Eu falei – Eu vou dirigindo.


-Ah qual é? – Jake choramingou.


-Não Jake, eu quero dirigir meu carro.


Contra gosto, jake tirou a chave do bolso da calça e jogou na minha mão. Quando me virei pra abrir a porta do carro, Jake segurou meu braço e me girou, colando minhas costas no carro. Tentei reclamar, mas não consegui dizer nem um “ai”, Jake desceu a cabeça até minha orelha e sussurrou.


-Me deixa dirigir?


-Nã-não.


-Por favor?


-O que? – Perguntei totalmente confusa.


Jake levantou o rosto e colou nossas testas, ele tinha um sorriso malicioso nos lábios e sabia que eu iria me render. Juntei um resto de consciência que eu tinha e o empurrei. Jake soltou uma risada pelo nariz e eu mostrei a língua pra ele.


-Posso fazer uma pergunta? – Eu falei já dentro do carro.


-Já fez – Jake respondeu dando de ombros.


-Por que isso tudo agora?


-Isso tudo o que? – Jake virou o rosto pra me olhar.


-Isso – Gesticulei pra nós dois sem tirar os olhos da estrada. – Hoje de manhã, me levar pra escola, me buscar... Isso tudo.


- ontem eu fiquei a noite toda pensando no que você me disse e ainda acho que você está errada, e pra ti provar isso, decide parar de lutar.


-Parar de lutar? – Lancei um olhar rápido pra ele e voltei a encarar a estrada.


-É você sabe – Jake hesitou – Não vou mais lutar contra o imprinting.


Freei o carro no mesmo estante, pra minha sorte a estrada estava vazia. Olhei pra Jake com os olhos arregalados. Isso quer dizer...


-Eu não gosto dela não como antes. Ela minha amiga só isso.


Destravei meu cinto de segurança e pulei no colo de Jake e distribui beijos por todo seu rosto até chegar à sua boca. Jake apertou minha cintura com força quando nossas línguas se tocaram.


Eu me sentia a pessoa mais feliz do mundo, mas lá no fundo eu sentia que isso não duraria por muito tempo. Eu odeio ser pessimista.


Capitulo 6: Recaída




-Você acha que é pra sempre? – Eu perguntei.


-Claro – Jake respondeu – Nós nascemos pra ficamos juntos.


-Certo. – Eu sorri, afinal era a única coisa que eu sabia fazer nos últimos três dias. Sorrir.


Mas eu sabia que aquilo era um sonho. La Push estava brilhante de mais, o por do sol estava bonito de mais, a praia vazia de mais. Jake e eu estávamos sentados na areia olhando o oceano. Ele estava atrás de mim com a cabeça apoiada no meu ombro e uma vez ou outra o beijava. Tive certeza que estava dormindo quando Jake começou a cantar “I belong to you" da banda Muse, sinal de que meu celular estava tocando e ele estava me ligando...


Abri os olhos e rolei na cama pra pegar meu celular em cima do criado mudo e atendi de má vontade.


-É bom se importante.


-Bom dia – Jake falou carinhoso


-Que horas são – Resmunguei e rolei na cama de novo.


-Cedo – Jake respondeu – Desculpe te acordar, mas eu preciso falar com você. Urgente.


Algo naquele “urgente” não soou legal pra mim. Até por que Jake nunca usou a palavra “urgente” antes com tanta ênfase.


-Aconteceu alguma coisa? – Perguntei já me sentando na cama.


-Aconteceu, mas não comigo. – Jake hesitou e eu fiquei mais nervosa – É a Bella.


Meu coração falhou uma batida e eu senti o sangue subir pelas minhas veias. Eu estava preste a explodir.


-E eu com isso? – Falei entre dentes, apertei o celular no ouvido e respirei fundo se não eu ia jogá-lo longe.


-Um vampiro invadiu sua casa. – Jake falou, a voz dele ficou mais baixa, sinal de raiva.


-Ok, vou falar uma coisa que talvez você já saiba – Falei sarcástica – Ela namora um vampiro! – Gritei a última frase.


-Um vampiro diferente , um desconhecido, e ele estava atrás da Bella, porque Charlie ainda está vivo. – Jake estava sério e eu podia sentir – mesmo de longe – a raiva dele.


-Tá e aquele idiota do Edward não podem fazer nada! Você tem que se meter?


-Ela ainda é minha amiga e se você não percebeu, ela está em perigo! – Jake gritou. Meu corpo inteiro tremeu quando percebi que ele estava ficando com raiva de MIM.


-E você me ligou pra que? Só pra falar isso? Ótimo já falou, já estou com raiva e já estou querendo matar você e ela!


-Eu liguei pra perguntar se você pode ir comigo em Forks. Precisamos pegar aquele cheiro, mas como você quer me matar é melhor deixar pra lá.


-Você quer mesmo que eu vá até a casa dela? – Fale irônica – Perdeu a noção né?


-Eu te seguro. – Jake falou rindo e eu percebi que a raiva tinha passado. Um pouco.


-Eu não sei... – Hesitei – Ela não vai com minha cara eu não vou com a dela... Então é me..


-Eu quero que você vá comigo – Jake me cortou – E eu preciso de você lá.


-Me explica como você consegue me forçar a não dizer não?


-Ótimo! – Jake disse depois de rir alto – Eu passo ai em 5min.


-Cinco?! – Gritei – Sério?


-Até, Beijo.


Jake desligou o telefone e logo em seguia eu pulei pra fora da cama e fui pegar uma roupa no armário. Optei, como sempre, por um short, mas deixei a regata e pegeui uma blusa de manga comprida preta e capuz, hoje estava chovendo mais que o normal. Corri pro banheiro tomei o banho mais rápido do mundo, deixei o cabelo solto cair em cachos irregulares nas costas e voei escada abaixo parando na cozinha pra pegar uns muffins jogar um tchau pra Sarah e Calleb e corri pra porta na mesma hora em que alguém dá três batidas.


-Hey – Falei animada quando abri


-Hey – Jake sorriu, passou uma mão pela minha cintura e me puxou pra seu corpo, me deu um selinho rápido e roubou dois muffins.


-Eu peguei isso pra mim – Eu falei ainda colado seu em seu corpo.


-O que é seu é meu. – Ele falou com a boca cheia.


-Não – Balancei a cabeça rindo – O que é seu é meu, o que é meu não é seu.


Jake gargalhou alto o que fez meu corpo inteiro tremer, já que estávamos colados um no outro.


-Então, - Eu falei quando ele parou de rir. – Vamos? Quanto menos tempo lá melhor pra mim.


Jake segurou minha mão e fomos juntos até o Rabbit, ele briu a porta do carona pra mim, o que me fez revirar os olhos e faze- lo rir. Era sempre assim, Jake fazia uma coisa romântica e eu revirava os olhos o soltava um surpiro. Eu não era do tipo “garota que adora atenção, ou garota romântica” na verdade nunca gostei muito disso...


O caminho pra Forks foi até tranqüilo. Por fora. Minha cabeça estava quase explodindo só de pensar encontrar aquela garota e aquele idiota do Edward. Eles não podiam resolver seus problemas sem levar outras pessoas juntos com eles pro buraco?


- chegamos. – Jake falou me tirando dos meus pensamentos maldosos de como matar a Bella sem ninguém saber.


-Ok, vamos logo com isso.


Desci do carro e andamos em silêncio, quando chegamos à escada da varanda percebemos que a porta da frente estava aberta.


-Legal tem um sanguessuga assassino atrás dela e ela deixa a porta aberta. - Falei irônica.


-Você acha que eles parariam com uma porta fechada?


-Questão de segurança. – Dei de ombros.


-Vamos entrar logo – Jake falou – Eu não gosto de ficar na chuva.


-Vai você, eu vou ficar aqui. Vigiando.


-Não precisa disso.


-É melhor assim.


Jake, mesmo a contra gosto, entrou e eu fiquei ali sozinha. Pelo menos por dois segundos.


-, nos encontramos de novo. – Edward saiu de dentro da floresta e andou até onde eu estava sentada.


-Infelizmente. – Resmunguei – Nem no final de semana vocês me deixam em paz.


-Motivo de força maior.


-Motivo de chatice maior.


-O que o Jacob viu em você? – Edward tombou a cabeça de lado e franziu o cenho.


-O que você viu na Bella? – Fiz a mesma cara que ele, só que mais debochada.


-Você se sente ameaçada por ela não é? – Edward perguntou e se aproximou mais agora ele estava bem na minha frente.


-Você lê mentes, Deveria saber.


-Eu tento não ficar o tempo todo na mente das pessoas.


-Como agora? – Perguntei sarcástica e apontei pra minha cabeça.


-Agora eu estou lendo a mente do Jacob.


-Não ler a mente dela é um saco né? - Abri um sorriso debochado – Você não sabe se ela fiel, e se ela estiver te traindo? Nossa! Seria de mais.


-Bella não é assim. – Edward falou com raiva.


-Como você pode saber? Você não lê a mente dela.


Quando Edward ia argumentar, um cheiro forte de sangue fez todos os meus sentidos se aguçarem, eu nunca tinha sentido aquele cheiro antes, mas eu sabia que era do Jake. Levantei num pulo e corri pra dentro da casa da Bella. Quando cheguei à cozinha, encontrei Bella se segurando na bancada preste a desmaiar e Jake com um pano de prato enrolado na mão.


-Que foi isso? – Perguntei já puxando sua mão pra ver o ferimento.


-Só um corte, nada de mais. – Jake deu de ombros e desenrolou o pano.


-Nada de mais? – Bella falou atrás de mim eu revirei os olhos – Você abriu um talo na mão me deixa cuidar disso.


Bella me empurrou pro lado e agarrou a mão do Jake. Franzi a sobrancelha pra ela e olhei pra Jake na esperança de que ele pudesse fazer alguma coisa, mas não fez nada, só ficou olhando pra mim com cara de quem tava com medo da minha reação. Era bom ficar mesmo porque eu estava a ponto de mandar a Bella pra lua com um soco.


-Você não vai fazer isso. – A voz baixa e grossa do Edward apareceu atrás de mim.


Então tira ela dali – Eu pensei pra ele.


-Bella deixa a cuidar disso.- Edward falou.


Bella lançou um olhar confuso pro Edward e depois pra mim, e quando eu pensei que ela ia sair ela não fez nada.


Edward me desculpa por isso, mas...


Avancei pra cima da Bella no mesmo estante que Edward a puxou pelo braço e Jake me segurou pela cintura, com as duas mãos.


-Edward o que foi? – Bella perguntou.


-O que foi? – Eu gritei pra ela – Se enxerga garota! Não cansa ser sonsa o tempo todo?!


- chega acabou, vamos embora.


Jake me puxou pra porta dos fundos, enquanto eu me debatia pra pegar pelo menos um fio de cabelo dela, mesmo que ela estivesse atrás de Edward.


Quando chegamos ao quintal, eu já estava mais calma, mas minhas mãos ainda tremiam. Jake soltou minha cintura e em um movimento rápido me pendurou no ombro e quase correu floresta adentro.


-O que você está fazendo? – Perguntei confusa tentando me livrar do aperto forte de Jake. Mas ele não disse nada só continuo andando pela floresta. Eu não sabia o que ele estava pensando, mas estava começando a ficar com medo.


De repente Jake parou de andar e me soltou, se eu não tivesse um bom reflexo, teria caído de bunda no chão.


-Qual é seu problema? – Eu perguntei com raiva.


-O meu? – Jake se aproximou de mim ficando a uns trinta centímetros. – O que deu em você?


-Do que você tá falando?


-Eu to falando do seu ataque de ciúmes desnecessário.


- desnecessário? Você tava lá, você viu que ela fez aquilo de propósito!


-Eu não sabia que você era tão ciumenta assim.


-E não sou – Me defendi – Mas sempre que estou perto dela eu fico assim. Eu defendo o que é meu.


-Você não confia em mim? É isso?


-Eu confio mais em você do que em mim.


-Então pra que aquilo tudo? E não vem com “ela fez de propósito” porque não foi.


Respirei fundo e levantei a cabeça, mostrando que eu não estava não paciência para aquilo. A chuva ficou mais forte e em segundos minha roupa ficou encharcada. Agora mais do que nunca eu queria ir embora.


-Olha Jake,- Comecei ainda com cabeça levantada, a chuva ensopando meu rosto. – Eu não sei, mas eu não me controlo perto dela. Talvez porque eu saiba por tudo que vocês passaram, não sei.


-Talvez você precise de um tempo pra assimilar isso.


Jake falou sério, encarei seu rosto com os olhos arregalados. Eu não queria acreditar que ele estava terminando comigo.


-Como? – Eu perguntei só pra ter certeza.


-Talvez...


-Não esquece, não precisa falar nada – Me virei e comecei a andar pra onde eu esperava ficar La Push.


-Aonde você vai? – Jake gritou atrás de mim


-À merda – Gritei por cima do ombro – E não quero você comigo.


-Você está exagerando.


-Talvez – Falei em um tom de voz normal, pois sabia que ele ouviria – Mas você não sabe? Eu sou exagerada Jake.


Continuei andando sem me importar se ele estaria atrás de mim ou não. Mas em menos de 5min eu não conseguia, mas dar um passo. Meus soluços ficaram fortes e um nó na minha garganta me dava vontade de gritar. É sempre assim, minha vida já virou rotina, não posso ficar feliz que sempre, sempre vem alguma coisa e acaba com tudo. Mas agora, era diferente. Jake era tudo pra mim, meu imprinting, meu amor, tudo. Tudo que eu não posso ter.
Parei de andar e me apoiei em uma árvore, escorei minha cabeça e chorei, chorei até não ter mais forças para isso. Eu teria que achar um jeito de conviver com a Bella pra ter o Jake de volta, só que orgulho encabeça minha lista de defeitos.



Olá! Nossa estou até sem graça de falar com vocês amores :/
Eu sei que estou em dívida com vocês, me perdoem... É que tenho passado por tanta coisa, que fiquei sem cabeça pra escrever, e talvez vocês vejam isso nos próximos capítulos, ou seja, vão ser um pouco tristes....
Mas é isso, me desculpem :/




59 comentários:

  1. Oi flor ta muito boa sua fic...Continua..Bjus!

    ResponderExcluir
  2. Adorei *-* posta mais plis super ansiosa :D

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua historia! Posta mais!
    Bjbj

    Erika_Ozera

    ResponderExcluir
  4. Já te disse antes, Vih. O capitulo esta fantastico, estou amando a história!^^
    Parabéns! Bjs e continua logo.

    ResponderExcluir
  5. Uouuuuuu,ta de mais mew...
    Ameii mesmo...
    Tipo att mais ok
    Bjx ;*

    ResponderExcluir
  6. SIMPLIESMENTE amo a fic... Continuua amr.. Parabens viiu

    ResponderExcluir
  7. Noosssa , morri !
    kkkkk'
    Está perfeita demais essa história
    *--*
    Tãao envolvente , com esse JACOB FILHO DA MÃE !
    Ele vai ter que ralar pra se redimir comigo u.u
    kkkkk'
    continue o mais rápido possivel !
    Parabéns desde já !
    Ass : Rayssa D.

    ResponderExcluir
  8. A fic é muito boa,amei flor.Continua que eu vou acompanhar.Bjs

    ResponderExcluir
  9. Que não ta agradando que nada...Sua fic ta linda é logico que ta agradando e muito adorei o capitulo. Bus!

    ResponderExcluir
  10. Cara, tô adorando a fic ta muito legal...nossa o Jake foi bem detestavel hein?!!!

    Mas ele ainda é PERFEITO

    Bjos
    Continua pq tah lindo!!
    ;))

    ResponderExcluir
  11. Gostei do começo da fic, ela me parece bem divertida. Esses momentos de brigas entre mim e o Jacob vão ser hilários, já tenho certeza.

    E Vih, eu gostaria de lhe fazer uma crítica construtiva ok?
    Eu percebi que várias vezes voce "comeu" palavras, escreveu uma coisinha errada e tudo mais, portanto, eu quero lhe dar a sugestão de vc passar os capitulos por uma revisão ortográfica antes, tipo Word. Uma fic com o português certinho e bonito é muito mais linda nao acha? :D

    É isso, espero por mais posts

    ResponderExcluir
  12. Menina que ódiiiiiiiiiiiiiiioooooooooooooo do jake ò.ó

    O que ele tá pensandooooooooooo?? Affffff


    e a Bella Songa? Vontade de quebrar a cara de parede dela. ARGGGGG


    flor não precisa agradecer. A fic é fantastica é uma honra ter ela no blog. Bjs

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. É oficial que eu simplesmente ODEIO a Bella!!! ò.ó
    Cara o mulherzinha p/ empatar a vida dos outros u.u

    E o Jake?Quem ele pensa que é, para me deixar plantada na escada da varanda para ir abraçar a songa monga e ainda por cima sem ter me beijado de verdade?Pq aquele beijo não é nem metade de um beijo de verdade, aquilo só foi juntar os lábios ò.ó...Ufa passou...

    Vcs conseguem associar a mais alguem da saga quando o Jake menciona: ''...branquela,magricela e sem sal''?(nem pensei na Bella u.u)(sarcasmo mode ON)

    Enfim, Ficou MARA esse capitulo
    e continua pq eu quero das uns tapas no Jake por ele ser idiota...e depois dar um beijão nele é claro (666³...

    Kisses

    ResponderExcluir
  15. BEm flor o que eu posso dizer sobre sua fic , está maravilhosa , mais o que eu posso dizer sobre o terceiro cápitulo , estou quase tendo um surto de raiva , como é que pode o jake não contar pra a snga monga da bela que eu sou o seu imprint , nossa eu to muito irrada com o jake ,e com vontade de arrancar a cabeça da bella fora ...muito boa mesmo a fic.

    ResponderExcluir
  16. Tipo assim néah flor.Por que a songa monga sem sal(julgo Bella)sempre atrapalha as coisas.E o Jake ainda por cima parece o cachorrinho de estimação dela mew que isso.Podia ter um cap que eu "acidentalmete" matavaa ela néh(sonho eterno *-*).
    Mesmo assim amei o cap.
    E ain amo a fic
    Posta mais tá
    Kisses

    ResponderExcluir
  17. Que RAAAAAAAAAAIIIIIIIIIVA da SONGAMONGA DA BELA SEMPRE ATRAPALHANDO TD E Q CARA DE PAU Q E´O JAKE PQ ELE TEM Q SER ASSIM ELE Ñ PODIA SER UM POUCO MENOS CACHORRO OLHA OQ ELE FEZ Q RAIVA DELE.!!!!
    Amei a fic post mais ta perfeito o cap
    bjs:Gabhy

    ResponderExcluir
  18. Vih que coisa mais linda foi o imprinting, que delicadeza simplesmente perfeito...Serio vc colocou muita emoção adoreiiiiiiiiii, em contra partida que raios Bella songa monga Swan veio fazer em La Push atrapalhando meu quase primeiro beijo Affffffffffffff que ódio Ò.Ó ( posso afoga-la na praia?) E o que foi isso de Jake? Tipo me ignorou? Prima? Que dorga aiaiaiai Jake ainda ta meio bocó né?
    P.s- Ai Vih fico feliz em ser uma inspiração para vc, mas flor o negocio é que vc tem talento mesmo. Bjus e continua

    ResponderExcluir
  19. Fui uma completa IDIOTA!!
    Eu é que não ia deixar uma imagem da Bella me abater ia ser até um incentivo, tipo: '' Engole essa, vadia!!''

    Mas se o Jacob depois disso corresse atras dela de novo, eu ia bater tanto nele que não ia dar nem pra se regenerar!!!


    Tah muito fofo...posta mais e posta logo :D

    ResponderExcluir
  20. Muito boa a fic. Continuaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  21. AI que ódio de mim, eu fui uma idiota , como é que quando eu estou com o meu jake tudo de bom , eu venho me lenbrar da Bella sem sal , corta essa , e manda essa vadia ir pro inferno , rsrsrsrsrsrsrrsr, adorando a fic

    ResponderExcluir
  22. Olha fui muitooo idiota mew.
    Por que tipo eu tava lá no melhor momneto da minha vida com o MEU Jake,e me vem a imagem da idiota songa monga que odeio(julgo Bella).
    Sério,muito idiota mesmo.
    To mto curiosa pra ler o que vai acontecer
    Posta mais tá
    Kisses

    ResponderExcluir
  23. Bem legal!!! Estou adorando. E esse Cullen, hein?? Que metido!!!!! Posta mais linda. bj

    ResponderExcluir
  24. Nossa ,quem esse Edward pensa que é pra ficar se impondo assim , quem ele pensa que é pra falar comigo assim , ai meu Deus eo meu jake todo preocupado comigo desse jeito , e sem contar o gosta da vitória de ter o jake contando que nós sofremos o imprint para a songa monga da Bella , ai flor amei o cápitulo.

    ResponderExcluir
  25. mt bom amei que Jake perfeito
    continua

    ResponderExcluir
  26. Vih minha flor, está perfeito. Amei o capitulo! Jaçe todo meigo OWN*-*

    ResponderExcluir
  27. Ameii de mais sériooo.
    Ele aceitou o imprint que de mais hehe.
    Tipo assim quero ver como a sem sal vai reagir a isso hehe.
    Amei o cap.
    Amo a fic
    Kisses

    ResponderExcluir
  28. Esse capítulo ficou maravilhooooso. Jake aceitando o imprinting e ficando todo atencioso. Tô amando essa fic.

    ResponderExcluir
  29. HAHAHAHAHA ADOREI as patadas que eu dei na Bella sem sal...senti o sabor da vingança ^^

    E o Jake todo lindo, fofo, sexy...hum...se rendeu ao imprinting!!

    Esse capítulo ficou PERFEITOOO!!

    Amei demais!

    BjaO ;))

    ResponderExcluir
  30. Putz! Será que nada na minha vida pode ser 100%?

    E pq será que em todos os meus problemas com o Jake a Bella tem que estar no meio??
    E pq será que o Jake tem que defender ela? Tudo bem que eu meio que exagerei, mas ela é tão irritante que dá vontade de matar ò.ó

    BjaO

    ResponderExcluir
  31. A cada fanfic que eu leio, eu crio mais raiva da Bella, e isso não é saudavel, sabem!!!
    Pelo menos nessa estou reagindo. Ninguém merece ver ela dando mole para o Jake e não fazer nada!
    Agora tenho fibra, AHÁ.
    Amei ♥

    ResponderExcluir
  32. Sempre atrapalhando não.Humph
    Amei esse cap diva hihi
    Posta logo tá
    Kisses

    ResponderExcluir
  33. AAAAI, sabe, eu sempre tive raivinha da sonsa da Bella, mas agora, a raiva duplicou cara. Como alguém pode ser tãao sonsa e egoísta?
    EEE ainda por cima, vem o Jake e defende ela!
    Estou indignada, táh a reação foi meio exagerada mas, pera lá, eu não sou de ferro para ver isso e ficar quieta!
    E meu coração tá até apertado por causa do desespero o fim do cap..

    ResponderExcluir
  34. Florrrrrrrrr vc voltou a postar que bom...Adorei o capitulo e ri muito com meu cinismo e sarcasmo com Ed...Fala serio tudo que acontece tem que chamar Jake, da vontade de gritar * me mira mas me erra pô* Nao resolve nada sozinhooooo

    ResponderExcluir
  35. Luna adorei esse capitulo, só que no próximo capitulo vc deixa-me acabar com aquela sonsa da bela, por favor. Mas ta ótima posta logo, estou ansiosa.

    Bjos

    ResponderExcluir
  36. Tá ótima a sua fic! E quanto ao drama, relaxa. Adoro drama!

    Espero que vc melhore o astral. Lembre-se: nada de ruim dura para sempre.

    Beijo. Continua!

    ResponderExcluir
  37. Não vai continuar, não? Continua, por favor!! *-*

    ResponderExcluir
  38. amei sua fic
    escreve + por favor
    tô loka pra ler mais capitulos
    vc é incrivel
    bjus Liz

    ResponderExcluir
  39. Véi me identifiquei muito com a sua personagem, essa realmente seria uma reação que eu teria ainda mais pra cima dessazinha ai, alguém realmente precisava dizer umas poucas e boas pra ela na boa.Adorei sua fic tá incrivel ela realmente me cativou e espero que a att venha o mais rápido o possível *v*
    Bjão até o próximo cap ;)

    ResponderExcluir
  40. TENHA DÓ! só podia ser a Bela-Aguada mesmo Afff! essa vaca sempre acaba estragando tudo por isso odeio essa songa pq ela não deixa o Jake em paz? ARGHHHH! Torço que PP perca a paciência de vez com ela ninguém merece! POSTA+++ To amando a fic d++++++ Bjos.

    ResponderExcluir
  41. Posta mais! Adorei sua fic! Você é mt boa!

    ResponderExcluir
  42. Ahhh eu teria a mesma reação dela! Eu odiaria ver Bella perto assim de Jake

    ResponderExcluir
  43. Oi flor,eu to amando sua fic,espero que você possa atualizá-la logo!!!Beijinhos

    ResponderExcluir
  44. Fic maravilhosa! Pena q não é atualizada :/ poxaaaa

    ResponderExcluir
  45. Eu ameeeeeee linda de mais:-)
    Bjs Ana Julia

    ResponderExcluir
  46. Fic maravilhosa!!
    Vih se vc estiver lendo os comentários por favor volte a postar, eu necessito de maiiiis
    sua fic é realmente perfeeeitaaaa
    -------x-----------
    CARA AGORA É MAIS DO QUE OFICIAL EU ODEIO A BELLA
    EITA SONGA MONGA JÁ NÃO BASTA TER A ATENÇÃO DO EDWARD, O TROÇO AINDA QUER A ATENÇÃO DO JAKE!!!!
    --------x---------
    Pooooor faaavoooor continuaaa, atualiza sei lá
    poor favooooor!!!!

    ResponderExcluir
  47. Poxa continuaaaaaa , essa e umas das melhores historias de crepúsculo que já li ... olha que nem sou muito fã do filme ... e apaixonei por essa historia

    Continuaaaaaaaaaaaa Por Favorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

    ResponderExcluir
  48. Por favor continue a fic, sempre venho verificar se foi atualizada, e fico um bocadinho desanimada ao constatar que não foi... É uma das melhores fics que já li, por isso por favor, sei que pode ser ocupada mas, tente por todas nós que amamos a fic atualiza-la :-)

    ResponderExcluir
  49. Mds! Cara essa fic é P.E.R.F.E.I.T.A! agr me diga: POQ NAO TEM CONTINUAÇAOO? eu qro ler :'( continua diva pff! Essa fic é perfeita de mais pra parar assim! :c
    eu to morrendooo, to complentamente depente dessa fic! Continua amr pff? Tem mtas pessoas q amam sua fic!

    ResponderExcluir
  50. Perfeito continua logo...
    BJS...

    ResponderExcluir
  51. Fic maravilhosa, que pena que parou de escrever, fiquei frustrada com isso! volta logooooo

    ResponderExcluir
  52. Eu simplesmente ameeeeeeei!
    Será que você poderia continuar!? Pleeeease!!!

    ResponderExcluir