28 de julho de 2011

Lua Vermelha by Mariana Santos

| |








Por: Mariana Santos






Minha família sempre guardou um mistério, eram vampiros. Eu,um dia, simplesmente fui abandonada no capô do carro de meu pai com um simples bilhete:

"Você é médico e tem uma família feliz.
“Seja bom para ela.”


Era uma noite de Lua cheia e fria. Ele disse que quando me olhou pela primeira vez deveria correr o risco de me criar, mesmo sabendo que nenhum humano deveria saber da existência de um vampiro. Sempre me enchia de ternura quando ele falava isso e mais:

"Que seus olhos brilhavam quando um lobo uivou ao longe. E quando a lua surgindo detrás de uma nuvem; meus olhos faiscaram como se entendesse o chamado"

Sempre protegida de qualquer perigo eminente, com uma irmã vidente, um leitor de mentes e um que controla emoções, e dois que são um grude, vivi numa bolha invisível.

O que fariam se soubessem que eu tenho o poder de gerar de uma fera dentro mim, que os vampiros mais poderosos matariam qualquer resquício dessa antiga espécie em extinção. Que eu era a única fêmea. Única parceira pura de um Lobo. E que eu impossivelmente me apaixonei por um vampiro e que não é como eles.Que ele conhece o lobisomem que me mantém presa.Esperando a Lua de Sangue nascer para a noite.

***********************************************************************

Capitulo I

-Ow Emmett!Você viu o meu tênis? – Saí pelo corredor de meia.

-Vi!Tá embaixo do sofá, fedendo chulé! – Ele gritou perto de mim que chegava à sua porta, me assustando é claro.

-Eu não tenho chulé!-Falei.

-Quase morri sentado lá ontem á noite... –Ele riu da minha cara de incrédula e que cheirava o tênis que estava na minha mão.

-Emmett...- Rose- minha irmã bonitona falou do quarto - deixe-a em paz, e não , você não tem chulé.

-Te amo!-Falei indo atrás do meu par perdido.

Depois de achá-lo e tomar o café que minha mãe sempre faz delicioso, peguei minha mochila com cadernos, e minha bolsa de balé. Vi minha irmã Alice dançando quando tinha uns 4 anos e meio e encasquetei que queria dançar. Hoje estou numa escola de uma antiga bailarina especializada no balé neoclássico, quase a mesma coisa do clássico, mas muito mais técnico e complexo. Tenho meu próprio quarto como todos. Mas uma área especial para treinar com uma barra e um grande espelho e uma vista maravilhosa da floresta, ao lado do meu irmão Edward, que a propósito está em desuso, pois ele casou!Ele tem uma filha que; é grande e alta da minha idade!Não sei como ela nasceu, pois eles não querem me contar... Pode?

Enfim, Edward e Bella estão na faculdade e Emmett e Rose aparentemente em Lua de mel, Alice e Jasper Facul também. Eu escola.

-Vamos antes que você rache o espelho!- Alice briga comigo me empurrando do espelho da sala e se olhando.

-Quem vai rachar o que?-Falei pondo a mão na cintura.

-Está engordando de novo...

-Mamãe cuida da minha dieta, estou com o peso normal e minha professora acha que estou engordando!

-Tome cuidado. –Ela piscou e saiu me puxando.

-Na verdade gatinha- Emmett pulou no jeep fazendo-o balançar- você tá crescendo!Tá mais alta que ela, e engordando na medida certa!

Jasper deu uma risadinha arrastada e Rose nem prestou atenção, mas eu vi Alice quase soltando fogo pelas ventas.

-Medida certa?-Falei sentando no meio. Alguns podem odiar, mas eu amo o meio!

-Tem peito cheio como um pêssego suculento, e um quadril...

-Emmett!-Alice gritou.

-Igual ao da Rosalie... –Ele disse se virando com cara de inocente.

Que a dita cuja ria sem parar do comentário dele, Jasper só sorria acalmando Alice furiosa e, eu completamente vermelha... Emmett pode ser meu irmão. Só que ele é lindo- todos são- forte, físico perfeito, rosto lindo, olhos fortemente expressivos e um sorriso que se sumir de seu rosto você é um homem morto, faria até mesmo uma irmã ficar vermelha e constrangida. Como eu.Primeiro Emm deixou Alice e Jasper na Faculdade,que Edward e Bella já esperavam,no Volvo brilhante,eu acenei.

E Emmett me levou para a escola. Morávamos agora em Vermont, pouco populoso e cheio de florestas e montanhas o lugar perfeito!A escola era um prédio moderno no meio do campo e com arvores em volta, fazendo sombra até o segundo andar. Os alunos como sempre eram da região, mas estes eram mais ricos, pais donos de fazendas, e empresas de Nova York, mas que gostavam da cidade tranqüila eram interessados na vida da minha família, que era estritamente reservada. O tempo era um frio ameno,com nuvens caminhando pelo céu preguiçosas.

Emmett me deixou, com um beijo estalado na bochecha, e eu dei um em Rose e sai.

Na escola eu tinha poucos amigos, Lorena e Nancy e David que era primo da Lorena; vinham num carro vermelho, opala antigo, mas bem cuidado. Sorriram quando me viram e me chamaram:

-Hey !-David gritou.

-Oláááá!- Lore e Nancy gritaram.

-Fez o trabalho de Química?-Nancy falou.

-Huhum.

-Pode por meu nome?-Ela pediu.

-Vagaba... –Lore zoou

-Quem tá pedindo sou eu!-Ela apontou á si mesma.

-Que absurdo!Eu te lembrei três dias seguidos!-David disse incrédulo.

-Calma... –Disse separando os dois da pobre Nancy- Eu ponho, mas só por essa vez, ouviu?

Nancy era assim, absurdamente alienada, despojada, e sentimental demais quando queria alguma coisa.

-Te Amo até o fim da minha trajetória de vida!

Explique-me "trajetória de vida"...

-Ok vamos entrar.

O dia foi como qualquer outro, aula, professores, sono básico, lição de casa, chamada oral.

Lorena fazia balé comigo, e sempre íamos juntas, ás vezes de carona com sua mãe, e voltávamos com a minha e vice-versa. A academia de Balé da Madame Toulouse, fica numa antiga casa de fazenda que foi tomada pela cidade, tinha grandes janelas e portas para todo o lado, com cortinas brancas. Lá o andar de baixo era para as aulas e o de cima para vestiário,para os alunos mais velhos e os mais novos.Madame Toulouse era a professora,não é de falar muito,é rígida demais,sem humor- aparente- magra feito palito seco,mas é de bom coração!

-Olá Madame!

-Querida.- Ela acenou para mim e, em seguida para Lore.

Depois enquanto íamos ao vestiário ela começou a gritar.

- FAZ UMA SEMANA!UMA! QUE ME PROMETEM TRAZER ESTE MALDITO ESPELHO!E OLHE QUE A PARTE DAQUI Á POUCO VAI SORRIR PARA AS MINHAS ALUNAS!

Quando ela fica irritada aparece seu sotaque francês, Lore ergueu a sobrancelhas, eu sorri abrindo a porta para ela. Entramos no nosso vestiário, que tinha algumas alunas mais velhas- dançavam há mais tempo- de uma cidade perto daqui.Quase não nos falávamos,a maioria vinha em grupo,e algumas tentavam se aproximar de mim ignorando Lore,coisa que eu não gostava,pois falavam que eu devia andar com bailarinas melhores,Lore é melhor que elas.Coloquei meu colant verde musgo,minha legging preta,e minha sapatilha verde musgo também- Uau! Pedi para Alie fazer surpresa com meu uniforme, gostei do de hoje! Ela sempre arranja sapatilha, tutus, calças e colant diferentes- Lore se vestiu do jeito tradicional, preto e rosa, levei minhas sapatilhas verdes para o salão.

Quando entrei nele, várias menininhas estavam de rosa, umas correndo outras se olhando no espelho treinando os primeiros passos, e sua mães estavam do outro lado observando e elogiando.

-Estamos no salão errado?-Lorena perguntou olhando para dentro.

-Hum não sei... Onde está Madame?

Ela continuava ao telefone.

-Madame...

-E tem que ser 2 m x 7 m! Espessura de 15! –Ela gritou.

-Madame. –Sussurrei....

Ela me viu.

-Qual salão?-Perguntei.

- O de sempre!

-Mas estão com as mais novas...

-Ai!Esqueci!Espere no outro, pegue a chave do 5 - ela me deu a chave - mande todas para lá!

-Não! Até Terça-feira! Nem mais um dia!

-A do 5 é o da frente!

Ela ergueu as mãos em sinal de "Fazer o que?"

Fazer o que... Avisei onde ficaríamos ao resto do grupo, que odiavam as crianças, idiotas, será que já nasceram adolescentes por acaso. Comecei a me alongar com Lore do meu lado,esticando os braços primeiro,sentindo os músculos esquentarem e alongarem,a coluna relaxando,depois as pernas despertando para a dança- é como se elas tivessem vida própria quando eu alongava e começava a dançar- esticando o pescoço treinando passos,acho que fiquei nisso por mais uns 40 minutos,minha aula devia ter começado,algumas até pararam de alongar inclusive Lore.

-Lore!Madame não apareceu até agora!

-Eu sei!Tá me dando fome!

-Vou falar com ela de novo!

E acreditem; ela estava no telefone e se explicando com as mães das pequenas!

-Madame...

-Sim.- Ela se virou- já nos alongamos e...

-Querida?Pode olhar as menininhas um minuto?Ajudá-las á aquecer?

-Madame disse que você é a melhor aluna!-Uma mãe disse.

-E que usa sapatilha de ponta desde os 15 anos!

-Na verdade desde os 13, mas...

-Que maravilha!-Exclamaram duas ao mesmo tempo.

-Prometo mães! Só será hoje!

-Imagine se ela é recomendada por você!

Madame me sorriu triunfante e as mães pareciam holofotes com os dentes arreganhados!

-Cuide de nossas belezinhas!

-Claro!Madame?

-Sim?-Ela se virou, com seu bastão de madeira onde ela nos dava o compasso.

-Lore pode vir?

-Lore?!Sim está bem. –Falou dando de ombros. –Mas troque de salão sim?Ficarão no mesmo, mande as meninas para cá!

-lá não tem barra para o nosso tamanho!

-Mas para o delas tem!-Madame disse. –Ok... Vamos lá então.

Saí gritando atrás da Lore. Que deu pulos só de saber que teríamos uma folguinha..Quando entrei na sala as meninas estavam sentadas de costas para o espelho cochichando bobeiras.

-Mocinhas!-Todas levantaram suas cabeças com coques perfeitos- Vamos comigo, vamos trocar de salão!

Elas sorriram por uma ação. Todas me seguiram em fileirinha e sorrido, quando entrei Lore olhava com cara de desentendida.

-Vamos ser babás?-Ela sussurrou.

-Acho que sim...

-O que a gente vai ‘fazê’?!-Uma menininha de cabelos pretos me perguntou.

-Sabe a gente não é professora e.... –Lore ia dizendo até ouvirmos gritos de duas delas.

-AHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!-Começaram a dar pulinhos.

-O que foi?É uma barata?!-Lore gritou apavorada.

-Elas têm sapatilhas de poonnntaaaa...........

E seguiu-se um "OHHHHHHHHHHHHHHHHH"

-Ahn isso.... –Falei.

-É verde ‘chiquê’!-Uma delas disse.

-Você sabe usá-las?-Uma de óculos e rechonchuda perguntou- Fazendo-me lembrar que na idade dela eu era assim, não magricela, mas, tinha minha barriguinha de feijãozinho!- Ficar na pontinha do pé?É difícil?

-Claro que é néh?-Um a japonesinha falou.

-É trabalhoso, mas na hora que aprende!Vira uma maravilha!

-Eu quase morri na primeira vez de felicidade quando me equilibrei assim!-Lore comentou.

Quando reparei seus olhos brilhavam de curiosidade!

-Mostra!Mostra!

"mostra,mostra, mostra" Elas falavam sem parar.

-Está bem mas precisamos de música de princesa!-Uma dela falou.

-Da Barbie!

"Barbie, Barbie, Barbie!"

-Calma! Falei.

-Que tal a do Quebra Nozes?-Lorena perguntou para elas.

-É tão romântico!-Falou uma loirinha com sardas no rosto

-Uma historia de amor e ódio!-Uma com cara de nerd concordou.

-Ok. Vou procura na caixa de discos.

-Só faltava o príncipe!-A de óculos falou indo na minha frente até a caixa.

-Gente... É só uma sapatilha de ponta!-Lorena falou impaciente- e antes de mais nada temos de aquecer vocês!

-Ahnnnnnnn nãoooooooooooooo!

É aquecimento era o que mais nos cansa!Afinal nessa idade queremos apena dançar e dar piruetas, passinhos...

-É rápido!- Lore disse.

Bem o aquecimento da Lorena não era bem aquecimento. Se elas gostavam de corre feito loucas bem; Lore era perfeita para isso,sei até que elas estavam brincando de ‘centopéia’-todas em fileira fazendo movimentos sincronizados,e tinha que ser o mais diferente possível- cobra-cega, e outras,que ela inventava junto com elas,até de Barbie e as Três Mosqueteiras “Salvando o Castelos de Diamantes da Barbie”rolou.Até alguém lembrar de que pediram para nós dançarmos.Adivinha?Sophia- vulgo feijãozinho- começou a me puxar pela mão.

-Agora é a sua vez!

-Dança!Dança! Dança!-Levantou-se o coro na sala com Lorena junto.

-Tá! Tá!Eu danço...

Todas correram para se sentar na parede oposta e Lore colocou uma musica. Suave que dava para dançar qualquer coisa, e eu comecei a me exibir. Não ouvi nenhum sussurro,nenhuma respiração,quando olhava no espelho elas nem piscavam pegando cada movimento ;a música tomava um som mais grave quase no final,onde eu dei uma pirueta com os braços abertos- nenhum movimento preciso ou certo apenas seguindo a música- rápida no inicio e devagar no final parando com uma pequena reverência de frente para a janela que dava para a avenida- Sempre fazia isso;que na verdade eu não me sentia na loja,e sim num palco particular com apenas um espectador- Era sua bailarina,o espetáculo era apenas para ele.

Foi quando eu reparei que na loja de sebo na frente do balé, tinha um home alto, pálido, de, sobretudo verde musgo, calça preta, e botas pretas de jóquei, o capuz da blusa, atrapalhava para ver seu rosto perfeito talhado em mármore, mas sentia seu olhar em mim, que o tempo todo estava atento a cada movimento meu.

As meninas ainda estavam paradas pela dança- mas logo começaram a aplaudir- senti um calor correr minha espinha e se alastrar pelos meus braços abertos terminando então, salpicando minhas bochechas de um vermelho. Seu rosto levemente coberto,inclinou-se para trás como se meu gesto o assustasse.

Pude ter um vislumbre de seus olhos e um pedaço do rosto ainda sombreado, eram escuros, mas tinha um rosto perfeito. E as meninas,abraçavam minhas pernas e puxavam minha blusa até Sophia falar outra vez:

-O príncipe “Cantado” olhou você tooooddoooo tempo!Até parou de ler!

-Quem?-Lorena perguntou para ela.

-Ali...... Sophia se virou para mostrar, mas ele tinha ido embora.

Estranho... Eu não deixei de olhá-lo- um minuto sequer- ele desapareceu.

Mas só pisquei uma vez!E rápido, como ele pode?

-Ele é bonitão!-Uma loirinha falou.

-Lê toooddooo dia á tarde no banco aí em frente!Sempre!

-Eu nunca vi!-Lorena falou.

-Você não tem aula aqui!Por isso você não vê!-A japonesinha falou.

-Ele volta amanhã... –Sophia invade meus pensamentos numa voz que só eu ela ouvíssemos.

Eu não falei nada... Ainda estava estupefata de saber que ele olhou cada movimento meu.... Senti-me indefesa, como se ele tivesse quebrado meu redoma de cristal, ao qual fui mantida tanto tempo.


Capítulo 2


Era sete horas da noite.

O ruim de morar em Vermont é que a cidade venta demais!Estava com meu casaco de frio grudado no corpo esperando mamãe. Lorena estava do meu lado me abraçando. Depois da dança eu não falei mais nada, fiquei quieta observando as meninas imitarem os meus passos. Cheguei a olhar mais uma vez na esperança de que ele estivesse lá no banco em frente ao sebo mas, não acho que ele voltaria. As meninas uma a uma iam embora me dando um beijo de despedida e um abraço também em Lore. A musica que Lorena escolheu para a dança invadia meus ouvidos e, eu mal dei conta que o carro já chegou quando Lore me deu uma cotovelada nas costelas.

-Eva! Vamos hoje é o seu irmão- o bonitinho- está aí!Lorena sussurrou essa parte.

E quando vi, Edward estava sorrindo para nós, pelo visto devia estar rindo da Lorena e seus pensamentos. Desci as escadas da academia, e puxei a porta do Volvo de trás- ia dar esse gostinho da Lore no banco da frente com ele- joguei minha bolsa no chão do carro. Edward cumprimentou Lorena e perguntou como foi a aula, e ela desembestou a falar com ele.
O ruim de Edward sempre era manter meus pensamentos seguros, e o máximo que pude fazer era apenas permitir que a melodia da música tomasse conta da minha mente, e fazer isso sem que ele note em minha mente tenho alguma intenção- é pensar por debaixo do pensamento sem mostrá-los, o que era difícil, mas Edward sempre se irritou, eu era a única que conseguia esconder parcialmente alguma coisa dele (n/a: entenderam alguma coisa? Eu também não!)- olhava o tempo no lado de fora do carro.

-Até amanhã Eva! Levei um susto com a voz dela e vi que já estávamos em sua casa- obrigada Edward!

-Até amanhã!Gritei da minha janela, pois Lorena já estava diante de sua porta.

Depois Edward seguiu em frente, para casa.

-Não vai pular para o carona?Ele perguntou.

-Não, estou com preguiça. Disse me afundando no banco.

-Pelo o que Lorena me contou o dia foi movimentado para as duas, cuidando das mais novas.
Vi seu sorriso perfeito, que me contagiou.

-Não é tão chato assim. Eu ri.

-Sapatilhas de pooooonnnntassss!Edward imitou as vozezinhas infantis, provavelmente tirada da mente da Lore.

-É tirando isso. Gostei delas, até foi melhor, por que do jeito que Madame estava você me carregaria de volta para casa!

-E quem é o ‘príncipe Cantado’?
Perigo! Edward á vista! A música de novo, desliguei tudo que podia e respondi o mais vago possível.
-Não sei, deve ser o Ken, da Barbie!
Edward sorriu, deixei a música como primeiro pensamento.
- , Lorena e aquelas meninas até montaram um casamento para você! Com alguém....

-O ‘príncipe cantado’ imaginário ué. Não reparei em nada,se leu a mente delas pode tê-lo visto não?

-Infelizmente, pensei que me daria uma pista, ela enfeitavam demais, afinal se Emmett souber de alguém interessado em você....

-Ele arrancaria braços e pernas e deixaria apenas o tronco, com ele vivo.

Falei emendando a frase famosa do Emm.

-Relaxe Edward, no momento, não penso em ninguém. Se tiver que acontecer,vai acontecer...

-Chegamos .

Mais uma vez distraída, levando Edward na conversa- isso era uma boa, se ele quer saber, de linha para ele- estava em casa na garagem, e papai já estava em casa! Ele não ficaria de plantão! Que ótimo! Subindo a escada até a sala de estar eu o vi. Meu pai era o homem perfeito- alto, braços protetores, forte, loiro e pálido, e um rosto de anjo protetor- ele usava calça social bege, camisa branca e sapatos de couro vermelho, e um suéter azul- ele já tirara o jaleco- sorri ao vê-lo com o rosto despreocupado.

-Oi Pai!Ele sorriu se virando para mim de braços abertos.

Eu envolvi sua cintura sentindo seus braços frios cobrirem meus ombros.

- , querida, como foi o seu dia meu anjo? Sua voz de soprano soou suave.

-Foi bom!Senti sua falta!Ele riu.

-Como foi o balé?Ele disse puxando meu rosto para cima. Vi seus olhos dourados, eles eram diferentes dos demais,talvez por ele ser mais velho; lembrava-me um anjo pintado no estilo barroco com a cor mais pura de ouro.

-Lindo, eu cuidei das pequeninas,fiquei de babá e dancei para elas!

-Alice me contou essa parte,disse que você se exibiria como uma princesa,para elas.

-Acho que sim!Onde está a mamãe?

-Aqui querida. Esme- minha mãe- me abraçou por trás cobrindo eu e papai- Seu jantar está pronto.

Adorava quando eles faziam isso,quando era menor mamãe me esperava para abraçar mas eu fazia com que papai me levasse até ela.E por sinal, apesar de não comer,ela fazia cada comida!

-Nossa, minhas lombrigas se reviraram agora! Ela riu.

-Está bem,então vá aquietá-las...o jantar está servido.

Eu sai de perto deles, os outros estavam no sofá. Rosálie e Alice olhavam uma revista de moda, e Jasper e Emmett no sofá vendo alguma coisa pois eles mudavam de canal rápido demais para meus olhos.

-Oi gente!

Eles me deram um “Olá” em coro.

O jantar era arroz branco, com creme de aspargos, e filé mignon ao molho madeira.Ela adora fazer pratos chiques- e eu amo- mas às vezes ela faz um bom e velho macarrão com alho e óleo.Eu comi com vontade e lavei a louça apesar de seus protestos,eu gostava de fazer isso.Fui para meu quarto estudar e coloquei uma melodia que Edward fez para mim.Eu cantarolava baixinho, enquanto fazia uma redação de química... Estava falando sobre como dar um efeito vermelho na fórmula e eu me lembrei dos olhos escuros dele,lindo, selvagem e suave ao mesmo tempo.Seu jeito quieto- do tipo que não gosta de falar com ninguém,mas também não é anti-social- corpo de físico forte e alto- mais até do que o Emm eu acho- os cabelos agora se me lembro bem eram cacheados e loiros como os de um querubim.

Lembrei de quando parei de braços abertos na dança; parecia que eu estava para abraçá-lo e sentir-me envolvida por ele, “como um gigante colhendo uma flor” eu me sentiria pequena com ele mas, não intimidada ou oprimida, o jeito como a situação me fazia querer correr para seus braços,e que me sentia nervosa – ao imaginar sua repulsa- o rubor em meu rosto pela decepção.

Nesse tempo eu já estava de costas na cama em cima dos meus cadernos,coração acelerando gradativamente- daqui a pouco papai vai ouvir- respirei fundo e senti que alguém estava por perto...

Quando olhei era Rosálie sentada na minha cama me observando.

-Rosie!Que susto!

Ela sorriu balançando a cabeça,eu espaçosa que era- como o Emmett- deitei em seu colo.

-Você estava tão bonitinha,sonhando,queria saber o que era....
-Nada demais...

-Não parecia,estava ruborizada demais....É algum garoto....

Rosálie me conhece,sabe cada traço meu.

-Não,é que as meninas disseram que para completar o meu “show” só faltou o “príncipe cantado”.Imagino se terei um amor igual ao de vocês.Ao de mamãe e papai.Sinto que para vocês parece ser mais forte por que conhecem a própria natureza o quanto ela é delicada e perigosa- é único.

-Tudo tem sua hora , você encontrará um homem que te faça feliz e construirá uma família com ele.Terá a sua vez não se preocupe.

Quando Rosálie falava de um amor para mim, sempre se referia á ele como humano, mas às vezes não quero deste jeito.Penso, e se eu amasse um imortal? Edward teve filhos não... Ele é vampiro Bella era humana.Não quero ser humana ter uma vida humana,não fui criada assim,apesar de a natureza dizer o contrario- sou frágil,ando em duas pernas,tenho um coração no peito,devo seguir o curso natural da vida- Amar semelhante,eu já tentei- não me senti viva,completa,sinto que ele iria ter um fim e eu iria com ele á contragosto- pois eu os abandonaria.

Morrer,seja de velhice ou não,me preocupava mais o fato de deixá-los para trás,o que eles fariam depois,sei que me amavam,criar uma humana entre vampiros,trazer para perto o que lhe foi arrancado,ensinar-lhes a amar um ser frágil até o fim de sua vida.Não; mesmo que papai diga que me amaria de qualquer jeito estando eu viva ou não,me machucava.Não quero morrer,também não quero ser vampira,queria que existisse uma forma de viver para sempre....

-Eu sei Rose.Eu sei.Virei de lado e fechei meus olhos deixando-a fazer carinho no meu cabelo.Senti meus olhos pesando e começar a passar tudo que está no meu quarto, no meu dia,nele...num véu de sonhos...

“Era uma floresta, igual á que faz uma muralha atrás de nossa casa, verde folha, árvores enormes e centenárias, com bosques labirínticos, que eu poderia me perder.Havia névoa arrastando-se no chão e era noite, sentia-me nervosa, fazia frio, estava com uma blusa verde musgo fina,calça da mesma cor e sapatilhas de cetim negra - não era algo que eu costumava usar- e um gorro vermelho terra, as roupas eram finas, como uma fantasia de bailarina para uma peça, e carregava um machado de brinquedo mas imitava um real em cada detalhe.

- Não conheço este lugar...Minha voz saiu num sussurro e o vapor saiu juntando-se á névoa.

Comecei a caminhar tentando achar uma saída.A cada passo que dava, eu olhava para trás,alguns galhos estalavam e folhas quebravam, o zumbido do vento passava pelo meu ouvido, parei para ouvir e olhar o escuro da noite na floresta, banhado por uma lua vermelha.

Uma sombra no negro da noite,apenas seu brilho era visível,o vento que ouvia era o arfar de sua respiração,a minha se fundiu com a dele acelerando, eu tinha que correr,andando para trás, ele não se moveu, então me virei e corri.A direção pouco importava, as folhas continuavam a quebrar, a terra tremia com seus passos pesados,olhei novamente, ele fazia ziguezague devagar apenas me acompanhado, a lua manchava de rosa a terra.

-Papai! Rose!Emm....Comecei a chorar.- Mamãe...Onde estão?

Tentava vê-los em qualquer lugar aparecendo, e de repente eu cai, rolando morro abaixo batendo em árvores e troncos caídos, até parar olhando a lua escarlate e gigante.

Seus rosnados eram cada vez mais altos assim, como os passos.

‘Eu sei que está com medo, pequena Lupina, minha safira pura’

Sua voz profunda e aveludada vinha dentro de meus pensamentos, levantei meu olhar e dei de cara com a grande besta, seus olhos redondos e grandes, me encaravam brilhantes.Senti seu focinho encostar no meu pescoço e uma língua pegajosa e quente roçar minha pele.

‘Intacta, ninguém a marcou.Isso é bom Lupina,muito, mas muito bom’

-O que quer de mim?!Gritei sentindo seu pelo roçar meu rosto.

‘Quando a Lua sangrar, seu ninho estará esperando’

-Do que está falando?! Tentei correr, mas sua pata bateu em meu ombro jogando meu corpo no chão.

‘A lua mãe sangra, você nasceu para ela, irá conceber para ela, a Lua Lupina’

-Lua Lupina. Repeti sufocada.

Então sua grande cabeça se inclinou para baixo e roçou o focinho no meu peito, então o senti me morder sua boca pegando toda a lateral de meu corpo.

-AHNNHHHHRRGG! Mal senti quando meu corpo foi jogado na terra.

Senti-a o sangue esquentar o chão embaixo do meu corpo, e ele esfriando, minha respiração falhando,então ele inclinou a cabeça para trás meu sangue respingando em seus dentes, e ele uivou para a lua.Brilhante e vermelha.

“Seu ninho será meu, na Lua Vermelha eu virei, minha Lupina”

Sangue, dor, frio, sua voz sombria,numa mistura de várias vozes monstruosas.Tentava me mexer mas, algo me impedia, forçava-me no chão,meus braços ficaram presos minha pernas também.

Sussurros no vento...

-Vamos meu anjo,abra os olhos....

Mais um uivo ensurdecedor....

- , meu amor, acorde...Abra os olhos

-Papai! Ele vem me buscar...

‘Ninguém vai me impedir, !Cedo ou tarde.... Será minha’

- !Abra os olhos! A voz dele soou mais alta.

E quando eu fiz, estava olhando para os olhos do meu pai,dourados e com semblante preocupado e aliviado.

-Foi um pesadelo,minha querida,apenas isso. Disse, e eu senti seus dedos frios secando minhas lágrimas.

Sentia dor de cabeça, e mamãe estava lá,do seu lado.

-Calma meu anjo.Ela disse.

Papai me segurava pelos ombros, então eu me joguei em seus braços, sentindo o corpo frio dele, tentando descansar.

-Estava se debatendo, por isso vim,Rosálie estava com Emmett lá fora.

-Humhum... Ele me balançava de leve. Eu adorava senti-lo me abraçando, nada poderia me atingir ali.

-Quer contar sobre o que sonhou? Esme me falou...

-Humm... Precisa ser agora?Minha cabeça está doendo....

- Está bem.Durma- ele disse no meu ouvido, me deitando na cama- Amanhã estaremos aqui...

-Eu sei...

No dia seguinte, enquanto tomava café, cada um de meus irmãos me beijou no topo da cabeça, papai saiu bem cedo.

- , hoje a mãe de Lorena irá trazê-la, então vou ao mercado,Alice e Jasper estarão em casa mais tarde,Rosalie e Emmett vão caçar junto com Edward e Bella, Nessie estará aqui para te fazer companhia.

-Ok!Sem problemas, amo ficar sozinha,com a Nessie claro.

-Sim, Lore pode dormir aqui? Perguntei já que só estaríamos eu e Nessie e depois mamãe.

-Sim, Alice disse que sim.

Adoro!

-A propósito, dormiu melhor ? Teve um pesadelo, era o de sempre?

-Era o de sempre, eu a floresta e, a lua vermelha, comigo perdida...

Ainda não tinha coragem de falar do lobo.

-Vou me trocar!Sai da mesa.

-Bem obrigada,vou ficar aqui hoje e preparar algumas coisas para comermos, na festa do pijama.

-Já virou festa do pijama?

-Claro!Três meninas,já da uma festa.

-Ok,ok...Tenho que ir,mamãe tá esperando.

Peguei minhas coisas e fui embora.

A aula foi do mesmo jeito, Nancy, mesmo me copiando levou uma nota raspando de vermelho- isso avaliado pelo desempenho individual do aluno, segundo o professor Frostt- David me fez rir hoje na aula de historia, e Lorena que sempre fofocava, estava quieta hoje:

-Lore você tá bem? Perguntei.

-Huhum... Ela voltou a escrever...

Depois pegamos carona com sua mãe até o balé. A madame, estava pior do que ontem e não tive aula com os outros e fiquei com as meninas, com Lorena junto. Dessa vez eu ás coloquei para dançar,não gostaram muito, e na verdade dá muito trabalho toda hora elas queriam ir ao banheiro. Lorena não me ajudou muito,estava sentada em frente ao som.

-Lorena? O que foi?

-Aihn, é que estou com aquelas cólicas de matar!

Hum, era isso, embora eu soubesse que toda adolescente tem problemas com menstruação, eu era o contrário, papai fez vários exames para saber se eu tinha algum problema, mas tudo estava normal até demais, ele disse que acontece com algumas mulheres raramente, e estava nessa estatística, eu não ‘virei mocinha’.

-Aihn, isso dói demais! Vi seus olhos encherem de lágrimas.

-Espere um pouco, vou ver se tenho algum remédio na minha bolsa, ok?

-Ok!

Enquanto saía ouvi a japonesinha comentando:

-O Senhor "Eparminhondas" é tão maravilhoso, Sophia foi cuidar dele agora! Ela trouxe um bife de casa!

Sophia me pediu para beber água....

Ainda mais essa, o que elas estavam fazendo? Antes de pegar o remédio fui até a copa, era um lugar pequeno com uma pia, um microondas, e um filtro com uma cafeteira ao lado, e uma cesta de frutas, não havia ninguém lá, então fui ao banheiro, nada.

Onde ela se meteu?! Comecei a olhar em cada corredor e salão, e quando ia eu vi a porta dos fundos aberta:

-Sr ‘Eparminhondas’ volte.... Ela repetia- Eu tenho que voltar! vai me procurar....

Fui até o corredor e abri a porta, Sophia não estava no lá, sai e fui para a rua, vazia dos dois lados,...

- Senhor ‘Eparminhondas’ Ela estava ali ainda...

Olhei para cima. Sophia estava em cima do latão de lixo e em seguida em cima da maquina do ar condicionado- aquele trambolho enferrujado ficou no alto numa sacada improvisada e um pouco mais acima só um quadradinho- Ela estava de joelhos e se virou com um gato na mão.

-Sophia ! Chamei, onde ela estava não era nada baixo, a altura dava uns cinco metros e meio, ela se assustou comigo e se desequilibrou, e ficou pendurada no aparelho.

-Socorro, Sr ‘Eparminhondas’ vai cair!

-Você vai cair! Espere não se mexa!

Comecei a subir na lata de lixo,sujando-me inteira,e hoje para variar chovia fino,deixando-nos com frio,depois comecei a subir no cano de gás escorregadio, depois ainda tinha que agarrá-la do ar condicionado. Ela chorava de medo em meio aos miados do gato. Agarrei o cano de gás que se ligava á academia e estendi minha mão:

-Sophia! Pegue a minha mão

-Não posso!O gato!

-Largue-o! Ele não vai se machucar! Afinal gatos caem de pé...- Solte-o!

-Nãoum! Ela soluçava e sua mãozinha se soltava dedo á dedo...

-Sophia! Solte o gato!

- Mamãe...

Só tive tempo de pensar poucos segundos antes de me soltar e agarrá-la antes da queda.
-Ah! Mamãe....

Agarrei sua cintura e mesmo assim estava difícil me segurar no ar, agora que troquei de lugar com ela,o som metálico surgiu de algum lugar do aparelho e ele deu um tranco, ele ia quebrar com nosso peso...

-Sophia, olhe para mim! Ela se virou para cima com o gato em suas mãos- tente agarrar o cano de gás!Senão vamos cair!

- Nào poosssooo! Estou com medo e Sr ‘Eparminhondas’ também!

Mais um tranco, e inclinamo- nos mais.Já não agüentava mais nós duas,minha mão estava dormente e tudo em que pensava era não pensar em nenhum movimento para não cair.

-Eu vou balançar você.... Comecei a mover meu braço, balançando de uma lado para o outro...

Outro tranco,e aumentei a força.

-Vamos Sophia!Pegue o cano!

Ela estava cada vez mais perto e resolveu me ouvir, e sua mão soltou o gato, e pegaria o cano do gás,mas por ironia do destino, o ar se soltou, eu cai, puxando-a para baixo- em meio à queda tudo parecia em câmera lenta- alguma coisa bateu em meu ombro, senti doer,Sophia me agarrou, eu amorteceria a queda.

-Ah!....

Sophia chorava e eu fechei os olhos, minha costas bateu em algo duro e gelado, a parte de trás do meu joelho também bateu em algo, e ficou preso,meus ossos estalaram, dolorido quando bati silenciosamente no chão. Enquanto esperava pelo dor iminente... O choro de Sophia tomou conta do silencio e um som contínuo de um trovão ao longe entrava pelo meu peito.

Sophia chorava mais alto e descontroladamente,então abri meus olhos para ver se estava bem, a dor aumentava,ela estava encolhida no meu tronco soluçando,e olhei em volta, para pedir ajuda, tentando me erguer apoiando no braço esquerdo,o som do travão soou tão alto em meus ouvidos que chegou a doer,e então eu olhei,eu não estava no chão,ainda estava no ar, e aparada por alguma coisa.

De inicio, vi um rosto parcialmente coberto, apenas seus lábios fechados estava visível com a ponta do nariz,um capuz alto e negro cobria seu rosto,uma camisa branca emoldurava os ombros e o peito rígido e o trovão vinha dele...meu coração congelou.O vislumbre da sombra de seus olhos vermelhos brilhantes.

-Você... Um fio de voz saiu de minha garganta- é um...Vam...

Ás vezes o nervosismo nos faz pensar mais rápido, características como a minha família, e detalhes minúsculos, mas era evidente.

Num milésimo de segundo seus dentes apareceram em sua boca de Adônis feroz...

-Vampiro...

- ‘Príncipe Cantado’... Ouvi Sophia. Ele olhou para mim e para ela...

Tentei me mexer, me levantar, e seu rosto se aproximou do meu.O rosto era perfeitamente quadrado e angular, os olhos ainda mais vermelhos e sua sombra celhas séria e brava...

- ! Está aí fora?!

- ...Sua voz surgiu,lançando um ar frio em meu rosto,o dele mais perto...

-Por favor,ponha-me no chão,por favor- seus olhos me olhavam profundamente em conflito, e como se fosse um sexto sentido meu,sabia que ele buscaria ar- não respire...não... Senão perderá o controle...Meu pai falou isso, ele é como você, um vampiro. Sussurrei sem olhá-lo, encarando seu peito.

Ele fechou seus olhos,jogando seu rosto para trás,então ele me largou no chão, apenas sua brisa de sua corrida vampiresca invadiu meu espaço antes de deixar-me no chão, machucando ainda mais...

Sophia chorava, eu gemia de dor, e o lenço de Madame roçou minha pele.

-O que houve?!Como caíram?!Alguém busque ajuda!Depressa!

E o gato, miando no chão, com as menininhas acariciando-o.Uma ambulância veio me buscar, e Madame foi comigo, desesperada.

Fiquei deitada enquanto me examinavam no carro, depois as portas foram abertas, e eu fui encaminhada para a área de emergência,encarando os olhos preocupados de papai.

-Vai ficar tudo bem...vou cuidar de você...

-Eu tô bem!Só dolorida! Tentei me levantar, mas sua mão fria com uma luva me impediu.

-Fique deitada.

Depois de papai mandar fazer uns exames de raio X, tomografia, e trá lá lá! Fui deixada na enfermaria, e vi mamãe...

- !O que aconteceu!?Disse se aproximando e tocando meu ombro- por que não chamou ajuda de alguém mais velho!

-Mamãe, eu não pensei, afinal só estou com alguns arranhões!

-Uma perna quebrada!Esfoliações! Ombro deslocado! Um corte na cabeça que podia ser pior!

Enquanto isso, Madame estava ao fundo se torturando por cada palavra que ela dizia.

-Esme! Carlisle disse.Papai, chegou para me salvar!- Ela ficará bem,eu garanto.

-Ahn,querida...Ela pode voltar para casa, quando?

-Hoje! Falei.

-Amanhã.Papai disse.

-Amanhã?! Falei.

-Sim,ficará de observação .Papai falou.

-Mas e a festa de pijama?!

- Adiada. Esme falou.

-Que pena....

-Durma,verei- você mais tarde.Papai falou passando a mão no meu cabelo e meus olhos fecharam rápido.E fui levada ao sonho.

Capítulo 3
Sonhar foi conturbado. Vermelho, queda, lobo, ele.
Mal podia me lembrar dele no dia seguinte.A luz clara invadia o quarto pelas frestas da persiana.Tentei me mexer com um pouco de dor e minha perna pesada com o gesso.Havia flores por toda parte num rosa claro e brancas,com enfeites de sapatilhas e laços,pela parede tinha desenhos grudados com durex.
-Onde será que está todo mundo?Sinto-me sozinha...De repente assustei-me com algo tremendo na minha mão, era meu celular...
“Hei!Não podemos ir todos aí!Mas te amamos. E você volta hoje!” Alice enviou.
-Espero ter uma recepção calorosa!
Falei, pois não conseguiria mandar uma mensagem, estava muito dolorida, alguns machucados ardiam,outros deviam ser internos pois vinha lá do fundo da minha pele!
-Que dor...
-Já está na hora de seu remédio...Ouvi a voz de papai, que abria a porta do meu quarto.
-Olá!Quando vou para casa?Alie disse que eu vou hoje!
-Ela disse?Dependerá do seu estado.Como se sente?
-Desconfortável nessa cama,e com um pouquinho de dor...no braço e na perna.
-Isso é normal, está se recuperando , dor faz parte do processo...
-E remédio também!Falei enquanto ele pegava uma seringa e injetava algo no meu soro.
-Sim,a propósito; o que aconteceu para você cair,sofrer este acidente,poderia ter sido mais grave, da altura que estava, era perigoso.
-Bem eu não podia deixar que uma criança se machucasse,eu tentei salvá-la...
-Poderia ter lesões graves,irreversíveis.
-Eu sei, mas eu tive sorte....
-Nem sempre, Alice viu que não poderíamos evitar a queda,sua decisão estava tomada...
-Mas estou tecnicamente bem!
-Tecnicamente- imitou meu pai indignado- poderia ficar tetraplégica,ter traumatismo craniano,morrer...
-Pai.... Eu não morri, eu acho que tive sorte!Tive...
Minha voz parou na garganta e comecei a engasgar,tossir...Ele me deu um copo de água,eu bebi em pequenos goles.
-O que dizia?Ele me olhou pegando um medidor de pressão e colocando no meu braço.
-Hum... Esqueci...Na verdade não lembro direito, é tão...Coff...Coff...-Lembrava de seu rosto perfeito e o olhar,meu braço em seu pescoço frio- Confusa. Falei devagar.
-Está bem, apenas não faça mais besteiras,não quero que se machuque ,você é importante para mim,não suportaria perdê-la tão cedo.
-Posso morrer á qualquer momento!Morro de velhice daqui a pouco....
Ele sempre dizia que não queria me perder!Qualquer machucado que tinha por mínimo que fosse o deixava bravo, como se a culpa fosse minha por não poder evitar,e dele por não me proteger.
- !Ele disse botando a mão em minha testa- eu a amo querida,minha pequena Lua...
Lua, ele ás vezes me chamava assim.Por causa dos meus olhos serem grandes e brilhantes.
-Papai, foi um acidente. Me desculpe.Falei chateada por no final das contas deixá-lo preocupado.
- , não peça,não estou brigando com você Lua. Eu preciso ir...volto para vê-la...
-ME BUSCAR!
Ele riu.
-Te buscar.Descanse.
Mais um tremor na minha mão.
“Nada de brigar com papai! Ele te ama!” Rosalie
“Quero ser o primeiro a assinar seu gesso!” Emmett.
“Não fique ansiosa,isso causa mais dor” Jasper.
“A festa foi adiada! Agora é de boas vindas!” Nessie.
“Espero que fique boa logo.” Bella e Edward.
Era o celular de Edward.A esposa dele é tão tímida!
Deixei o celular na cama,pois o remédio estava fazendo efeito,me dando sono,minha visão ficando desfocada,decidi olhar para a flores,afinal não queria dormir, queria me lembrar dele.Seu rosto, sua voz dizendo meu nome,minha coragem em falar com ele e surpreendê-lo....Será que ele voltaria?
Eu queria que sim.
Mais tarde umas 9 horas da noite. Papai veio me buscar com uma cadeira de rodas e mamãe,ele me carregou para colocar no banco de trás, e quando cheguei em casa, tinha uma faixa enorme de boas- vindas.Eu sorri pela recepção e fui levada até meu quarto,papai disse que minha perna quebrou de leve, mas eu ficaria 4 semanas de gesso!Impossível isso! Se quebrar de leve então imagina de verdade.
-Eu quero assinar!Emmett disse!
-Seja bem- vinda amor!Rose me deu um beijo no rosto. Edward me abraçou e disse:
-Como você está?Ele disse.
-Bem, só um pouco cansada.
-Olá !Seja bem-vinda, espero que melhore logo. Bella me deu um abraço rápido.
-Tem bolo, salgadinhos, aquele patê que você ama!E chocolate para acompanhar os filmes que trouxe para assistirmos!Renesme veio me dar um abraço também, ela era parecida com Edward, com traços leves de Bella.
-Uau, isso tudo é para mim, não precisava.
Falei assim que ela trouxe um prato de comida lotado.
-Deixem-na descansar pessoal. Papai disse.
- Mas Vovô eu chamei a Lorena! Ela vem dormir aqui. Nessie disse manhosa.
Era impressionante de vê-la tão infantil de vez em quando. Ela era muito bonita,porém tinha habilidades especiais similar á de Edward,ela podia falar conosco quando nos toca.
Lembro-me de quando ela fez isso pela primeira vez:
Estava vendo teve na sala de noite quando ela chegou pelo que sabia ela voltava da visita a Jacob seu namorado, estava vendo Diários de uma Paixão, estava na hora do reencontro no casal. Então eu estava concentradíssima!
“Que filme é esse?” Achei que ela estava do meu lado, pois sua voz veio bem ao pé do meu ouvido.
“Diários de uma Paixão” Falei.
“tem cara de ser bonito...”
“É lindo de morrer”
“Pelo seu jeito sim néh! Mal olhou para mim quando te chamei. Mas quando converso com você assim”
-Assim como?Virei-me para o lado, mas, não a encontrei.
-Renesme?
-Aqui atrás. Ela disse.
Bem, aí você já entenderam o que se seguiu.
-Lorena vem?Falei olhando papai.
-Claro!Alice disse me dando um embrulho.
-O que é isso? Falei olhando o pequeno saco de veludo branco com uma fita preta.
-Abra. Jasper falou ao lado de Alie.
Quando eu abri senti o metal frio tocar meu dedo. Quando agarrei o objeto e o puxei.Tirei um colar com uma fina corrente de ouro com um coração de rubi na ponta e na outra mais comprida o brasão ao estilo fiel do anel de papai.Os mesmos detalhes como da época,mesmo material um pouco maior.
-É lindo. meus olhos se encheram de lágrimas.
Por que estão me dando agora, eu nunca pedi. Imaginava que só quem fosse vampiro, ganhava um, ou que estivesse casa com alguém da família, como Bella desde que ela se casou com Edward há 15 anos atrás, mas eu? Ele era muito lindo, me sentia honrada de ganhá-lo, afinal eu era humana, completamente diferente deles, que arriscavam sua vida para me criar, longe dos Volturi, Papai disse que Aro- o chefe- já sabe de mim, e me deu uma sentença:
Ou papai me transforma,quando tiver 23 anos (que era mais ou menos a idade que Aro achava ser o ápice da juventude) ou Aro viria me buscar e me transformaria,me deixando presa em Volterra. Quando ele me contou isso, eu tinha 12 anos,quando ele viajou,para contar á eles e pedir permissão de me criar.
Aro, Caius, e Marcos ficaram furiosos, mas Aro conhecia meu pai muito bem, e sabia que sofrer, era uma punição melhor que a morte. Sentir falta de alguém que se ama, e não poder vê-la, seria insuportável; foi o que ele falou.Decidiu poupá-lo mais uma vez por sua amizade,mas esta seria a última.
Porém papai não quer me transformar só se isso for a única maneira. Ele me amava demais,e não importa a decisão dos Voturi, ele queria me dar esta escolha.Sua vida e a de minha mãe e irmãos, estava em minhas mãos agora, embora ás vezes eu esqueça disso,por que eles simplesmente me fazem esquecer disso.
E agora ser presenteada com o brasão da família, eu; que dou tanto trabalho. Minha vista ficou turva por causa das lágrimas que derramava.
-Nós a amamos , é por isso que estamos lhe dando isso,pois o laço que nos une,é mais forte do que qualquer coisa. Papai falou.
Eu sorri de volta e olhei todos.
-Obrigado, á todos vocês. Eu os amo do fundo do meu coração.
Falei, embora palavras não pudessem expressar tudo o que eu sinto. A campainha tocou me tirando deste momento.
-Lorena!Lorena!Tentei sair da cadeira ou movê-la, Emmett me ajudou.
-Deixa que eu te empurro.
-Ahhhhhhhhhhh!!!!!!Gritei.
Empurrar, do Emm, já entenderam. Ele saiu em sua velocidade vampírica, moderada.E me levou até a porta,gritando e rindo.
Abri a porta.
-Tá tudo bem?Lorena perguntou.
-Tudo ótimo Lore!Emmett falou, abrindo mais a porta para que entrasse.
-Oi- falei, Lorena se abaixou para me abraçar- Como você está?
-Bem,me diga você?!Quando vou assinar seu gesso?
-Pera aí!Emm gritou,fazendo-a pular.- Eu primeiro.
- !Eu sou sua amiga!Ela disse,sacando seu estojo da bolsa.
-E eu sou irmão dela!
-Alice....Falei.
-Eu não sei não.Ela disse rindo de mim.
Enquanto eles discutiam, alto,meus outros irmãos e meus pais riam.
-Ok!Vamos parar!
Eles me olharam.
“Emm,você já é bem velhinho,que eu saiba,para estes tipos de coisa!Fala para ele Edward!”
Ralhei com ele em pensamento.Acho que Edward falou logo em seguida por que todos riram,Lorena não entendeu,Emmett fez uma cara.
-Então ficará assim,um faz do lado esquerdo, e outro do direito.E para decidir,cara ou coroa.Alice, tem moeda?
Ela imediatamente tirou uma moeda do bolso.Jogou-a no alto,uma vez.
-Então,quem quer cara?Ela disse com voz de sininho.
-Eu quero cara!Lorena disse.
-Coroa,néh.Emm disse.
Enquanto Alie fazia suspense,mamãe me dava alguns salgadinhos na boca, eu não podia negar,afinal estava com fome também.
-EEEEEEEE...lá vai! Ela disse.
-Cara!Alice disse.
-Ah!Ganhei! Emmett você vai depois.Lorena se sentou em frente a minha perna com o estojo no meu colo.
-Lo-re- naaaaa... EEEEE- vvvvvv-aaaaa.... Para sempre...E muiiiiiiiiiiiito maissssssss....Ela murmurava enquanto escrevia.
-Quer um cheetos?Falei.
-AAAAAAAAAA.Ela abriu a boca me fazendo rir.Eu joguei na boca dela.
-Hum!Requeijão,adoro esse! Agora,hora de coraçãozinhos,florzinhas,estrelinhas,e não me deixe esquecer as sapatilhas....Cantarolou.
-Cara! Eu vou criar pó aqui!Emmett reclamou com Rose sentada do seu lado.
-Só mais um minutinho....Lorena dizia concentrada.
-Depois vamos ver Ghost e Diários de uma paixão!Renesme disse.
-Pelo amor de Deus!Emm reclamava- Não tem Jogos Mortais não?
-Ahn.Amor, é noite de meninas,terror está explicitamente fora.
-Rosalie!Ele falou indignado.
-Ué!Homens,ficarão fora de casa hoje!Tomar um chazinho na casa da Bella!
Edward que tocava piano,riu.
-Rôh?Você precisa ficar?Ele disse com cara de pidão,para ela.
-Claro!
-Meu Deus. Ele disse num sibilo -Ei você moça,dá licença!
Ele empurrou Lorena,e depois escreveu de preto seu nome de ponta a ponta do lado dele,ocupando minha perna inteira,só os buraquinhos entre as letras dele,ficaria para o pessoal da escola.
Assim,depois Alice fez,todo mundo,os meninos, sair,e deu-se inicio a festa,assistimos filmes de romance,comemos doces; isto é; eu e Lorena e Renesme, mamãe, Alice, Rosalie e Bella, que ficou fingiam.O sono começou a tomar conta de mim,então eu pedi para dormir,elas me ajudaram a subir e me trocar.Quando entrei no meu quarto, mamãe tinha posto uma cama do meu lado.
Lorena ainda conversou comigo, sobre o que aconteceu na escola,e na academia de Madame Toulouse.Disse que Madame ficou com o gato,pelas meninas,pois ela era alérgica,comprou um castelinho branco e felpudo para ele dormir,caixinha ara suas necessidades,e uma coleira rosa,escolhidas pelas mais novas.
Eu não tinha coragem de perguntar sobre, o meu salvador,se ele apareceu.Então depois de muito conversa,nós dormimos
‘Eu estava na floresta novamente,tudo num silêncio total,era noite.Comecei a andar um pouco apavorada,e ofegante,mais uma vez não encontrava o caminho de casa, e sabia; alguma coisa estava atrás de mim me cercando.Ru tinha que fugir,achar um ligar seguro.os passos novamente daquela besta, se aproximavam.Ela me caçaria.
Sentia meu corpo dolorido e fraco, a roupa que eu usava era a mesma,e o ferimento de sua mordida,não estava lá,apenas três riscas vermelhas estava marcando meu corpo.
Meu corpo ardia,o coração á beira de um ataque cardíaco.
Comecei a correr, freneticamente.Até me cansar.
Parei para descansar e ela estava mais perto.Pude ouvir seu rosnado.Cai de joelhos,exausta esperando por ele.Fechei os olhos.
Como uma faca senti-a desferindo um golpe em minha barriga,rasgando em minha pele,enquanto isso ele rosnava ferozmente,outro golpe agora em minhas costas pela coluna inteira,em seguida em minha perna,gritei quando senti algo rasgando minha gengiva e quando pus a mão na boca, dois pares de dentes caninos estavam em minha boca,um menor que o outro,meus ossos pareciam derreter e se esticar,crescendo.Os golpes não paravam, e quando dei por mim,quando pude me observar e render-me a dor,gritei mais uma vez,mas não foi minha voz, e sim um uivo dolorido, longo.
Lagrimas,praticamente ferviam escorregando pelo meu rosto.Então,senti algo frio me apanhar pela cintura,senti como uma película cobrir meu corpo, e acalmar a fera,que parecia nascer de dentro do meu corpo.
-Por favor,me ajude.Eu odeio esta Lua vermelha!Falei chorando,procurando seus olhos.
Chorava em seu peito pondo minha cabeça no vão de seu pescoço.
Ele estava usando uma camisa branca apenas,e a calça escura.Ele apertou seus braços á minha volta ternamente.
- ...
E assim eu descansei em seus braços,acordando,em casa na minha cama,suada e febril,papai estava do meu lado.Medindo a temperatura...
-Sua febre aumentou,já te dei um remédio,volte a descansar.Estava delirando um pouco...
-Delirando....
-Sim,pedia ajuda...
-Eu não sei estou confusa,com o sonho...
Senti sua mão fria,alisar minha bochecha.
-Onde está Lorena?Falei abrindo meus olhos.
-Tomando café da manhã, e preparando o seu.
-Vai ficar em casa hoje?
-Não posso,apesar de ser minha folga.O hospital pediu minha ajuda para verificar banco de sangue deles,estão em falta, a unidade pediátrica de regional de New Land, está em falta.
-Poxa...Falei desanimada.- Afinal sou sua paciente Vip.Caso não saiba.
Ele riu,suavemente.
-Volto antes que perceba.
Lorena entrou com meu café da manhã.

Capítulo 4

Lorena deixou a bandeja em cima da minha cama, tinha café, pães e alguns frios, suco de laranja.

-Bom apetite!Oi Sr. Cullen!

-Bem, eu já vou.te vejo mais á noite,até mais Lorena.

-O que vamos fazer hoje?Lorena andava de um lado ao outro na minha frente.

-Eu não sei...

-Fazer suas unhas!Depois seu cabelo!E uma maquiagem!

-Como está Madame?Dando aulas as meninas?

-Sim, e conosco ela tá um carrasco!Cada aula difícil!Sinto sua falta para me ajudar, em alguns passos...

-Estou no mesmo nível que você, Lorena. Não tem diferença nenhuma.

Lorena, sempre se criticava, apesar é claro de eu sempre ter o auxílio de Alice e Rosálie, vendo meus movimentos minuciosamente. Com Edward também, com suas melodias que me animavam.

-É claro que tem, e afinal, quando você volta?Lore batucou no meu gesso.

Preferi não insistir, Enquanto ela falava minha mente divaga, para lá e para cá, pensando no vampiro que me salvou, no por que, se ele é um comum. depois de uma tarde inteira.Sua mãe veio buscá-la.Depois minha atenção foi coberta inteiramente pelos meus irmãos.

Jasper veio por último com Alice. Ela disse que estava fazendo novas sapatilhas,para combinar com minha novas roupas.Alice depois do nada saiu,sem antes me dizer é claro, que quanto mais eu me comportasse, mais cedo, eu tiraria meu gesso,minha tipóia ia embora amanhã.

Antes que Jazz me saísse o chamei.

-Jasper?Você pode esperar?

Ele sorriu, e assentiu.

-Ultimamente- parei um pouco, enrolando os dedos uns nos outro- Eu tive alguns sonhos, pesadelos.

-Sim. Senti uma calma,e mais um pouco perseverante.Jasper estava me ajudando.

-Bem, é de coisas, esquisitas, nada á ver. É que eu, sabe a floresta - ele afirmou- E a lua vermelha.

-sonha com isto desde criança. E faz eu e papai,ficarmos do seu lado,até dormir novamente.

Bem eu me lembro, praticamente de todas as vezes que fiz isso.

PDV narrador.

–MMMMM... Papai!Papai! Papaaaiii! Do escritório Carlisle escutava a caçula chorar.

O ambiente permaneceu perfeitamente quieto mesmo ao som do choro da menina, do homem alto e loiro, do qual ela não tinha nenhuma semelhança contigo. Antes de sair,ele avistou Jasper,de prontidão na porta.Ao abrir a porta do quarto lilás,visualizou apenas o bolo de cobertor enrolado no meio da cama e seus soluços vinham de dentro dele.

Os soluços continuavam. Como já estava acostumado,em noites de lua cheia, . sempre tinha pesadelos.

Ele sentou-se próximo a ela.

-. Estou aqui- Ele puxou as cobertas – foi só um sonho,Lua.

-Paaiii... Eu não ‘gosta’ da ‘foesta vermeia’! Oceis, não tá lá,para buscá eu!

-Shhhh....

Como, Carlisle sabia que ela estava na fase de implicar com ele,apenas concordava com a opinião da menina.

-Japi, também não vem buscá eu tamém!

-Querida ele está aqui na porta, esperando por você.

Ela levantou o rosto molhado,de seu ombro.Olhou Jasper pegando a boneca no chão em meio as cobertas.

-A Gertrudi tá de castigo!Japi!Dexa ela aí!

Jasper sorriu para a menina e o pai no colo.

-Está bem.

-E ocê fica aí!Tamém!

-Está bem ..Eu ficarei aqui.

Ela estendeu a mão para pegar a boneca, contrariando-se da ultima frase,ele devolveu á ela. . se aconchegou ao colo do pai,colocando a cabeça no vão do pescoço.

-Fai!Balanxa eu!Pediu enrolada nas palavras,sopradas no ombro dele.

Carlisle sabia que ela já estava com sono novamente e exausta pelo dia anterior, e a manha era apenas a procura do carinho.

-E o Xapi- falou no pescoço do pai,com o ar quente que ele sempre sentia quando ela falava e respirava,o coração batendo contra seu peito frio- Ele vai fica aqui?Pá não deixá ninguém entrá e cuida de eu e da Truudi!

Ela levantou olhando-o.

Jasper se sentou na poltrona rosa do quarto, e o pai se ajeitou na cama, para confortá-la.

-Ficarei.Ele disse piscando o olho para ela,deixando suas bochechas vermelhinhas. . ainda não se acostumara com a beleza dos irmãos e dos pais.

-Hum...

-Agora ., durma, ficaremos até que pegue no sono.Minha Lua, ninguém vai pegar você,nunca deixaria isso acontecer.

- A lua é feia,eu não gosta dela!

-Não meu anjo,ela é linda,como você,brilhante,e serena com você.

-E a vermeia?Ela disse olhando nos seus olhos dourados,ficando mais uma vez vermelha – Eu qué ter os olhos igualzinhi,ao seu papai,faz pra mim?

Carlisle riu.

-Não,quero o seus exatamente como são.Azuis como a noite.

Disse,um pouco sério mesmo que ela não compreendesse,a gravidade de ser como ele.

Na maioria das noites de lua cheia, ., a mais nova dos Cullen tinha pesadelos,onde se encontrava numa floresta de cor vermelha, e sozinha.E sempre, procurava por Carlisle e Jasper- apesar deste,ela ter uma relação mais afastada- eles sempre ficavam a noite toda,velando seu sono,e atentos a qualquer pista de seu passado,pois Carlisle e Edward, jamais conseguiram entender seu passado,de imagens confusas de um bebê,que ás vezes surgia em sua mente.Qualquer fragmento seria o suficiente”

Fim PDV narrador.

- Bem, tem mais uma coisa.Falei olhando para seu rosto calmo, mas completamente analítico.

-E o que seria?

-Na ultima noite eu sonhei, é a mesma coisa,mas tinha algo mais.

Gesticulava com as mãos,praticamente envolvida na minha própria historia.

-E o que era? Jasper falou, franzindo a testa.

-Bem,eram duas ou três coisas.Eu estava com uma fantasia, e andava pela floresta, era de caçador, e eu sentia que era perseguida, e então eu ouvia um rugido muito forte, assustador...

-Acho que Emmett precisa parar de brincar com você.

-Jasper...É serio.

-Está bem.

-E eu começava a andar mais ,e era cada vez mais alto, e então, eu vi uma sombra negra,horrível e o rugido vinha dela e eu comecei a correr!

-Continue.Ele disse, mais sério.

-E tinha uma voz, assustadora na minha cabeça, dizendo que não podia mais fugir,que eu seria dele- meus olhos começaram a arder- ninguém podia me ajudar, e então eu o vi!Era um lobo,horrendo e gigante!Pelos negros e ásperos de tão espessos.Era dele que vinha a voz.Ele falava que viria me buscar na Lua Lupina,Lua vermelha...Que eu iria conceber...E então ele me mordia bem aqui!Gesticulei para o eu corpo.

-., espere,você nunca sonhou assim antes.Quando foi que teve este sonho?Antes ou depois do acidente?

-Eu não sei- parei e o encarei -não sei.

-Contou ao Carlisle?

-Ainda não...

-Contará depois.Continue.

-Depois dessa bronca...

-Vamos...Continue.ele disse sorrindo em pedido de desculpa.

-Essa coisa de Lua, e um Lobisomem será que tem alguma coisa a ver com minha origem?

-Talvez não,e sim com algum trauma ou medo, ..

-Eu não sei,vocês chegaram algum dia a pesquisar sobre o meu passado?Sobre meus pais biológicos?

-.,chegamos a procurar,pela sua mãe,sim.Esme, minha mãe,olhava-me com um olhar angustiado.

Disse a mãe,olhando da porta e ouvindo a conversa dos filhos.

-Mãe,eu não quero magoá-los, mas...

-Eu entendo querida,procuramos sim,porque sabíamos que você um dia iria perguntar.Nunca ficaríamos chateados com você.

-Está bem,poucas vezes cheguei a falar nisso,nunca senti vontade de procurá-la.Só que esses sonhos, me assustam desde pequena, e agora essas mudanças,talvez nunca tenha me aprofundado neles.

-podemos falar disso mais tarde,quando seu pai chegar.

-Ok ok.Concordei.

-Antes me responda . - Jasper disse encaminhando para Esme- O que quer falar na verdade.

-Lobisomens existem?Tipo,eu posso ser um deles?Existiria uma fêmea?Isso é possível?

Jasper sorriu apesar de surpreso pela pergunta da menina,ser coerente,afinal,nunca a associaram a uma criatura dessas que está em extinção,pelos fatos dos sonhos isso fazia sentido,mas não podia ser uma possibilidade tão importante.

-Durma anjo.Esme disse.

-Boa noite ..Jasper se virou para sair.

-Boa noite. Disse

Voltei aos meus pensamentos,ao seu rosto encoberto e belíssimo.

O mês se passou assim,eu de cama, Lorena me visitando e todo mundo me paparicando,como previsto consegui tirar o gesso em três semanas,mas os braços ficaria mais uma semana e meia,dependendo da recuperação.

Voltei as aulas,depois disso,e tinha muito dever de casa para fazer,e as aulas de balé eu assistia.Entre aspas...pois eu assistia as mais novas na aula delas,para poder ver a janela em frente ao sebo,mas a calçada estava vazia.

-Ele apareceu aí só uma vez...

Sophia irrompe meus pensamentos como uma luz.’

-Como?Falei inocente.

-Depois que você ficou em casa...ele veio aqui!Ficou olhaaando...e quando me viu eu acenei!

Ele disse dando pulinhos.

-E?...

-Ele foi embora!

Sorri decepcionada.

-Mas eu fui à livraria!E falei como “Parminhondas”!

-O gato?!

-Nãoo!O vendedor e dono!Ele até me deu um livro para ler!

-e o que ele disse?Sentei no parapeito da janela,fitando a loja,na esperança de que ele aparecesse.

-Disse que ele compra livros,bem no final da tarde,e senta para ler no banco!

-Eles conversam?

-Não perguntei isso....

A menção de Sophia dele,me animou,afinal,ele voltou não foi?Será que voltaria?

-você quer ir lá?Ela disse.

-Não!Falei rápido demais.

-Qué sim...ela riu

-Sophia!Não amola!

-Me chama,que eu vou!Vou comprar mais livro com minha mesada!


Capitulo 5

Sophia era terrível, eu morria de vontade de ir lá,saber se ele estava lá dentro,olhando os livros,dedilhando as lombadas de couro velho.Poder falar com ele agradecê-lo, minha curiosidade era enorme sobre sua natureza,pois papai e os outros sempre me afastaram completamente deste núcleo.Nunca vi nenhum vampiro,os Volturi, Aro me mandava um cartão de aniversário depois que soube de minha existência entre eles, e uma jóia,e o clã Denali.

Eu tinha medo,este era meu lado humano falando,afinal um ser extremamente forte,mais evoluído do que você,e ainda querer conhecê-lo,eu só podia estar louca.Mas ele salvou duas humanas topeiras e frágeis de um acidente perigoso,então ele podia se aproximar de humanos não? Por um período curto,mas poderia melhorar não?Queria saber sua historia,sua vida mortal- como se eu tivesse este direito- quero saber quem ele é.Perguntar a ele o porquê de me observar aquele dia,se ninguém nunca chamou sua atenção antes- Não sou uma top mas, acho que sou bem apessoada- acho que estou com esperanças demais.

Os dias passaram lentos até para uma lesma!

Quando finalmente papai tirou meu gesso do braço,eu dei pulos de alegria,mas ele me pediu uma semana ainda para deixar o braço ser acostumar com os movimentos de antes.Voltei as aulas com tudo,estudando concentrada e focada,depois as aulas de balé.Madame quando soube que eu me recuperara disse,que daria aulas específicas para me acostumar com a dança novamente.

Era um dia de sol e abafado,e mamãe e papai não iriam me buscar hoje,a mãe de Lorena daria conta.

Madame estava animada,então quando me viu,deu as coordenadas aos alunos e auxiliares.Levou-me a uma sala no fim da casa,onde via o fim da rua e a estrada para a área residencial de Vermont.E um pedaço do beco da livraria.A musica de violinos e flautas era apenas um conforto,pois Madame me deixava exausta com suas aulas sozinha,Lorena estas semanas estava com os outros, então só a via no final do dia.Ela saiu disse que ia pegar o tão falado espelho que estava faltando na minha antiga sala de dança.

A aula foi determinada na seguinte forma,movimentos de pernas e braços repetitivos e alongamentos- bem alongados!- Estava com as pernas abertas em um espacate,há mais ou menos....Eu não sei mais...Está doendo!Me olhava no espelho com cara de dor...Depois voltei a ficar de pé e alonguei minha perna na barra abrindo os braços e me segurando nesta posição, acho que eternamente... Como fiquei cansada decidi me movimentar mais,dançando o básico pelo salão sem sair de perto do espelho.Estava praticando um pouco do ALLEGRO (Alegro ou Allegro ("alegre" em italiano) é um andamento musical leve e ligeiro, mais rápido que o alegreto e mais lento que o presto. Nos metrônomos, o allegro costuma situar-se entre 120 e 168 batidas por minuto.) quando ouvi um monte de barulho vindo da porta que estava aberta.

-Por aqui,Por aqui...Querido não sei como é capaz de carregar este trambolho!Ouvi a risada de Madame.- e muito calado não?Eparminondas disse que você costuma ler lá não é?

Meu coração disparou violentamente,até meus tímpanos doerem.Não me movi.E mais passos vieram...dessa vez pequenos e rápidos.

-Ele tá aqui!Ele tá aqui!Sophia gritava,e eu via sua expectativa pelo espelho,me desequilibrando e caindo de bunda no chão.

-Sophia!Falei surpresa.

-Ele trouxe o espelho grande da Madame!E vou ver ele!

Ela ia fazer menção de sair correndo mas eu a impedi.

-Espera!Não pode ir assim! E-Eu vou junto...

-Tá bom!Ela pulava ansiosa.

Eu me levantei tremula e de pernas bambas.Caminhamos pelo corredor até a sala...ouvindo apenas a nossa professora falar com um sotaque ainda mais acentuado que o normal.

-ainda bem que está aqui!Não sei como colocaria isto aqui!Hahahaha!Ela riu alto.

Silêncio.

-Isso assim mesmo,cuidado para não se machucar.

Um sussurro apenas de uma voz masculina.

-Sim.

-Aí está obrigado Querido!Qual o seu nome?

Silêncio novamente,e Madame andando.

-Fred! Ela disse.

Fred!Este é o nome,mas será que é ele?

Tudo voltou a ficar quieto,e então a porta se abriu.

-Ah!Sophia gritou pelo susto.E Madame junto.

Eu me afastei da porta batendo na parede oposta,sentindo Sophia agarrada a minha perna.

-Oras meus amores!Que susto!Fred estas são Sophia,minha pequenina,e minha florzinha!

Seus olhos eu não sabia o que dizer,mas dos meus...Eu estava deslumbrada.Agora podia ver seu rosto melhor ainda,os cachos castanhos queimados de sol emolduravam o rosto sutilmente.Os lábios num desenho delicado e fino,o rosto quadrado e angular.Ele era alto,muito alto e forte,carregava um casaco na mão,o mesmo que eu vi quando ele nos salvou.Eu não conseguia me mexer,tamanha minha surpresa e hipnose- se é que era possível- Sophia se enfiava cada vez mais embaixo dos meus braços.

-É o príncipe ‘cantado’.

Imagem: http://spinoff.comicbookresources.com/wp-content/uploads/2011/01/Henry-Cavill.jpg

Seus olhos caíram em Sophia, e depois para mim devagar até chegar aos meus. Isto é claro,em segundos,mas horas para mim.Suas mãos estavam em punhos,acho que ele queria conter sua força,pois até onde aprendi,vampiros como ele podem atacar a qualquer momento.

-Aqui está meu bem. Madame enfiou dez dólares no seu bolso.Fazendo com que o momento se quebrasse.Se a parede fosse fofa eu teria me afundado nela.De novo senti minha bochecha queimar,e seus lábios se entreabriram.Madame esperava com a mão estendida indicando a porta.

-Por aqui... quero agradecer ao Eparminondas pela sua ajuda!Ela riu ficando de frente para ele. Nós éramos pequenas perto dele.

Ele piscou lento, deixando pestanas fazer uma linha preta em contraste a pele branca. E saiu a passos duros agora. Eu não queria que ele fosse, queria falar com ele.

-Tchau!Sophia gritou. - Ele é alto néh?!

Não olhei para ela pois ele parou e virou a cabeça para nós,tinha que fazer algo.Ele estava voltando-se para ir embora.Ele estava no vão da porta para a rua,longe de nós duas que estávamos na parede.

-O - Obrigado...Minha garganta estava seca,e saiu num sussurro mas sei que ele ouviria,como uma confidência entre nós- Por nos salvar...Obrigado....

Recebi apenas um aceno de cabeça sério.E ele foi embora.

-Por que você tá tãão vermelha hein?Sophia disse me chamando a atenção.

-Estava erm... Praticando...

Deixei-a sozinha e voltei a sala onde estava,e olhando a janela que mostrava a singela livraria.

Meus movimentos se tornaram mecânicos,fiquei brava por não conseguir dizer mais do que aquilo.Depois deste dia cheio voltei com mamãe o dia ficou nublado!E ela viu que eu estava quieta e irritada.

-Meu amor,o que está te incomodando?Ela disse olhando pelo retrovisor.

-Hum...Nada,só estou cansada,é que meu corpo tá doendo para fazer as aulas!

Isso era em parte uma verdade.

Quando chegamos a casa,Alice estava com uma cara seria e me olhando desconfiada.

-O que você fez hoje?

-Eu?

-Sim você.ela disse esperando uma resposta- Por um momento,parece que não consegui vê-la...

-Eu não sei...fui para a Es-escola e depois o balé,o de sempre...Talvez não viu por que não tem nada de novo.

-Não,não é isso.

-Bem...

Eu disse sem graça,e com medo....Jasper percebeu e disse.


-Alice,deixe-a em paz,ela não entende...Vai deixá-la com medo.

-Cuidado hein,não gosto de ficar cega assim...

Respirei fundo para me controlar e fui abraçá-la,sentindo seu corpo gelado.

-Adoro você ,fico preocupada,simplesmente eu não conseguia senti-la,nada, eu não conseguia,por favor,eu estou implorando,se algo estiver errado,avise.

-Huhum...

-Prometa.Ela disse,o olhar mais favorito depois de papai,era o dela,era tão vivo e dourado.

-Prometo.

-Vou cobrar.Agora vai jantar.

Depois deste dia não tornei a vê-lo,primeiro; eu não parava de treinar,segundo; ele não vinha.Estava tomando água na copa quando vi Sophia,com um tutu cheio e de cor laranja,andando até a porta,ouvia um som metálico enquanto ela andava.Parecia que ela ia sair escondia por que ela dava passos leves e olhava para a porta que havia saído.

-Aonde você vai?

Ela pulou.E ficou muda.

-Sophia,eu perguntei aonde você vai?

Ela abaixou a cabeça envergonhada.

-Eu ia à loja do “Sr.Parminhondas”

-Mas você não pode sair sozinha.Falei.

A porta do salão dela foi aberta e Madame veio atrás dela.

-Onde estava?

Sophia não respondeu.

-Sophia,estou falando com você?Madame pediu.

-Eu?Ela disse com a voz meio esganiçada.

-Sim,você.Eu falei.

Sophia olhava da professora para mim.E um sorriso de repente apareceu em sua boca.

- vai me levar na loja do “Sr.Parminhondas’!

Filha da M.....

-Ora!Isso?Madame disse.- Andem logo,senão não vai dar tempo!

Disse puxando nós duas em direção á porta.O vento forte assolou-nos quando ficamos de frente para a loja,e pulei quando ouvi a porta bater atrás de nós.

-Sua Peste!Dessa vez ela pulou.

-Que que eu fiz?!Ela abriu os bracinhos rechonchudos.

-Me arrastando para essa loja!

-Eu não posso ir sozinha!Você é maior do que eu!Então a “perfessora” manda você!Que é mais grande!

-Isso não interessa,Sophia!

-eu posso?Ela disse com cara de Gato de botas pidão.

-Cinco minutos!Nem mais nem menos!

Ela não respondeu e me puxou pela mão até o outro lado da rua.Assim que entrei na loja,o cheiro de mofo e pó me invadiu,com um sino tacando logo atrás de nós na porta, um velho baixo,de cabelo branco,e meio corcunda olhou para cima de seu balcão.

-OH!Olá pequenina!Vejo que trouxe uma amiga!Tenho novidades!

-Juuuraaa!Sophia disse embalada pela voz dele.Que era a de um contador de historias,só podia.

-Quer ver? Ele disse.

-Quero!Tem desenho?

-Não...Mas é de princesa!

-Noooosssaaa!Ela disse indo atrás dele no corredor,me deixando só.

Cinco,dez minutos se passaram e nada dela voltar,Madame não deu falta de nós.

Ok eu estava enrascada não,então vou dar uma olhada,quem sabe eu não acho um livro velho de medicina por aqui,para dar á papai.O lugar era escuro,era uma casa com pelo menos cinco cômodos só de livros e quinquilharias,com moveis de mogno descascados pelo tempo.E os livros postos desajeitadamente nas prateleiras.Via livros atuais mas uns que jurava que já era casa de traça abandonada há anos!Cheguei a uma ala sem saída.onde era escura e sem ar.Comecei a ler os títulos,eram todos em dourado,de advocacia,historia,religião,ficção,romances.Quase tropecei quando chutei uma pilha que não tinha notado,me apoiei numa estante,e de todos os que estava no chão,havia um de capa vermelha,velha,mas ainda conservava o vermelho vivo que um dia fora,era grosso e pesado.O titular era em prata.(N/aut. Gente aqui muda um pouquinho quem leu a garota da capa vermelha talvez entenda,é só uma base que achei legal)

Red Riding Hood

Chapeuzinho Vermelho..

Era o nome do livro,acho que é um para Sophia,queria largá-la mas,como o ar já estava pesado,queria lê-lo num lugar mais arejado,não antes é claro de abrir em uma página no inicio.

“Cuidado jovem se pensas que este livro é um conto de fadas.Há romance neste livro,sim.Mas há sangue,de muitos inocentes,dilacerados pela besta.Assassinos com sangue de inocentes!Bruxa a serem queimadas!A colheita de aproxima!A lua cheia também.Cuidado com a fera!Cuidado com o Lobo.”

Quando ia virar uma pagina eu não o fiz,por quê?

O livro caiu no chão.

Por quê?

Eu me assustei.

Mas por quê?

Quando olhei ao meu redor,uma mão bloqueava minha saída jogando-me de costas para a parede.

Quem era?Talvez Emmett me vigiando?Não.

Encurralada,eu me virei,apoiada na estante atrás de mim,um pouco sufocada.Olhando direto em seus olhos,com a cabeça inclinada para mirar os meus.Queria me esgueirar pelo seu lado esquerdo que estava livre, acho que ele previu minha tentativa e subiu o outro braço.

O ar sumia cada vez mais,e eu comecei a sentir frio minha vista ficando escura,o suor descendo pela minha testa.Seu lábio se abriu,e sua voz quase inaudível soou.

-O que quer aqui?




Lua Vermelha.

Capitulo 06
-O que quer aqui? Ele disse, seus olhos vermelhos sangue encarando os meus.
Seu rosto era simplesmente perfeito,pela aparência vi que ele era velho igual ao meu pai- quer dizer jovem,mas já era homem quando foi transformado, a seriedade contrastava com o semblante inocente do seu rosto,eu sabia que agora eu estava enrascada,ele podia me matar ali mesmo.
-Responda-me...
As prateleira grandes e cheias de livros pareciam encolher à minha volta,quando finalmente deixei de olhá-lo procurei ver se tinha alguma saída,mas a única era a que eu e ele provavelmente tínhamos vindo,sentia o livro vermelho apoiado em minha perna,e lembrei,do que eu realmente queria ali.
-E...E-e-eu v-vim pegar...u-umm...livro...
Soltei o ar em golfadas,ele virou o rosto para não sentir meu cheiro,seus cabelos roçando de leve a minha testa fazendo cócegas,sua perna se moveu perto da minha e um baque baixo preencheu o corredor e sua mão rapidamente,apenas um vulto, pegou o meu livro que estava no chão.
-Pegue isto e saia...Ou não responderei por mim....
Ele encostou o livro contra meu peito.O agarrei com uma mão.Mas não conseguia sair.Meus olhos começaram a arder por causa do suor que descia,eu tremia...Não podia sair,eu não confiava que ele me deixasse ir,Papai e os meninos sempre dizem; nunca dê as costas á nós,mesmo com reflexos inferiores...
-Vá embora...Sua voz soou ameaçadora... A prateleira começou a ranger próxima á nós.
-Está...me-me assust-tando.
-E é para sentir-se amedrontada,acha que sou o que?!Seguiu meus olhos que estavam baixos e levantou-os fazendo com que o encarasse de novo,meu corpo estava quente e frio ao mesmo tempo,meu coração batia com dificuldades.
-Vampiro!Disse sem pensar,as palavras se atropelando...O trovão que ele provocou ameaçou sair mais alto de sua garganta.
-Ainda bem que sabe sua tola!O que sou capaz de fazer...
-Se me machucar minha família vai saber... Falei com a voz esganiçada- Eu vivo com seres iguais a você e com poderes.
Ele sorriu sarcástico,sem acreditar no que eu falava.
-Não estou mentindo,afinal acho que não fica tempo o suficiente para ver quem me busca do balé! Mais uma vez palavras sem pensar...
A prateleira atrás de mim cambaleou com o tranco que ele deu,eu quase gritei,mas não pude fazer isso,pois ele estava a centímetros do meu pescoço,a ponta do seu nariz roçou minha pele,me inclinei para trás,com medo,dando á ele mais liberdade... Desta vez foi ele quem soltou o ar que lhe restava...
-Seu Sangue...N-Não..Pode ser...Tão familiar assim....
Ele começou a falar,e parou olhando para o corredor.Segui seu movimento.
O sino tocou,a porta bateu uma vez,e depois mais outra.
-!! Era Alice...
Quando voltei a olhar para a frente não havia mais nada,ele se fora.Alie apareceu no corredor com Jasper sério e ameaçador.
-Alie...Comecei a chorar...
-Você sumiu outra vez.... Está tudo bem?
-Quem estava aqui com você?Jasper falou,depois devagar eu notei,Rose e Emmett estavam aqui também,e Edward...Eu pensei em Fred assustada...Não conseguia pensar claramente ou esconder.
-Que cheiro repugnante é este?Rose disse.E Ed a respondeu.
-Um vampiro.
-O que?! Alice exclamou.- O que você andou fazendo?!
-Meu Deus,!Rose disse pondo a mão no peito.
Emmett soltou um rosnado,me assustando.
-Emm,não a assuste!Japer disse.
-Eu disse para me avisar qualquer coisa!Alice pondo as mãos na cintura.
As lágrimas desciam e eu não conseguia falar.
-Vamos levá-la para casa.Edward disse,se encaminhando em minha direção.
Depois eles começaram a sussurrar e não entendi mais nada.Mas Jasper e Emmett não vieram conosco.
-Cadê os meninos?Perguntei.
-Ele já voltam querida.Rosalie disse.- Você está tão gelada...
Elas me colocaram no carro de Edward deu partida.O frio não passava e de repente senti uma fisgada forte no ventre,como se algo estivesse me torcendo .
-Aiiii...Encolhi minha pernas tentando amenizar.
-O que é?Alice pergunta.
-Nada...Ela olhou Edward e ficou quieta...
-Vou chamar papai ok? Rose disse,pegando o celular.
-Não precisa incomodá-lo...eu estou bem...
-Huhum... Ela desconversou,Alice começou a me balançar,e me fez fechar os olhos,pondo as mãos nos meus olhos,e eu dormi.
A dor ainda estava em mim e lentamente ela me despertou...Mãos frias tomavam conta de mim,e quando tentei me levantar,algo me impediu.
- meu anjo,fique deitada.Esme minha mãe, me segurou no ombro.
-Mãe,onde estão os meninos!E Alice e Rosalie...
-Estão todos bem,os meninos já voltam.
-Eles estão atrás dele?!Não!Não mamãe não pode!
- fique calma...Sabemos o que estamos fazendo.
Mais uma vez a dor agonizante em meu ventre.Encolhi-me no colo dela.
-,o que está sentindo?
-Dor aqui...indiquei o lugar.E me encolhi mais ainda.
-Vamos ver,antes que papai chegue,já volto.
Em meio a dor e me lembrando do medo...Vendo seu olhar novamente,me assustando e me encantado outra vez.E pela primeira vez eu me lembrei do livro...
-Mãe!Onde está o livro?!Falei me levantando mas sendo impedida por Rose,por que ela estava ligando para o papai,novamente eu acho.
-O livro está dentro de sua mochila.Depois você lê.
-Eu queria ler.... Outra dor...- Aiêêê....O que é isso?
-Um... Rosalie me analisou de perto.E depois do nada sorriu.
-Acho que você está virando mocinhaaaaa...
-Mas eu já sou.... Ela riu mais uma vez e passou a mão na minha testa.
-Querida,acho que suas regras finalmente vieram!
Se Rosalie pudesse estaria chorando... Seus olhos começaram a brilhar de forma espetacular,um dourado belíssimo.Eu me ergui pelo cotovelo.
-Rose...Isso não é hora!
- eu não sei dizer qual é a hora,mas eu estou tão feliz!
Eu senti mais uma pontada.
-Não era hora para ele vir!E pare de sorrir,isso dói!
-Isso não importa agora,estava tão preocupada de que você,que você...Entende...Pode ter uma família agora...
-Rosie!
-Mas...
-Rose...Depois você conversa com ela sim?A voz de papai se fez presente em meu quarto e quando entrou no meu campo de visão estava sério.
-Como você está minha lua? Ele disse sentando-se,num impulso eu corri para seus braço e o apertei.Um pouco tremula ainda,enfiei meu rosto em seu pescoço.
-Ahn papai...Desculpe-me,eu não podia imaginar...(podia sim, e me arrisquei) que ele estaria lá.Minha voz saiu um pouco rouca pela adrenalina que insistia em correr por meu corpo e por minha cabeça confusa.
-Você não tem culpa meu amor, nunca podia saber que alguém estaria a te perseguir.
-Se não fosse por vocês...E-eu...
A dor voltou- como era o nome dela?-Fazendo eu encolher minha barriga e apertá-lo
-Uhg!botei minha mão no local da dor.
-Vejo que você está com cólicas?Ele disse, então este era o nome!
-Ahn,papai,não começa isso dói tá!
-Vou te passar um remédio para dor e Mamãe vai trazer a bolsa de água quente.Vai melhorar
-E quando vai passar?Perguntei.
-Dependerá do seu organismo meu amor,afinal você já está na puberdade.
-Quanto tempo?!
-Eu não sei meu anjo.Carlisle disse.
-Mas você não é médico?Não tem conhecimento científico?
Levantei novamente.Só que ele me impediu.
-Deite-se querida,como disse,eu não estou no corpo da pessoa para saber exatamente,mas tenha paciência,tudo bem?Qualquer coisa estou aqui.
Joguei-me na cama, e por incrível que pareça eu adormeci, não antes de visualizar seu rosto e semblante assustadoramente ameaçador, que me cativava.



Capítulo 07

Quando mamãe veio me trazer a bolsa de água quente meu corpo estava pesado e exausto, pelo dia que tive me lembrei de ter deixado Sophia sozinha, mas, Rosalie disse que a levou de volta. Mamãe também deixou o livro,e como não sabia o preço,mandou um cheque de 200 dólares á loja.
-O livro não é tão caro, mamãe, eu podia ver amanhã...
-Isso, não tem problema, meu anjo, mas eu dei uma folheada, você nunca se interessou por um livro de terror... Ela disse, levantando minha coberta e minha camiseta do pijama,para por a bolsa no baixo ventre.Isso despertou minha curiosidade.
-Mãe?Como você fazia para passar?
-Passar?Ela disse, olhando-me confusa.
-Bem, a dor, ela não para... gemi baixinho apertando a bolsa quando mais uma fisgada maldita,resolveu participar da conversa!
-Oh!Ela sorriu- Bem anjo, na minha época não tinha tanta coisa que pudesse ajudar, normalmente fazíamos um chá, que por sinal eu detestava, ou senão, passávamos um paninho no ferro quente e colocávamos na barriga, às vezes à noite inteira.
-Uiiii!Meeu Deus!Falei, ela riu e deu um beijo na testa.
-Talvez se você se distrair um pouco, quem sabe lendo... Ela levantou meu livro que eu quase morri para pegar.
-Meu livro!Ai que bom!Quem sabe néh?
-Claro mas, não leia até tarde.
-Está bem.
-Ah! E mais uma coisa.disse mamãe antes de sair do meu quarto- Madame ligou e perguntou quando voltaria,afinal,como estamos no outono,haverá o festival da cidade,onde ela fará uma apresentação com os alunos,e gostaria muito que participasse.
-Jura isso é ótimo,eu gostaria muito! Nunca me apresentei antes!Diga á ela que eu vou amanhã e...
-Uma coisa de cada vez,sim?
-Está bem, agora vou ler.
-Boa noite meu amor.
Mamãe saiu.
Quando eu voltei-me ao livro de capa vermelha,quando o abri fui recebida por páginas amareladas e letras trabalhadas,as margens eram de uma tinta prata já apagada,que mostrava um lobo feroz e às vezes uma linda moça.Na primeira página havia o titulo,avancei mais algumas paginas,e começava a historia.Não compreendo o porquê este livro em questão chamou minha atenção.
A historia começava com a mesma advertência,que Lobisomens existiam.E não era conto de fadas,acho que isso é para chamar atenção para ele.Voltei a ler o trecho.

“CUIDADO JOVEM SE PENSAS QUE ESTE LIVRO É UM CONTO DE FADAS.HÁ ROMANCE NESTE LIVRO,SIM.MAS HÁ SANGUE,DE MUITOS INOCENTES,DILACERADOS PELA BESTA.ASSASSINOS COM SANGUE DE INOCENTES!BRUXAS A SEREM QUEIMADAS!A COLHEITA SE APROXIMA!A LUA CHEIA TAMBÉM.CUIDADO COM A FERA!CUIDADO COM O LOBO.”

Quando comecei a ler,falava de uma jovem que vivia numa vila medieval,pequena e calma, que há muitos anos tinha um trato com a besta,toda lua cheia,um animal era sacrificado,todos da vila colaboravam.O nome da mocinha era Valerie,que há muito tempo tinha um amigo chamado Peter, que misteriosamente foi embora da Vila com o pai.
Durante muito tempo,Valerie viveu com sua irmã e seus pais na Vila,mas sempre sentia um desejo de ser livre,pois seu lar e sua vida pacata a sufocavam, cada vez que podia sair sozinha sentia-se livre.Foi quando,ao ajudar na colheita da aldeia,onde meninos e meninas tinham seus afazeres e à noite escondidos de encontravam,ela voltou a ver Peter,mas de inicio ele a ignorou e...
-O que mamãe disse sobre não ler até tarde?Alice disse.
-Só mais um pouco.Pedi,o livro estava bom.
-Eu literalmente não sei o que fez você se interessar por isso.Rosalie também estava aqui.
-Você nem leu!
-Ela tem uma certa aversão por cachorros.Alice sussurrou
-É claro que sim!Acha que fiquei fazendo o que quando papai estava conversando com você?
-Humpf.Disse
-Boa noite ,amanhã você terá um dia looongo!Alice disse puxando Rose que me lançou um beijo.
Como fui forçada à parar de ler,fui dormir.Quando acordei,a dor tinha passado,e eu me senti bem,um pouco de dor de cabeça,mas levantei e sonolenta fui direto para o meu banheiro,fazer minhas necessidades,quando percebi que minha roupa de baixo, minha calça de pijama e minha calcinha estava toda manchada de sangue e o cheiro de ferrugem,me assustou...
-Oh meu Deus!Falei alto o suficiente para que todo mundo ouvisse...Logo antes que eu imaginasse papai estava batendo na porta.
-Querida está tudo bem?
O que eu ia dizer,e se ele abrisse a porta?
-Posso entrar?
Céus ele leu meu pensamento?!
-Não!Não entre!Não pode chamar a mamãe?Ou as meninas...
-Querida eu poss...
-Paaaiiii!Chame a Mamãe!Ou Rosalie e Alice!
-Eu disse,ela não ia querer você, isso é assunto de mulher... Emmett disse rindo.
-Estão todos na minha porta?!
-Não!Rosalie disse- Estão todos fora daqui!Alice,pegue aquela necesserie?
Ouvi 3 toques na porta.
-Querida,é a mamãe,eu vou abrir tudo bem?
-Huhum...A porta se abriu e vi Mamãe,Rosalie,Alice juntas no vão da porta.
-Bem,primeiro de tudo,meu amor,não fique nervosa e segundo,vamos tirar esta roupa e tomar um banho ok?
Afirmei com a cabeça,sentia-me gelada e quente ao mesmo tempo,Alice me ajudou a despir a roupa suja e abriu o chuveiro.E quando a água caiu pelo meu corpo,deixou o chão meio rosado por causa do sangue.
-Isso vai acontecer o tempo todo?Olhei mamãe e Rose.
-Sim,durante a menstruação,sim.Depois para...
-Eco!
-Isso,é esquisito sim- Alie disse- Mas é seu corpo,trabalhando para fazer...
Fazer o que?
-Alice agora não.Mamãe disse.
Depois de eu terminar,Rosalie voltou com uma calcinha minha e um pacote de absorventes...
-Eu acho que ela deveria usar o interno,é mais discreto...Alice comentou.
-Ela é nova demais para isso.Mamãe falou.
Rosalie ficou na minha frente,e Alice e Esme de cada lado dela.
-Bem este aqui é bem simples,é antialérgico,com película de algodão,e com abas.
-É só você por,assim no forro da calcinha –Alice disse colocando- Depois veste a calcinha!
-E não se esqueça de ver se está do jeito certo para não acontecer acidentes!Mamãe falou,dando-me um pacotinho fechado e uma calcinha,para que eu fizesse o mesmo,depois saíram.
-Estaremos aqui fora.Esperando.Alice disse
Não foi difícil,mas era desconcertante.
Quando sai,fui recebida por palmas e vivas,Rosalie não parava de sorrir,enquanto me vestia,Alice arrumou meu material da escola,para o Balé ela arrumou minha mala,e ajudou a me vestir.Logo tomei meu café,fui para a escola,e sai com Rosalie para o balé.
-Tem certeza que quer ir?Pode ficar em casa se quiser.
-Não,se ficar sem fazer nada acho que ai sim,vou ficar assustada,eu não devo me esconder,Rose.
-Estaremos por perto...Não tenha medo,ok?
-Ok.Saí do carro e fui em direção ao meu típico salão.
Quando cheguei estavam todos lá,até os mais faltosos,procurei por Lorena,que já se alongava,havia muito burburinho e tinha certa tensão no ar.
-Oi Lorena,como você está?
-Bem,a propósito você já sabe da novidade néh?
-do festival de outono?
-Sim e que vamos nos apresentar?
-Sim eu sei...
-Advinha qual vai ser meu papel?Ela disse um pouco altiva e arrogante,achei estranho seu tom,mas ignorei-o.
-Vamos apresentar uma parte de O Cisne Negro,e eu vou ser o Blackswan!
-Isso é ótimo!Parabéns!Fico feliz por você!
-Obrigada,eu fiquei muito contente...Ela parou de falar e pegou o celular,e teclando rapidamente.
Estava tão absorta...Que se virou de costas para mim...Depois abruptamente voltou-se e me pegou pelos ombros.
-Escuta,hoje não vai dar para você voltar de carona comigo,por que eu vou sair...
-Com sua Mãe?Tudo bem...
-É é isso,desculpa tá?
-Não tem problema...Eu aviso Mamãe- embora achasse que ela já soubesse.
-Eu vou treinar na outra sala,com as meninas,tchau.
Meninas que ela até alguns dias atrás não falava que eu saiba,mas que mudança estranha...muito estranha.
Fiquei olhando para a janela,do salão onde eu sempre treinei sozinha as ultimas semanas sala secretaria disse que Madame ia me esperaria lá.

-Querida,que bom que está aqui!Sra.Tolouse entrou.
-Estava falando com Lorena,e ela disse que está à par do festival...
-mais ou menos,só a parte de que ela será o Blackswan.
-E você será Odette...
-Mas São uma personagem só...
-Não para mim,quero as duas,juntas no palco,queria que fosse apenas você mas,achei injusto não dar uma chance à ela.
-Oh não Sra. Toulouse,eu estou feliz,na verdade,eu nunca me apresentei antes...
-Nunca?Ela disse incrédula.
-Nunca,essa e minha primeira vez.
-oh Dieu!Terei trabalho dobrado com você,então vamos rápido,temos um mês e meio antes do festival,quero você aqui todos os dias....
E assim,ela falou,enquanto me conduzia ao centro do salão,e começava a me treinar duramente,deixou uma seqüência do que eu faria,e me deu um livreto,com a minha parte do espetáculo.
Se eu disse que ela estava indo pesado,alguns dias atrás,a partir de hoje,seria pior,eu estava pingando de suor e cansaço.Quando sai,vi Lorena.
-Oi Lore,mal te vi hoje néh?
-Huhum- disse olhando para a rua.
-Eu vou ser Odette,isso não é o máximo?Vamos apresentar juntas...Ela fez um muxoxo com a boca.
-Não,não é o Maximo!Sabe por quê?Por que Odette e o Blackswan são um só!E ele será repartido em dois!
-Mas o que deu em você?...
-O eu deu em mim?Eu digo.Foi você!Você e sua família perfeita,seu talento perfeito,você!Que tem tudo!E me tirou metade!Metade de um papel! Poxa será que dá para parar de roubar o que deveria ser dos outros?!
Depois desta evidente revelação,um carro preto e com janelas escuras parou e um garoto saiu de lá,Lorena abriu um sorriso e correu até ele,abraçando-o e o beijando...
-Lorena,espere,e-eu preciso falar com você...desci o mais próximo para que ela ouvisse e o mais distante dela.Ele disse alguma coisa no ouvido dela.Lorena se virou para mim,mas não disse nada,o menino riu,o que me deixou sem graça.
-olá eu sou Dean,colega da gatinha aqui.isso fez Lorena rir.
Eu respirei fundo e falei.
-Olhe eu não sei o que está acontecendo mas eu queria dizer...
-Olha esqueça!Eu não quero saber cansei de ser sua sombra!Se manda !Você não é mais a princesinha do balé!
Dizendo isso,ela puxou o tal do Dean para o lado do motorista e entrou no lado do passageiro, e eles saíram cantando pneu pela rua.Princesinha do balé,era o apelido maldoso,que as outras deram para mim quando cheguei,chateada eu me sentei no pé da escada e juntei minha pernas ao peito, e esperei que mamãe chegasse,qualquer um na verdade.depois de mais ou menos meia hora,o BMW do papai chegou.
-Olá minha Lua! Como foi o dia?
-Bem.disse automática.
-Algo diferente?Ele insistiu.
-Vou ser a princesa Odette no Lago dos Cisnes.
-Isso é maravilhoso Lua, fico feliz por você,e como está Lorena?
Papai sabia de algo,mas não quero falar sobre isso...
-Bem,foi embora com a mãe dela mais cedo...
Peguei o livro dentro da minha mochila e voltei a ler,e assim papai não insistiu mais e dirigiu de volta para casa.
Estava triste por Lorena,Feliz pelo papel,e preocupada com ele...
-Papai?
-Sim?Ele disse.
-Vocês e os meninos...Herm...encontraram o...
-O vampiro que te encontrou na loja?Sim,e ele não voltará mais...
-Você pediu que você se afastasse?Perguntei.
-Pedi...Senti que a resposta foi evasiva.
-Eeeeee?Insisti.
-Ele atacou,e não tivemos escolhas,tivemos de nos defender...
Ele atacou?E Papai e os meninos revidaram,não havia como evitar não?Eu não o veria mais?Inevitavelmente meus olhos se encheram de lágrimas,e papai me olhou.

(n/a:Para quem não conseguir ver,procure como Henry Cavill)
-Querida,não chore,nós estamos bem,foi por sua segurança.Ele não voltará.Disse secando uma de minhas lágrimas.- Não se preocupe,cuide de seus estudos e o balé,estou orgulhoso de ter conseguido um papel...Merece uma comemoração.Ele sorriu e eu sorri de volta.E logo vi a fachada da casa acesa.

(n/a: Perdoem a demora meninas! Mas estou em semanas de provas e trabalhos na faculdade! Então tá meio enrolado! Haverá mudanças drásticas na vida da mocinha! Então aguardem e estou chateada de não ver comentários... Isso me anima e adoro ouvir suas opiniões! Comentem!)

Lua Vermelha 08
Bem quando descemos,mamãe veio me abraçar,na verdade todos,até Bella,que por muitas vezes eu não via direito já que a casa dela era um pouco afastada da nossa.Edward me abraçou e disse que ia me ajudar a acompanhar as sinfonias,que tinha muitas versões dela em sua coleção.Enquanto eu me trocava e guardava minhas coisas voltei a pensar em Lorena,e o quanto ela foi rude comigo.Afinal eu sei que para fazer a peça era uma bailarina principal que fazia as duas versões.Estava mexendo na minha gaveta,quando Edward deixou alguns CDs.
-Eu sinto muito pela sua amiga,.
-O que você sabe Edward?
Vi que meu irmão suspirou e me olhou novamente,ele devia saber mais do que eu imaginava.
-Pelo visto,mais do que eu não é?Talvez desde que a conheci.
Não pude evitar o nó na minha garganta,e meu coração apertar,o comportamento alterado de Lorena repentinamente,essa estranha falsidade.Deveria estar acostumada com amizades assim afinal minha família muda tanto que chega a ser um pouco triste.
-Não aconteceu do modo como está pensando,.Lorena gosta de você,mas por achar que nossa família é rica e mesquinha,ela confunde as coisas,sente que não sabe o quanto você é verdadeira ou se mente,como os outros alunos,que se aproximou dela por pena.
-Mas eu não fiz isso!
-Eu sei querida,mas ela não,ainda mais depois de conhecer aquele rapaz.Dito isso os  seus olhos se escureceram.
-Há quanto tempo ela o conhece?Perguntei.
Edward não respondeu de primeiro, mas, assim que pus minha mão em seus braços ele voltou a atenção novamente à nossa conversa.
-2 meses, ao vivo, mas ela conversava com ele na internet.
-Humm.
-As coisa vão melhorar Lua, você vai ver. Edward disse saindo do meu quarto.
-Ou piorar.
-Alie, pode tirar suas duvidas...
Ouvi-o dizer. pensava preocupada com Lorena,mas eu não podia fazer nada.
-coisa que você mesmo não gosta de fazer. Falei




Voltei a pegar o livro, praticamente ansiosa. Valerie tinha finamente se reencontrado com Peter mas coisas aterrorizantes começavam a acontecer.Ela havia perdido sua irmã,a Vila estava aterrorizada e os homens queriam caçar o lobo.
‘Estava frio demais, meus ossos doíam, minha boca e meu nariz estava dormente, era noite e a Lua Vermelha banhava o céu, minha roupa era fina, apenas um vestido de algodão grosso com pontas que pinicavam, meus cabelos estavam soltos nas costas e o vento chicoteava meu rosto, a neve cobria o chão e estava rosada pela luz da Lua. As botas que eu usava estavam ficando molhadas,comecei a caminhar procurando uma saída,afinal algumas vezes o sonho se torna tão familiar que eu não tinha medo.Todos eles eram do mesmo jeito,eu a Lua e a floresta.
Ouvia tudo ao meu redor até o vento, enquanto andava vi uma mancha mais que rosa no chão, era vermelho e se mexia. Parecia ser uma capa ou um manto,corri atrás talvez fosse de alguém que perdeu,eu poderia usá-lo já que não há uma alma viva aqui.
Corri o Maximo que pude, mas por incrível que pareça o vento o lva mais longe, mais alto ainda,quando pulava para agarrá-lo,eu caia, e cada vez mais perdia a corrida. Ficando coberta de neve,exausta,sem ar nos pulmões.eu deixei-o ir.
-Eu odeio este lugar... Eu quero sair daqui.por que ninguém me ouve?
Apenas o vento, era minha única companhia, assim eu pensava. passos pesados e rápidos na neve chegaram perto demais,e mal tive tempo de lntar dando de cara com ele novamente,acho que seu nome era Fred.eu não lembro,toda vez que fico perto dele,eu esqueço de mim...Somente ele preenche meus pensamentos.Quando olhei para suas mãos ele segurava o manto vermelho.
Ele abriu um leve sorriso, e lntou o pano, era de seda pois voava leve ao vento.Ele se aproximou mais e cobriu meus ombros,fechando-o na frente.Vendo o manto cair como uma luva ao meu tamanho e que ainda cobria meus pés sobrando um bom metro atrás.
http://henrycavillbrasil.com/gallery/displayimage.php?pid=1995&fullsize=1
-Obrigado…Eu ainda não sei o seu nome…
-... Ele abriu os lábios para falar mas sua expressão mudou seriamente,e eu ouvi o uivo,estridente e metálico.
Como se soubesse a resposta meu corpo começou a ficar quente,mas era um calor que machucava,um rosnado e mais um uivo e meu corpo começou a entrar em convulsões,minha garganta ardia,não tinha mais saliva em minha boca,e eu sentia sede,e de repente o cheiro acre e de ferrugem invadiu meu nariz,quando abri meus olhos tudo que enxergava era vermelho,o cheiro era de sangue,e eu ouvi seu lamento,e eu simplesmente respondi:com um uivo mais alto,e mais poderoso que o dele.
-Não responda!Disse ele em meu ouvido- É isso que ele quer...Escute-me.
Escute!Escute!E escute,sua voz ecoou na minha cabeça.Quando abri meus olhos,encarava os de mamãe.
-Mamãe?Disse sentindo meu corpo frio e suado perto dela,que me puxava para seus braços.
-Outro pesadelo anjo.Disse ela sorrindo,para mim e tirando o suor da minha testa- acho que anda lendo demais e vendo filmes de terror demais também não?
-Eu não sei...Isso me deixa tão cansada.
No dia seguinte,e pelos próximos meses o treinos no balé eram intensos e quase tomavam conta do meu dia,Lorena estava cada vez mais distante,somente nos víamos apenas nos corredores,Madame fazia questão de treinar cada uma separadamente,fora em casa que eu não parava de treinar,Nessie veio passar um tempo em casa assistindo meus ensaios.
-Você não cansa?Ela me perguntou.
Enquanto alongava na barra,abaixando todo o tronco.Eu estava cansada.
-Bem,é minha primeira apresentação de verdade,eu nunca me apresentei para olheiros.Madame fez contatos entende?
-Hum,por isso está se dedicando tanto,mas você precisa de um tempo livre...Que tal ir ao cinema?
-Depois,quando eu terminar...
-A não,por favor vamos agora!Tá passando um filme que estou louca para ver mas papai não me deixam sair sozinha,não vou ver o Jacob por que ele foi para a faculdade!E eu estou me sentindo só!Vamos sair comigo?
Parei e me lntei,olhando Nessie,seus olhos dourados estavam cheios de lágrimas.
-Nossa Nessie,está tão sozinha assim?Olha eu posso dar um tempo..
Antes que eu pudesse terminar,ela começou a me abraçar.
-obrigado!Obrigado!Obrigado!Eu vou me arrumar e num instante eu volto,e não se atrase!
-Mas Nessie eu não disse agora....Falei ao léu,Nessie já tinha saído do meu quarto.
Bem em menos de 30 minutos estávamos no cinema.
-O que acha de um filme de terror,?Ela me disse olhando o letreiro com os filmes em cartaz.
-Bem,eu não sei,terror não - eu costumava ver com Lorena- que tal ver uma comedia?
-Hum,ok,vamos ver Se beber não case?
-Parece ótimo!Eu vou comprar pipocas.Disse saindo para entrar no cinema.
-A minha com muita manteiga!
-Está bem!
A fila estava moderada quando cheguei,o problema é que o vendedor estava demorando.
-Ei cara!Vamos logo!Eu não tenho a noite inteira!Quer que eu vá aí!
Um cara duas pessoas na minha frente disse nervoso,vi que usava uma jaqueta de couro e uma gola de camisa xadrez saia cobrindo a nuca de era compartilhada pelo cabelo escuro.Parece que eu o conhecia de algum lugar...Ele se virou de repente e então eu me dei conta de quem era,o namorado de Lorena.E como se me ouvisse ele me viu quando se virava pestanejando com um cara atrás dele.Ele sorriu ao me ver.
-Olha se não é a cisne branquinho!Disse alto para todo mundo ouvir.
-Oi...Disse envergonhada procurando Nessie.
-E aí gata como você está,Lorena disse que está péssima nos treinos...
Então Lorena estava falando mentiras de mim,bom se fosse só para ele,tudo bem.
-Eu não acho,estou me esforçando bastante.
-Bem que seja,e aí?O que vai ver?Ele disse saindo de seu lugar e vindo até onde eu estava ignorando o vendedor de pipocas.
-Ainda não sei...A sua pipoca está pronta.Apontei.
-Ahn,valeu,quase virei zumbi aqui de tanto esperar!Ei!Faz o seu pedido já que eu to aqui,faz de uma vez só...
Ele disse pegando em minha mão e pondo-me de frente para o balcão.E ficando perto,podia sentir sua respiração bater de leve nos meu cabelos.
-Hummm,bem quero uma pipoca com muita manteiga,e que tipo de doces vocês tem?
-Hammmmmmmmmmmmmmm....Nem o vendedor  sabia.
-Posso fazer uma sugestão?Ele disse bem perto do meu ouvido,fazendo com que eu me virasse assustada.
-P-pode...
-Os milke shakes são horríveis,doce demais e parece que o leite está estragado.E os chocolates pretos estão brancos de tão velhos,e os brancos mofados!
-Ok...Eu acho que vou pedir pipoca então...
-eu não terminei ainda cisne branquinho!E o melhor mesmo são as balas de caramelos caseiras,elas derretem na boca!E as jujubas,tem bastante gosto de frutas,e o açúcar ainda está brilhando.Então eu vou fazer o seu pedido....
Disse ele com a voz um pouco baixa quando se referiu á mim,e também seu sorriso teve um ar mais estranho eu não sei explicar.
-Então cara vê se me traz dois pacotes de balas de caramelo e um de jujubas que tenha as mais...Humm
Ele pensou pondo a mão no queixo.
-Vermelhas...Não!Me trás as que tenham mais azuis e roxas!Para combinar com estes olhos lindos.
Ok,eu admito,ele tem um jeito estranho mas é bonito,seu sorriso me deixou vermelha.
-Aceita cisne!Não vai se arrepender...
-,quem é seu amigo?Nessie apareceu do nada do lado oposto ao dele,e me encarando.
-Comprando sua pipoca e...
-Doces...Ele disse.
-Ahnhan...E você é?
-Dean, amigo da cisne branquinha,e namorado da blackswan.
-Haham!Bem Vamos a nossa sessão vai começar daqui a cinco minutos.
-Já vão  tarde!Lorena surge atrás de Dean,quase fazendo-o derrubar o que ele comprou.
-oi...Vamos Nessie...Eu não quero perder o filme...
-Esse cinema tá cada vez mais podre!Dean eu quero ver outro filme,que tal Se beber não Case?
-Nós vamos vê-lo,isso não é legal?Nessie disse sorrindo.
-Perdi a vontade...Este filme só tem gente que não sabe encenar e é falsa...
Acho que ela disse isso para mim... Mais do que do filme.
-Ahn amor,seria divertido ver todo mundo junto,e afinal você tem que falar com sua co-estrela de espetáculo não é?Você faltou nas ultimas aulas...
Como não via Lore há muito tempo,eu sempre soube que ela ia freqüentemente,era estranho isso.
-Não preciso,falar nada com ninguém!E não quero ver comedias,isso é para babacas...
-Olhe,Lorena...Eu respirei fundo para dizer- Se não estamos mais nos falando,por que perde seu tempo me insultando?Isso é muito infantil,já entendi que não somos mais amigas e ponto final,agora não gosto de ser tratada como está fazendo,isso e cruel.Disse enquanto minha voz murchava,por receio de brigar com ela pois eu ainda sentia alguma coisa por minha amiga,e também pelo seu olhar fulminante,e o sorriso malvado em seu rosto.
-Você é tão criança...Nem sabe se defender direito,é tão polida...Ergh!
-Ei Lore!Vamos lá deixa a cisne branquinho em paz....
Lorena empurrou Dean com força,xigando-o.
-Cala a boca seu porcaria!Não se meta você não manda em mim ouviu,não passa de um playboyzinho...
Enquanto xingava Lorena batia no peito dele com socos,e tapas,ela se sacudia furiosa,seus cabelos estavam se desgrenhado.
-E o que você tem com ela?Hein?Chamando-aela de Cisne Branquinho....
Dean pareceu finalmente ter se cansado,por que ele pegou-a nos braços,e sacudi-a com mais força,Lorena parecia uma boneca em suas mãos.
-Para agora mesmo garota!Disse baixo somente para que nós que estávamos perto ouvíssemos- E Porcaria é você,está ouvindo?Você estúpida!....Dean disse olhando-a nos olhos.
-Ai...Dean tá machucando...Me solta ou eu vou...
-Vai o que hein?Gritar ? Sabe que isso não funciona comigo!Eu faço pior do que seu gemidos histéricos!Ele rosnou.
Vi os olhos de Lorena se encherem de lagrimas,e um soluço sair de seus lábios,ela olhou Nessie e eu com vergonha e abaixou o rosto por um momento e depois lntou olhando Dean com raiva,mas este não estava nem um pouco com medo.
-Eu odeio quando você faz isso!Você não presta!
Ela começou a dizer alto,e meu coração de repente começou a acelerar,minhas mão tremiam,o ar não era o suficiente e eu comecei a ofegar.
“impeça-o,você pode fazer isso,é mais forte que ele.”
Dean,lntava a mão,para bater em Lorena,enquanto ela não parava de gritar...
“Você é mais forte,ele deve abaixar a cabeça para você,que é a Lua e o Lobo”
Lorena deu um grito,e Vi que Nessie ia se mover para impedir.Mas eu resolvi seguir esta minha voz no inconsciente de minha cabeça.
-Tire suas mãos dela!Agora!Eu disse alto,com uma raiva súbita e incontrolável,eu queria bater nele,mas sentia que falar era mais vergonhoso que tentar agredi-lo.
Dean estava com a mão no ar mas ainda a segurava.
-Fique fora disso,não se meta garota ou eu...Sua voz vacilava,como se alguma coisa o segurasse.
-Ou o que?Eu mandei soltar!Solte-a Dean- cheguei perto dele,olhando em seus olhos,sentindo seu perfume almiscarado no ar,que começava a me dar ânsia.
“ordene”Disse a voz.
-Solte-a,isso é uma ordem.Disse baixo,aproximando de seu ouvido,nunca me senti deste jeito,corajosa e valente,pensando que podia derrubá-lo,mas eu sabia que podia,e faria isso se ele fizesse algo mais.Mas Dean não fez,ele me olhou assustado,e abriu a boca mas sem nada a dizer,e se afastou jogando Lorena no chão assustada.
-O que disse...como?Ele dizia andando para trás.- Eu conheço isso,eu odeio que falem assim!Não pode mandar em mim....Não.
Ele disse alto,fazendo todo mundo olhar para nós,e se aproximar.Nessie veio para o meu lado e pegou em meu braço.Dean ficou falando isso repetidamente...
-Eu tenho que dizer á ele...
Nessie ajudava Lorena a se lntar.Ela parece não ter ouvido.
-O mestre- disse com escárnio na voz- vai querer saber disso,ele mandou contar se acontecesse.Afinal- Ele me media tentando ver alguma coisa em mim- Como não percebi antes que há algo...
Dean cambaleava atordoado,e saiu pela porta quase caindo,não antes de me ameaçar.
-Isso vai ter volta cisne branquinho...Ou devo dizer Lua Lupina...A Lua de Sangue vai despertar...E você vai ver...
-o que disse?Assustei-me com essas palavras que foram ditas apenas nos meus sonhos,ninguém sabia disso,nunca contei a Lorena...Como ele soube?
-Como você sabe?Quem é você?
Dean lntou os braços para o céu,por trás dele eu podia ver a lua cheia e brilhando.
-Vai se ferrar Lorena!Ele gritou.- Tá na hora de eu achar outra ovelhinha!
Ele virou as costas e foi embora.meus ouvidos zuniam,uma dor de cabeça começou a me importunar...
-...!Nessie chamou mas eu não ouvi.Lorena soltou-se dela e correu até a porta gritando por ele,eu fui atrás.
Ela começou a gritar no meio da rua por ele,que tinha desaparecido.
-Dean!Dean!Não vai embora,espera...Ela corria gritando de um lado para o outro.
-Lorena!Lore!Para!Você viu que ele quase te bateu
Ela se virou para mim,e vi que seu semblante mudou,ela voltara a ser a Lorena esquisita.
-Não se meta!E trate de ficar longe de mim!E do MEU namorado!Sua piranha!Ela falou andando no meio da rua procurando por Dean.
Nessie veio correndo logo atrás,e me viu.
-,está tudo bem?Está suando...
-Eu não quero mais ver filme...podemos ir embora,estou com dor de cabeça...
-Vamos,eu te levo até em casa,a Srta. Não está com cara boa.
Renesmee me pegou pelo braço,e fomos de volta até o carro,eu me sentei no banco e fechei olhos.pensando no que Dean disse,isso podia ser um delírio dele,mas tão convincente assim?
‘Você é mais forte,é pura,não deve temê-lo,ele não é o líder...Você é. “E somente um Alfa do mesmo sangue pode contestá-la”
Ok,essa minha voz de subconsciente agora consciente está me assustando,acho que aquele livro está me dando  medo...
“Vai embora!Me deixe em paz!”gritei para ela,sentia calor e frio,dor no meu corpo inteiro,queria dormir,meu olhos pesavam,e não vi quando íamos chegar,o caminho parecia tão longo.

25 comentários:

  1. primeira a comentar *o*
    amei a fic , total tipo foi uma coisa magica '-' eu tava lendo outra mais meu navegador deu a louca e veio parar nessa pag bem ai eu li e cara amei !! parabens vc escreve super bem adorei essa fic !! quem sera Sir misterioso ? é o que eu pretendo saber *-* . não deixe de att se ñ eu vo fica desolada :( .

    xoxo

    Crys.

    ResponderExcluir
  2. Gente... *O*
    ADOREIIII ^^
    Foi tudo tão mágico e perfeito *.*
    A parte do balé principalmente *-* Foi muito linds
    O que será que vai acontecer?? Seá que o carinha vai aparecer mais vezes? Ele vai falar cmg? =O
    Eu quero respostas!!!
    Amei Amei Amei!!! \O/

    P.S. Vc escreve maravilhosamente bem e sua fic me prendeu do inicio ao fim ^^
    BjaO

    ResponderExcluir
  3. Muito linda a fic :D
    Como assim fêmea de um Lobo?
    HSuAHsuHAs
    Gsus apaga a luiz xD
    Vamu ver o que dá, mais pelo amor de Deus não faz esse vampiro ser mais um super protetor. :x
    Você escreve maravilhosamente bem, amei a fic do começo ao fim :D
    Adorooo capitulos longos *--*
    Posta logoo :P
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Ansiosa por mais. A fic parece ser ótima! Quem é esse cara?

    ResponderExcluir
  5. Ah to ansiosa... att logo!

    ResponderExcluir
  6. WOOW.
    To ansiosaaa pra ler maisss dessa fic.
    Gente.Muito per hehe.
    e quem será esse príncipe cantado? hein hehe.
    Mais mais mais.
    XOXO

    ResponderExcluir
  7. Meodeos preciso saber mais desse principe :D
    Tah linda a fic, bem escrita e tudo mais :D
    Anciosa pro proximo cap. :)
    Bjoss

    ResponderExcluir
  8. Oh deus.
    Preciso saber mais sobre esse príncipe.
    Amore,poste logo pelo amor
    XOXO

    ResponderExcluir
  9. Adorandooo a fic!!!
    Quem será esse príncipe?
    E esses sonhos me dão medoooo, que lobo é esse que diz que eu sou sua lupina e que virá na lua vermelha? Cara, esse lobo me dá arreppios.
    Emment concerteza é uma criança grande, adooooro.
    Bjsss!!!!

    ResponderExcluir
  10. Oh gosh.
    Quem será esse ser da noite hein?
    E cara.Caninos?*---*Sonho de consumo hehe.
    Ai diva,e esses sonhos hein,estão me aterrorizando.
    Poste mais please.
    XOXO

    ResponderExcluir
  11. Essa fic está demais, o que será que esses sonhos representam? Estou cada vez mais ansiosa para descobrir esse mistério.
    Amandoooooo, bjssssss!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Essa sophia é demais!!!
    Fiquei toda arrepiada agora. Quem será que apareceu e porque me assustar desse jeito?
    Adoreeeeei, bjssss!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Gsus
    Que capitulooo!!!
    Finalmente o SER deu o ar da graça :D
    Me jogue na parede e me chame de largatixa
    kkkkkkkk
    ADOREIIII
    Mal posso esperar pro proximo capitulo :D
    Beijooss

    ResponderExcluir
  14. leitora nova estou amando muito bom !!!

    ResponderExcluir
  15. Uau, o que foi aquilo? Ele realmente me assustou, achei que iria virar jantar de vampiro. Ainda bem que meus irmãozinhos chegaram.
    Ain, cólica, até aqui na fic essa maldita dor me persegue?! Isso é trágico!!!
    Amandooooo, bjsss!!!

    ResponderExcluir
  16. Ameiiii ta tudo perfeito.
    Posso perdir?
    Bemque dava pra PP e a Nessie serem mais amigas um poukinho afinal a PP é tia dela

    ResponderExcluir
  17. Essa Lorena é uma tremenda egoísta, o que custa dividir o papel, são nessas horas que vemos quem são nossos amigos de verdade.
    Adorandooooo, bjssss!!!!

    ResponderExcluir
  18. OI menina quanto misterio e agora + essa da Lorena implicando com a PP e estas mudanças drasticas o que sera? estou surper ansiosa e amando a finc! Bjos e ate a próxima *_*

    ResponderExcluir
  19. Não vejo a hora de ver a continuação, não pare de escrever por favor,estou ansiosa!!

    ResponderExcluir
  20. Nossa, parece que temos mais surpresas. Dean, então sabe o que está havendo com a PP. Agora essa voz apesar de sinistra, veio em ótima hora.
    Lorena é uma imbecil, quase apanha e ainda sai correndo igual a um cachorrinho atrás do seu agressor. E por sinal é uma tremenda mau educada, nem para agradecer pelo que a PP fez por ela. Vai entender!!!
    Adorandoooooo, bjsssss!!!!

    ResponderExcluir
  21. Eu amei essa fic, quero atualização.

    ResponderExcluir
  22. A.M.E.I

    A Fanfic é simplismente M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.A é envolvente cheia de mistérios tem uma bela escrita e estou super curiosa para os próximos caps.

    aguardo..

    Beijones

    ResponderExcluir
  23. Abandonou mesmo? :(
    É muito boa essa fic.

    ResponderExcluir
  24. Muito boa essa fanfic, e é diferente das que já vi de Twilight, uma pena que foi abandonada. Seria muito bom se voltasse.

    ResponderExcluir